Hino Português

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The start of Adeste Fideles.
A autoria de Adeste Fideles é vulgarmente atribuída a D. João IV, rei de Portugal.

Hino Português é um dos nomes pelo qual é conhecida a famosa composição natalícia "Adeste Fideles" que, embora a sua autoria efetiva seja incerta é vulgarmente atribuída ao rei D. João IV de Portugal.[1]

História do tema[editar | editar código-fonte]

Ao tema natalício Adeste fideles foi dado o nome de Portuguese Hymn (ou Hino Português) em várias publicações inglesas, uma vez que esta composição era cantada na capela da Embaixada de Portugal em Londres, que até à legalização do culto católico em Inglaterra, com a promulgação da Acta de Ajuda Católica de 1829, era um dos únicos locais em que ele podia ser celebrado em território britânico. Vincent Novello (1781–1861), que foi, a partir de 1797, Mestre de Capela e Organista da Capela Portuguesa, publicou em 1811 uma colectânea intitulada "A Collection of Sacred Music, as Performed at the Royal Portuguese Chapel in London" que teve depois grande influência na constituição de um repertório católico inglês, e como “Adeste fideles” estava nela incluído passou a ser conhecido como o Hino Português e assim se foi divulgando no mundo católico internacional. Mais tarde seria incluído, numa versão “pseudo-gregoriana”, no próprio Liber Usualis editado na sequência da reforma litúrgica do Papa Pio X, no início do século XX.

Atribuição da autoria ao rei D. João IV[editar | editar código-fonte]

O Adeste fideles é uma obra composta em harmonia funcional inteiramente tonal, com acompanhamento de baixo contínuo, num estilo, segundo alguns estudiosos da atualidade, considerado como incompatível com a prática musical do tempo do rei D. João IV de Portugal, que morreu em 1656. Não se sabe, por isso, com certezas absolutas quem é o autor do Adeste fideles, mas a natureza da própria música parece indiciar que não poderá ter sido composta antes do último quarto do século XVII e mais provavelmente já em inícios do século XVIII. Vincent Novello, quando publica o seu arranjo dessa obra, atribuiu-a a John Reading, organista do Winchester College que morreu em 1692, mas a primeira versão publicada que se conhece é de John Francis Wade (1711–1786), e sendo Reading protestante e Wade um católico assumido, que se exilou inclusive no Continente por lealdade à causa do Pretendente Stuart, seria mais natural que a Capela da Embaixada Portuguesa adoptasse uma obra sua do que uma da composição de um anglicano.

Embora a autoria desta cantiga de Natal seja contestada na atualidade, popularmente - atendendo ao facto do rei D. João IV de Portugal se tratar do autor nascido em data mais antiga - é considerada que a autoria do tema pertence ao primeiro monarca da Dinastia de Bragança.

Referências

  1. FULD, James J.; The Book of World-famous Music: Classical, Popular, and Folk. New York: Crown Publishers, Inc. (1966).

Ver também[editar | editar código-fonte]