Hikvision

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Hikvision
Sede da Hikvision, em Hangzhou
Razão social Hangzhou Hikvision Digital Technology Co., Ltd.
Empresa pública
Atividade Vigilância por vídeo
Fundação 2001
Fundador(es)
  • HIK Information Technology
  • Gong Hongjia
Sede Hangzhou, China
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s)
  • Chinese Central Government (via China Electronics Technology Group (41.55%)
  • Gong Hongjia (17.09%)
  • Hu Yangzhon (7.07%)
Presidente Chen Zongnian
Vice-presidente Gong Hongjia
Pessoas-chave
  • Hu Yangzhong (diretor)
Empregados 26.330 (2017)
Produtos CCTV and Network Surveillance Systems
Marcas Ezviz
Website oficial cctvhikvision.center

Hangzhou Hikvision Digital Technology Co., Ltd. é uma empresa chinesa parcialmente estatal de equipamentos de vigilância por vídeo para fins civis e militares, com sede em Hangzhou, na China.[1][2] Suas ações de controle pertencem ao governo chinês.[3] Por ter se envolvido em violação dos direitos humanos e preocupações com a segurança, a empresa foi colocada sob sanções do governo dos EUA e está impedida de receber contratos do governo norte-americano.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A Hikvision foi fundada em 2001 por Zhejiang HIK Information Technology Co., Ltd. (chinês simplificado: 浙江海康信息技术股份有限公司), com uma participação de 51%, e Gong Hongjia (chinês simplificado: 龚虹嘉), com uma participação de 13,4%. A Hikvision é uma provedora de soluções IoT com o ramo de vigilância por vídeo como sua atividade principal.[5] A empresa dedica 8% de sua receita anual à pesquisa e desenvolvimento com 40.403 funcionários.[6]

A Hikvision está listada na Bolsa de Valores de Shenzhen desde 2010. A empresa fabrica produtos de vigilância para o mundo inteiro por meio de mais de 2.400 parceiros em 155 países e regiões,[7] e está presente em 18 países ao redor do mundo.[8]

Em outubro de 2016, a empresa fechou um acordo para fazer uso da tecnologia de visão computacional da Movidius.

Acionistas[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado até 31 de dezembro de 2017

A Hikvision foi uma empresa de propriedade da China Electronics Technology HIK Group Co., Ltd. (HIK Group, chinês simplificado: 中电海康集团有限公司), uma subsidiária integral da China Electronics Technology Group, que possui uma participação de 39,59%.[9] A China Electronics Technology Group é uma empresa estatal que pertence e é supervisionada pela Comissão de Supervisão e Administração de Ativos Estatais do Conselho de Estado. A empresa possui uma participação de 1,96% da Hikvision através do seu instituto de pesquisa 52 (chinês simplificado: 中国电子科技集团公司第五十二研究所). O presidente da Hikvision, Chen Zongnian (chinês simplificado: 陈宗年), é também o presidente e secretário do Comitê do Partido do Grupo HIK, e chefe do instituto de pesquisa.

O maior acionista individual da empresa é o vice-presidente Gong Hongjia, com uma participação de 13,4%.[10] O terceiro maior acionista é um fundo de private equity (chinês simplificado: 新疆威讯投资管理有限合伙企业, pinyin: Xīnjiāng Wēixùn), que possui uma participação de 7,09%,[11] ligada ao atual gerente-geral da Hikvision, Hu Yangzhong. De acordo com documentos anteriores, Xinjian Weixun também estava associado a Liu Xiang (chinês simplificado: 刘翔),[12] ex-diretor (de 2015 a março de 2018) e ex-gerente geral adjunto (chinês simplificado: 副总经理) da Hikvision, atual vice-gerente geral do HIK Group, presidente da sua irmã Phenix Optical (SSE).

O quarto maior acionista é outro fundo de private equity (chinês simplificado: 新普康投资有限合伙企业), que tinha uma participação de 2,08%.[13] O fundo era de propriedade parcial da esposa de Gong, Chen Chunmei (chinês simplificado: 陈春梅) e Hu Yangzhong. Hu Yangzhong também possuía uma participação de 1,33%. Em resumo, esses acionistas detinham uma participação combinada de 65,71%. Por último, a Hong Kong Securities Clearing Company possuía uma participação acionária de 9,77%, que foi nomeada pela Shanghai-Hong Kong Stock Connect e pela Shenzhen-Hong Kong Stock Connect .

A Fidelity International também é um grande investidor da empresa.[14]

Mercado[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2019, a Hikvision foi classificada na posição 800º na edição de 2019 da Forbes Global 2000.[15] Em 16 de novembro de 2016, a empresa também era uma constituinte do Índice SZSE 100, um índice da Bolsa de Valores de Shenzhen, bem como dos índices pan-China CSI 300 Index, FTSE China A50 Index e Hang Seng China 50 Index . 

