Hidrocortisona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Hidrocortisona é o nome dado à hormona cortisol quando disponibilizada na forma de medicamento.[1] Entre as indicações terapêuticas estão o tratamento de insuficiência adrenocortical, síndrome adrenogenital, hipercalcemia, tiroidite, artrite reumatoide, dermatite, asma e doença pulmonar obstrutiva crónica.[2] É o tratamento de eleição na insuficiência adrenocotical.[3] Pode ser administrada por vir oral, aplicação na pele ou por injeção.[2] A interrupção do tratamento após uso prolongado deve ser feita de forma gradual.[2]

Entre os efeitos adversos estão perturbações de humor, aumento do risco de infeções e edema.[2] Com utilização prolongada os efeitos adversos mais comuns são osteoporose, perturbações no estômago, fraqueza, facilidade em adquirir contusões e candidíase.[2] Embora usada, não é claro se é totalmente segura durante a gravidez.[4] A hidrocortisona é um glicocorticoide com ação anti-inflamatória e imunossupressora.[2]

A hidrocortisona foi patenteada em 1936 e aprovada pela primeira vez para uso médico em 1941.[5] Faz parte da lista de medicamentos essenciais da Organização Mundial de Saúde, uma lista com os medicamentos mais seguros, eficazes e fundamentais num sistema de saúde.[6] Está disponível como medicamento genérico.[2]

Referências

  1. Becker, Kenneth L. (2001). Principles and Practice of Endocrinology and Metabolism (em inglês). [S.l.]: Lippincott Williams & Wilkins. p. 762. ISBN 9780781717502. Cópia arquivada em 14 de setembro de 2016 
  2. a b c d e f g «Hydrocortisone». Drugs.com. American Society of Health-System Pharmacists. 9 de fevereiro de 2015. Consultado em 30 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 20 de setembro de 2016 
  3. Hamilton, Richart (2015). Tarascon Pocket Pharmacopoeia 2015 Deluxe Lab-Coat Edition. [S.l.]: Jones & Bartlett Learning. p. 202. ISBN 9781284057560 
  4. «Hydrocortisone Pregnancy and Breastfeeding Warnings». Drugs.com. Consultado em 1 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 20 de setembro de 2016 
  5. Fischer, Jnos; Ganellin, C. Robin (2006). Analogue-based Drug Discovery (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons. p. 484. ISBN 9783527607495 
  6. World Health Organization (2019). World Health Organization model list of essential medicines: 21st list 2019. Geneva: World Health Organization. hdl:10665/325771. WHO/MVP/EMP/IAU/2019.06. License: CC BY-NC-SA 3.0 IGO