Hipercapnia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Hipercapnia é o aumento do gás carbônico no sangue arterial que pode ser provocada por uma hipoventilação alveolar (em caso de asfixia, por exemplo). Os hormônios da tireóide aumentam a resposta respiratória à hipercapnia.

Chama-se hipercapnia em medicina ao aumento da pressão parcial de dióxido de carbono (CO2), medida em sangue arterial, acima de 46 mmHg (6,1 kPa). Produz-se uma diminuição do pH devido ao aumento da concentração plasmática de dióxido de carbono. A pressão do CO2 no sangue aumenta (hipercapnia) quando os pulmões estão subventilados. A hipercapnia normalmente ocorre quando os músculos usados na inalação estão muito débeis para ventilar os pulmões adequadamente.

A hipercapnia normalmente desencadeia um reflexo que aumenta a respiração e o acesso ao oxigênio (O 2 </ sub>), como a excitação e a rotação da cabeça durante o sono. Uma falha desse reflexo pode ser fatal, por exemplo, como um fator contribuinte na síndrome da morte súbita infantil.[1]

Referências

  1. Kinney, Hannah C; Thach, Bradley T (2009). «The sudden infant death syndrome». The New England Journal of Medicine. 361 (8): 795–805. PMC 3268262Acessível livremente. PMID 19692691. doi:10.1056/NEJMra0803836 
Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.