Saltar para o conteúdo

Hermann von Wied

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Hermann von Wied
Arcebispo da Igreja Católica
Príncipe-Arcebispo de Colônia
Info/Prelado da Igreja Católica

Título

Arcebispo-emérito de Colônia[1]
Atividade eclesiástica
Eleição 14 de março de 1515 pelo Capítulo Catedralício de Colônia
Predecessor Filipe II de Daun-Oberstein
Sucessor Adolfo III de Schauenburg
Mandato Até 16 de abril de 1546, quando foi deposto e excomungado pelo Papa Paulo III
Ordenação e nomeação
Brasão episcopal
Ficheiro:Brasão - Hermano de Wied.jpg
Nomeado arcebispo 13 de junho de 1515 por Papa Leão X
Dados pessoais
Nascimento 14 de janeiro de 1477, Castelo de Braunsberg,[1] Condado de Wied
Morte 15 de agosto de 1552 (75 anos), Castelo de Altwied, Wied
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Hermann von Wied[2][3] (Wied, 14 de janeiro de 147715 de agosto de 1552) foi arcebispo-eleitor de Colônia de 1515 a 1546.

Em 1521, ele apoiou uma punição para o reformador alemão Martinho Lutero, porém mais tarde abriu um dos arcebispados mais importantes do Sacro Império Romano para a Reforma Protestante.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Quarto filho de Frederico, conde de Wied (falecido em 1487), Hermann foi educado para a Igreja e tornou-se eleitor e arcebispo em 1515. Ele apoiou as reivindicações de Carlos V, a quem coroou em Aachen em 1520. No início, sua atitude para com os reformadores e seu ensino era hostil. Na Dieta de Worms, ele se esforçou para que Lutero fosse declarado um fora-da-lei.

Uma disputa com o papado mudou, ou ajudou a mudar, seus pensamentos na direção da reforma da igreja, mas ele esperava que isso viesse de dentro e não de fora. Ele foi inicialmente um proponente da agenda Erasmiana de reforma, que reconhecia certas práticas religiosas corruptas e infelizes, mas não propunha nenhuma mudança doutrinária séria.

Com o tempo, seu programa de mudança se expandiu e sua simpatia evangélica tornou-se mais pronunciada. Com a ajuda de seu amigo Johann Gropper, ele começou, por volta de 1536, a instituir certas reformas em sua própria diocese. Uma etapa levou a outra e, como todos os esforços de união com a Igreja Católica falharam, ele nomeou Martin Bucer seu pregador da corte em Bonn em 1542 e buscou o conselho do compatriota de Lutero, Filipe Melâncton.[4]

Sua ruptura formal com Roma foi saudada pelos protestantes, e a Liga Schmalkaldic declarou que estavam decididos a defendê-lo; mas a Reforma no eleitorado foi atrasada pelas vitórias militares do imperador Carlos V sobre Guilherme, duque de Cleves, e, além disso, suas inovações teológicas encontraram muito pouco apoio entre o povo de Colônia. Convocado pelo imperador e pelo papa, Hermann foi deposto e excomungado pelo papa Paulo III em 1546. Ele renunciou ao cargo em fevereiro de 1547 e retirou-se para Wied.[4]

Hermann também foi príncipe-bispo de Paderborn de 1532 a 1547.

Referências

  1. a b «Archbishop Hermann zu Wied †». Catholic Hierarchy (em inglês). Consultado em 19 de Janeiro de 2017 
  2. Timothy George (2016). Lendo a Escritura com os reformadores. [S.l.]: Editora Cultura Cristã (Casa Editora Presbiteriana). ISBN 85-7622-582-4 
  3. HORTAL, Jesus, "E haverá um só rebanho: história, doutrina e prática católica do ecumenismo", Edições Loyola, 1989, p. 42
  4. a b Chisholm, Hugh, ed. (1911). " Hermann of Wied ". Encyclopædia Britannica (11ª ed.). Cambridge University Press