Subsidiárias[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado até 31 de dezembro de 2015
Escritório Ezviz em Hangzhou
  • Hikvision USA (100%)
  • HDT International (100%)
  • Prama Hikvision India Private Limited (58.00%)
  • Hikvision Europe B.V. (100%)
  • Hikvision FZE (100%)
  • Hikvision Singapore (100%)
  • Hikvision South Africa (100%)
  • Hikvision Italy (100%)
  • Hikvision do Brasil Comercio de Equipamentos de Segurança (100%)
  • Hikvision Australia (100%)
  • Hikvision International (100%)
  • Hikvision France (100%)
  • Hikvision Iran (100%)
  • Hikvision Spain (100%)
  • ZAO Hikvision (100%)
  • Hikvision UK (100%)
  • Hikvision Poland (100%)
  • Cooperative Hikvision Europe U.A. (100%)
  • Hikvision Canada (100%)
  • OOO Hikvision (100%)
  • Hikvision Korea (100%)
  • Ezviz (100%)

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Supostas tentativas de ocultar propriedade do governo[editar | editar código-fonte]

A IPVM.com criticou a Hikvision por supostamente ocultar sua propriedade do governo chinês.[16] Jeffrey He, presidente da Hikvision North America, criticou o blogueiro por supostamente buscar ganhos financeiros.[17]

Alan West, em uma entrevista publicada pelo jornal The Times (e republicada pelo The Australian), sugeriu que a propriedade da Hikvision levantava questões éticas e de segurança a respeito dos produtos da Hikvision pelo governo britânico.[18]

Envolvimento nos campos de reeducação de Xinjiang[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2019, o governo dos Estados Unidos começou a se questionar se deveria dar sanções à Hikvision, que o jornal The Nation descreveu como tendo "fornecido milhares de câmeras para monitoramento de mesquitas, escolas e campos de concentração em Xinjiang".[19][20]

O governo dos EUA proibiu a empresa de receber contratos em agosto de 2019 devido a questões de segurança.[21] Em outubro de 2019, a Hikvision foi listada na Lista de Entidades pelo governo dos Estados Unidos por seu papel na vigilância de uigures em Xinjiang e de outras minorias étnicas e religiosas na China.[4][22] Em novembro de 2020, o presidente Donald Trump emitiu uma ordem executiva que proíbe qualquer empresa ou indivíduo norte-americano de possuir ações em empresas que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos listou como tendo ligações com o Exército de Libertação do Povo, que incluía a Hikvision.[23][24]

Em resposta às proibições e sanções, a Hikvision contratou lobistas, incluindo o ex-senador David Vitter.[25]

Referências

  1. «China funded Hikvision's CCTV with eyes across globe». The Australian. 17 de setembro de 2016. Consultado em 16 de novembro de 2016 
  2. Allen-Ebrahimian, Bethany (24 de junho de 2020). «Defense Department produces list of Chinese military-linked companies, 20 years after mandate». Axios (em inglês). Consultado em 24 de junho de 2020 
  3. «2017 Annual Report». www.szse.cn. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  4. a b Shepardson, David (7 de outubro de 2019). «U.S. puts Hikvision, Chinese security bureaus on economic blacklist». Reuters. Consultado em 7 de outubro de 2019 
  5. «Prospectus» 首次公开发行股票招股说明书摘要 (PDF) (em chinês). Hikvision. 13 de maio de 2010. Consultado em 16 de novembro de 2016 – via China Electronics Technology Group website 
  6. «About Hikvision». Bloomberg 
  7. «About Hikvision». Hikvision. Consultado em 12 de março de 2017 
  8. «Global Operations». Hikvision. Consultado em 12 de março de 2017 
  9. 2017 Annual Report. Hikvision. [S.l.: s.n.] 21 de abril de 2018 – via Shenzhen Stock Exchange website 
  10. «One of China's richest men named in Hikvision securities probe». Reuters. 14 Nov 2019 
  11. 2017 Annual Report. Hikvision. [S.l.: s.n.] 21 de abril de 2018 – via Shenzhen Stock Exchange website 
  12. Hikvision (PDF) (em chinês). [S.l.: s.n.] 9 de abril de 2016 – via Shenzhen Stock Exchange 
  13. «2017 Annual Report». www.szse.cn. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  14. «Investor defends backing blacklisted Chinese firm». BBC News (em inglês). 23 de dezembro de 2019. Consultado em 24 de dezembro de 2019 
  15. «Hikvision on the Forbes Global 2000 List». Forbes. Junho de 2019. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  16. «Hikvision And The Chinese Government». IPVM. 7 de dezembro de 2015. Consultado em 7 de outubro de 2016 
  17. Karantzoulidis, Steve (17 de fevereiro de 2017). «Hikvision President Chats With SSI About Cybersecurity, Privacy Concerns». www.securitysales.com. Consultado em 5 de abril de 2017 
  18. «China funded Hikvision's CCTV with eyes across globe». The Australian. 17 de setembro de 2016. Consultado em 16 de novembro de 2016 
  19. «China Undercover» 
  20. Bessner, Daniel; Fish, Isaac Stone (15 de janeiro de 2019). «How the Left Should Respond to Ethnic Cleansing in China» (em inglês). ISSN 0027-8378. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  21. Lohr, Steve (7 de agosto de 2019). «U.S. Moves to Ban Huawei From Government Contracts (Published 2019)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  22. «Addition of Certain Entities to the Entity List». Federal Register. 9 de outubro de 2019. Consultado em 3 de janeiro de 2020 
  23. Pamuk, Humeyra; Alper, Alexandra; Ali, Idrees (12 de novembro de 2020). «Trump bans U.S. investments in firms linked to Chinese military» (em inglês). Reuters. Consultado em 12 de novembro de 2020 
  24. Chen, Shawna. «Trump bans Americans from investing in 31 companies with links to Chinese military». Axios (em inglês). Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  25. Allen-Ebrahimian, Bethany. «Opinion | What a lobbyist's remarks behind closed doors tell you about Chinese money in Washington». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 

Links externos[editar | editar código-fonte]