Hilário Rosário da Conceição

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hilário
Informações pessoais
Nome completo Hilário Rosário da Conceição
Data de nasc. 19 de março de 1939
Local de nasc. Lourenço Marques, Moçambique
Informações profissionais
Posição Defesa
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
Moçambique Sporting Lourenço Marques
Portugal Sporting Portugal
Seleção nacional
Flag of Portugal.svg Portugal

Hilário Conceição de nome completo Hilário Rosário da Conceição MPIHOM (Lourenço Marques, Moçambique, 19 de Março de 1939) foi um antigo jogador de futebol da selecção portuguesa. Jogava na defesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Representou o FC Arsenal, o Atlético de Lourenço Marques, o Sporting de Lourenço Marques e o Sporting. Conquistou uma Taça das Taças, três Campeonatos de Portugal e três Taças de Portugal. Veio de Moçambique uma das figuras mais emblemáticas do Sporting, o seguríssimo defesa Hilário, peça fundamental da selecção nacional dos anos 1960.

A sua agressividade, carácter e entrega ao jogo eram tais que, apesar de não ter grande propensão para utilizar o esquerdo, era praticamente inultrapassável. Hilário não pôde, todavia, dar o seu contributo na final e na finalíssima da Taça das Taças de 1964, pois num lance fortuito, a poucos dias dos encontros da Bélgica, frente ao Vitória de Setúbal, fracturou a tíbia e o perónio.Ficou arredado do momento de glória da Taça que também ajudou a conquistar.

Despediu-se do futebol na final da Taça de 1973, que o Sporting venceu. Após ter abandonado a prática, dedicou-se à carreira de treinador.

Selecção Nacional[editar | editar código-fonte]

Alcançou 39 internacionalizações. A sua estreia como internacional A deu-se ainda no final da década anterior - 11 de Novembro de 1959, num França-Portugal, de carácter particular, que terminou com o triunfo dos gauleses por 5-3.

O grande momento da carreira de Hilário ocorreu no Campeonato do Mundo de 1966, para além dos astros do ataque português, todos eles benfiquistas, foi este defesa-esquerdo que mais conseguiu destacar-se. De tal forma que foi titular indiscutível nos seis jogos e, segundo os especialistas, o jogador nacional que teve um desempenho mais regular em toda a campanha.

A 19 de Dezembro de 1966 foi agraciado com a Medalha de Prata da Ordem do Infante D. Henrique.[1]

Até 17 de Fevereiro de 1971 - dia de um Bélgica-Portugal (3-0) de qualificação para o Europeu de 1972, continuou a ser seleccionado, ao mesmo tempo que a nível clubístico era um jogador imprescindível. Em 1972, com 34 anos, a sua cotação internacional continuava em alta, sendo convocado para uma selecção da Europa, que defrontou a sua congénere da América do Sul, tendo alinhado ao lado de Fachetti e Cruijff.

A 18 de Março de 1989 foi feito Oficial da Ordem do Mérito.[1]

Títulos[editar | editar código-fonte]

  • 3 Campeonatos de Portugal
  • 3 Taças de Portugal
  • 1 Taça das Taças

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Hilário Ros rio da Conceição". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2016-04-07. 
  • A História dos Europeus de Futebol, 2004

Ligações externas[editar | editar código-fonte]