Hipólito de Médici

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ippolito de' Medici
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo de Avinhão
Retrato do Cardeal Ippolito de 'Medici de Cristofano dell'Altissimo, de 1605
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Avinhão
Nomeação 10 de janeiro de 1529
Predecessor Dom Orlando Carretto della Rovere
Sucessor Dom Alessandro Farnese, Jr.
Mandato 1529 - 1535
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 10 de janeiro de 1529
Nomeado arcebispo 10 de janeiro de 1529
Cardinalato
Criação 10 de janeiro de 1529
por Papa Clemente VII
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santa Praxedes (1529-1532)
São Lourenço em Dâmaso (1535-1535)
Brasão
Coat Cardinal De Medici.svg
Lema Inter Omnes
Dados pessoais
Nascimento Urbino
19 de abril de 1511
Morte Itri
10 de agosto de 1535 (24 anos)
Progenitores Mãe: Pacifica Brandani
Pai: Juliano II de Médici
Sepultado San Lorenzo in Damaso
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Hipólito de Médici (em italiano Ippolito de' Medici), (Urbino, 19 de abril de 1511Itri, Lácio, 10 de agosto de 1535) foi o único filho ilegítimo de Juliano II de Médici.

Seu pai morreu quando ele tinha cinco anos (1516), sendo posteriormente criado por seu tio, o Papa Leão X e seu primo Júlio.

Quando Júlio de Médici foi eleito Papa como Clemente VII, Hipólito governou Florença em seu nome. Depois do cerco a Florença pelo imperador Carlos V (1529-1530), Clemente apoiou o seu outro sobrinho ilegítimo, Alexandre de Médici, fazendo de Hipólito o primeiro arcebispo de Avinhão e, depois, Cardeal de Avinhão (1529), enviando-o como legado papal à Hungria.

Em 1535 foi embaixador de Florença junto do imperador Carlos V.

Hipólito morreu de malária em Itri, no sul do Lácio, embora haja rumores de que tenha sido mandado envenenar por Alexandre, cujos abusos se preperava para denunciar.

Ver também[editar | editar código-fonte]