Vitamina B12

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Hidroxocobalamina)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outros significados de B12, veja B12 (desambiguação).
Vitamina B12
Alerta sobre risco à saúde
Cyanocobalamin-3D-sticks.png
Cobalamin.svg
Identificadores
Número CAS 68-19-9
PubChem 5479203
DrugBank APRD00326
Código ATC B03BB01
Propriedades
Fórmula química C63H88CoN14O14P
Massa molar 1355.29 g mol-1
Farmacologia
Biodisponibilidade Facilmente absorvida na segunda metade do íleo
Via(s) de administração oral, intravenosa
Metabolismo hepático
Meia-vida biológica Aproximadamente 6 dias
(400 dias no fígado)
Ligação plasmática Muito alta para proteínas transcobalaminas específicas do plasma.
Ligação da hydroxocobalamina é ligeiramente mais elevado do que o cianocobalamina.
Excreção renal
Classificação legal


POM (UK)


Compostos relacionados
Formas da vitamina B12, por radical R relacionados Hidroxocobalamina (vitamina B12a, R = -OH)
Cianocobalamina (R = -CN)
Metilcobalamina (R = -CH3)
Adenosilcobalamina (cobalamida, R = adenosil)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A cobalamina (ou cianocobalamina), também conhecida como vitamina B12, tem as seguintes funções no nosso organismo:

Segundo a organização norte-americana Food and Nutrition Board, a dose diária de vitamina B12 necessária para o organismo é de 2,4µg (microgramas) para adultos, 1,2 µg para crianças de até oito anos e 2,8 µg para gestantes e mães que amamentam.[1]

Fontes naturais de vitamina B12[editar | editar código-fonte]

O Nori possui quantidades significativas de B12, porém parte delas são análogas e atrapalham a absorção da verdadeira B12. [2]

Algumas das principais fontes de vitamina B12 são[3][4]:

A soja e seus derivados também possuem a cobalamina em sua constituição porém como um análogo inativo de vitamina B12 e portanto inapropriado a digestão humana. Plantas não sintetizam nem armazenam vitamina B12, sendo a principal fonte desta vitamina nos animais por síntese microbiana. A vitamina B12 apenas existe nos vegetais que possuem associação com bactérias que a produzam, o que é mais comum em criações orgânicas.[6]. Mesmo assim, a quantidade de B12 nessa plantas cultivadas de forma orgânica é insignificante para as necessidades humanas (possivelmente devido à alimentação não natural, não crudívora, o órgão que no ser humano exerce a síntese microbiana, a apêndice ileocecal, tenha perdido grande parte das suas funções).

A alga Nori utiliza vitamina B12 em seu metabolismo, obtida através de um processo simbiótico com bactérias. No entanto, devido a presença de análogos inativos, não é considerada atualmente uma fonte confiável de B12.[7], Apesar disto um estudo com ratos demonstrou aumento dos níveis de B-12 quando estes foram alimentados com a alga Porphyra yezoensis, indicando que esta espécie de alga contém B-12 biodisponível, pelo menos para ratos.[8]

Bactérias da flora normal do cólon produzem B12, mas praticamente nada é aproveitada pois é muito após o local de absorção da B12 (jejuno).[9]

Deficiência[editar | editar código-fonte]

Quando a deficiência de B12 ocorre é geralmente devido à deficiência na produção de factor intrínseco, necessário para a absorção da cobalamina. A vitamina B12 é necessária para a formação de células vermelhas do sangue, a função neurológica e síntese de DNA. Sua deficiência pode provocar anemia perniciosa, cujos sintomas são: alterações neurológicas, progressivas e mortais se não houver tratamento; fraqueza; convulsões e dano irreversível no tecido parietal gástrico; Afta na boca. Os principais sintomas são: anemia megaloblástica, fadiga, fraqueza, constipação, perda de apetite e perda de peso.[10] A deficiência, quando se inicia, traz prejuízos para a cognição, levando a queixas de dificuldade de concentração, memória e atenção. Ocorre também formigamentos nas pernas e redução da propriocepção. Em casos avançados, leva à confusão mental, torpor e até o coma.

