Hiérocles de Alexandria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras pessoas do mesmo nome, veja Hiérocles.

Hiérocles de Alexandria foi um escritor neoplatónico grego cuja actividade se desenvolveu até cerca do ano 430.

Estudou com o neoplatónico Plutarco de Atenas no começo do século V na cidade de Atenas e ensinou durante alguns anos na sua cidade natal. Aparentemente foi exilado de Alexandria e começou a viver em Constantinopla, onde produziu tais ofensas pelas quais foi preso e flagelado com crueldade. Não existem registos das causas do seu encarceramento; as informações que dizem que foi por causa de ser pagão são meras especulações.

Sua única obra completa que chegou aos nossos dias é o comentário aos Versos dourados de Pitágoras

Hiérocles teve grande reputação durante a Idade Média e o Renascimento e existem numerosas traduções para várias línguas europeias. Fócio e Estobeu citam e fazem menção de vários outros escritos, em especial um sobre a providência e o destino, um tratado consolatório dedicado a seu patrono, Olimpiodoro de Tebas. Hiérocles argumentou contra o fatalismo astrológico pois este sustem-se mais numa necessidade irracional do que numa necessidade divina, uma racional providência divina. Por esse mesmo motivo opô-se à teurgia e às práticas mágicas enquanto tentativas de superar a ordem da divina providência.[1]

Ainda que Hiérocles nunca mencione o cristianismo no que resta das suas obras, os seus escritos foram considerados uma tentativa de harmonização da tradilção religiosa grega e as crenças cristãs que encontrou em Constantinopla.[2]

A colecção de cerca de 260 frases atribuídas a Hiérocles e a Filágrio não tem conexão com Hiérocles de Alexandria, mas provavelmente será uma compilação mais tardia, fundadas em outras duas colecções anteriores. Está-se de acordo hoje em dia que os fragmentos dos Elementos de Ética conservados en Estobeu são do estoico chamado Hiérocles, um contemporâneo de Epicteto que foi identificado com o fragmento "Hierocles stoicus vir sanctus et gravis" de Aulo Gélio (IX, 5, 8). Esta teoria foi confirmada através da descoberta de um papiro.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Hermann S. Schibli, Hierocles of Alexandria, Oxford University Press, Oxford, 2002. ISBN 0-19-924921-0.
  • Hierokles, Kommentar zum pythagoreischen Goldenen Gedicht, Wilhelm Köhler von Friedrich (ed.), Teubner, Stuttgart, 1983. ISBN 3-519-04042-5

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Marilynn Lawrence, "Hellenistic Astrology", en James Fieser & Bradley Dowden (eds.), Internet History of Philosophy (em inglês) Consultado em 11-12-2010.
  2. Henry Wace & William C. Piercy (eds.), A Dictionary of Early Christian Biography, VOZ: "Hierocles of Alexandria, a philosopher", Hendrickson Publishers, 1999, ISBN 1-56563-460-8 (em inglês) Consultado em 11-12-2010.
  3. ed. H. von Arnim en Berliner Kiassikertexte, IV. 1906.