Hino do Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hino do Estado do Pará

Hino do Estado Pará Pará
Letra Artur Teódulo Santos Porto
Composição Nicolino Milano
Adotado 29 de outubro de 1969
Texto original (Wikisource)
Wikisource-logo.svg Hino do estado do Pará

Hino do Pará tem letra de Artur Teódulo Santos Porto (1886 - 1938), música de Nicolino Milano (1876 - 1931), adaptação e arranjo de Gama Malcher. Tornou-se oficial pela emenda constitucional nº 1, de 29 de outubro de 1969.[1]

Simbolismo[editar | editar código-fonte]

A letra é um poema de exaltação ao Pará. Ela fala da beleza natural do Estado, da exuberância de suas matas e flores, dos seus rios, do heroísmo do seu povo e traz uma mensagem de otimismo e esperança para o futuro.[1]

Letra do hino[editar | editar código-fonte]

Letra: Artur Teódulo Santos Porto
Música: Nicolino Milano
Adaptação e arranjo: Gama Malcher[1]

Salve, ó terra de ricas florestas,
Fecundadas ao sol do equador !
Teu destino é viver entre festas,
Do progresso, da paz e do amor!
Salve, ó terra de ricas florestas,
Fecundadas ao sol do equador!
Estribilho

Ó Pará, quanto orgulha ser filho,
De um colosso, tão belo, e tão forte;
Juncaremos de flores teu trilho,
Do Brasil, sentinela do Norte.
E a deixar de manter esse brilho,
Preferimos, mil vezes, a morte!

Salve, ó terra de rios gigantes,
D'Amazônia, princesa louçã!
Tudo em ti são encantos vibrantes,
Desde a indústria à rudeza pagã,
Salve, ó terra de rios gigantes,
D'Amazônia, princesa louçã !

Referências

  1. a b c Hino Oficial do Estado do Pará Governo do Estado do Pará.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]