Hibatullah Akhundzada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Hibatullah Akhundzada
3.º Líder Supremo do Talibã
Período 15 de maio de 2016 a atualidade
Antecessor(a) Akhtar Mansour
Emir do Emirado Islâmico do Afeganistão
Período 19 de agosto de 2021 a atualidade
Vice-emir Abdul Ghani Baradar
Antecessor(a) Ashraf Ghani (como Presidente)
Dados pessoais
Nascimento 1961
Panjwayi, Afeganistão
Serviço militar
Lealdade Flag of the Taliban.svg Talibã
Anos de serviço 1996–presente

Hibatullah Akhundzada (em árabe: هيبة الله أخوند زاده Haibatullāh Aḫūnd Zādah; 1961, Panjwayi)[1] é o líder supremo do Talibã e o atual emir do emirado islâmico do Afeganistão, desde 15 de agosto de 2021, após as forças talibãs tomarem Cabul e o governo afegão colapsar.

Akhundzada é um erudito religioso, seria o emissor da maioria dos fatawa do Talibã e o chefe dos tribunais islâmicos do movimento.[1]

Como novo chefe do Talibã[editar | editar código-fonte]

Akhundzada foi apontado como o comandante supremo do Talibã em 25 de maio de 2016, como substituto para o mulá Akhtar Mansour. Mansour e um segundo militante foram mortos quando bombas disparadas de um drone atingiram o veículo em que viajavam. O ataque foi aprovado pelo então presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.[2][3] Akhundzada foi anteriormente um adjunto para Mansour. Segundo fontes dos talibãs, Mansour já havia nomeado Akhundzada como seu sucessor em seu testamento.[4]

Um porta-voz do Talibã afirmou que Sirajuddin Haqqani foi nomeado primeiro vice e o mulá Mohammad Yaqoob, o filho do ex-líder do Talibã Mulá Omar, foi nomeado segundo vice.[5] Mawlawi Akhundzada lidera diversas madraças, ou escolas religiosas, na Província de Baluchistão, no sudoeste do Paquistão.[6]

Referências