Ao contrário da crença popular, existem raros casos diagnosticados de vegetarianos com déficit de B12 por conta dos mecanismos do organismo de reaproveitá-la e mantê-la no organismo. Porém, principalmente os veganos, devem tomar cuidados especiais, especialmente gestantes, lactantes e idosos quando a necessidade é maior. Isso sugere que para sua manutenção corporal, é mais importante as questões ligadas ao metabolismo humano do que a quantidade ingerida.[6]

Conseguir uma ingestão adequada de B12 é fácil e existem vários métodos para atender às preferências individuais. A absorção de B12 varia de cerca de 50%, se cerca de 1 micrograma ou menos dela é consumida, a cerca de 0,5% para doses de 1.000 microgramas (1 mg) ou superiores. Assim, quanto maior a freqüência de consumo de B12, maior será o montante absorvido.

O consumo de álcool, tabaco e certos medicamentos como neomicina, colchicina e ácido aminossalicílico e metformina podem contribuir para a deficiência da B12, pois causam a mal absorção desta vitamina.[11] Além disso, a absorção piora naturalmente com a idade. [12]

Em caso de anemia devido a falta de B12 no organismo, é recomendável o uso de suplementos prescritos por um nutricionista ou médico, pois a dose necessária para corrigir essa deficiência não é atingida pela dieta. Injeções também são usadas por atravessar as barreiras de absorção. Existem opções de alimentos artificialmente enriquecidos, como leite de soja e cereais de algumas marcas, voltadas especialmente para os veganos. Os vários suplementos vitamínicos são de origem bacteriana. [13]

Entre 10 a 30 por cento das pessoas mais velhas podem ser incapazes de absorver naturalmente a vitamina B12. Sendo assim é aconselhável para maiores de 50 anos o consumo de alimentos fortificados com vitamina B12 ou de um suplemento vitamínicos contendo B12.[14]

Embora rara, há um tipo de teníase transmitida ao homem pelo Diphyllobothrium latum, decorrente da ingestão de peixe cru. O parasita consome elevadas quantidades de vitaminas B, provocando hipovitaminose B12 no hospedeiro humano. [15]

Vegetarianos[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser foco de discussão, a maior parte dos estudos científicos corroboram que fontes vegetais de B12 por vegetarianos não são suficientes para atender as necessidades diárias.[16]

As fontes não-animais incluem spirulina, capim seco, cevada, nori, Porphyra yezoensis e outras algas, alguns cogumelos e um grande número de bactérias, no entanto, pode ser difícil distinguir a verdadeira B12 de análogos que atrapalham o metabolismo de vitamina B12. Muito pouco é absorvido. Por este motivo as principais organizações vegetarianans/veganas Vegan Society, Vegan Health são categóricas em recomendar o consumo de alimentos enriquecidos (como cereais fortificados) ou suplementos vitamínicos.[17]

Ovo e leite possuem B12, mas é pouco biodisponível aos humanos. Menos de 9% da B12 do ovo consumida é aproveitada. [18]

Características[editar | editar código-fonte]

A biodisponibilidade de vitamina B12 em seres humanos saudáveis ​​para carne bovina, carne de peixe, carne de frango e ovinos é em média 42%, 56%-89% e 61%-66%, respectivamente. Os não-vegetarianos também possuem dificuldades em obter a B12 já que o índice de deficiência em não-vegetarianos está em torno de 40% da população.[19]

Apesar de os humanos também possuírem essas bactérias no intestino, possivelmente em quantidade reduzida, sua localização (também observável noutros seres que a possuem) é posterior à principal área de absorção (no íleo), e por isso (possivelmente pela função reduzida da apêndice ileocecal) precisamos obter a vitamina pela alimentação. Essa vitamina precisa de pouca reposição pois necessitamos apenas de pequenas quantidades, seu armazenamento é relativamente adequado e uma circulação entero-hepática muito eficiente recupera grande parte da vitamina B12 excretada na bílis.[6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b American Heart Association Nutrition Committee, Lichtenstein AH, Appel LJ, Brands M, Carnethon M, Daniels S, et al. Diet and lifestyle recommendations revision 2006: a scientific statement from the American Heart Association Nutrition Committee. Circulation 2006;114:82-96.
  2. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/095528639190073E
  3. Subar AF, Krebs-Smith SM, Cook A, Kahle LL.(1991) Dietary sources of nutrients among US adults, 1989 to 1991. National Cancer Institute, Applied Research Branch, Bethesda, Md. 20892-7344, USA J Am Diet Assoc. 1998 May;98(5):537-47. [1]
  4. http://ods.od.nih.gov/factsheets/vitaminb12/
  5. UOL Consumida em sushis e temakis, alga combate osteoporose e fortalece cabelo. Acessado em 18/10/2013.
  6. a b c Nelson Pedro (2010) Dieta vegetariana – factos e contradições. Medicina Interna 173 VOL.17 | Nº 3 | JUL/SET 2010 [2]
  7. «B12 in Plant Foods». www.veganhealth.org. Consultado em 25 de maio de 2016 
  8. Takenaka, Shigeo; Sumi (1 de maio de 2001). «Feeding dried purple laver (nori) to vitamin B12-deficient rats significantly improves vitamin B12 status». British Journal of Nutrition. 85 (06): 699–703. ISSN 1475-2662. doi:10.1079/BJN2001352 
  9. Gille, D; Schmid, A (February 2015). "Vitamin B12 in meat and dairy products.". Nutrition Reviews. 73 (2): 106–15. doi:10.1093/nutrit/nuu011. PMID 26024497.
  10. http://ods.od.nih.gov/factsheets/vitaminb12/
  11. Donaldson MS. Metabolic vitamin B12 status on a mostly raw vegan diet with follow-up using tablets, nutritional yeast, or probiotic supplements. Ann Nutr Metab 2000;44:229-234.
  12. Food and Nutrition Board, Institute of Medicine. Dietary Reference Intakes for Thiamin, Riboflavin, Niacin, Vitamin B6, Folate, Vitamin B12, Pantothenic Acid, Biotin, and Choline. Washington, DC: National Academy Press; 1998.
  13. Vidal-Alaball J, Butler CC, Cannings-John R, Goringe A, Hood K, McCaddon A, et al. Oral vitamin B12 versus intramuscular vitamin B12 for vitamin B12 deficiency. Cochrane Database Syst Rev 2005;(3):CD004655. [PubMed abstract]
  14. http://www.vegansociety.com/lifestyle/nutrition/b12.aspx
  15. http://www.petnutri.ufsc.br/material%20curso%20erasmo/Anemia%20-%20B12.pdf
  16. Schwarz, Joachim; Dschietzig, Thomas; Schwarz, Jens; Dura, Andreas; Nelle, Esther; Watanabe, Fumio; Wintgens, Karl Florian; Reich, Michael; Armbruster, Franz Paul (2014). «The influence of a whole food vegan diet with Nori algae and wild mushrooms on selected blood parameters». Clinical Laboratory. 60 (12): 2039–2050. ISSN 1433-6510. PMID 25651739 
  17. http://www.vegansociety.com/lifestyle/nutrition/b12.aspx
  18. Watanabe F (2007). "Vitamin B12 sources and bioavailability". Exp. Biol. Med. (Maywood). 232 (10): 1266–74. doi:10.3181/0703-MR-67. PMID 17959839.
  19. Trucom, Conceição. «Vitamina B12 - importante para vegetarianos e não vegetarianos». Doce Limão