Hipertiroidismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hipertiroidismo
A tri-iodotironina (T3, na imagem) e a tiroxina (T4) são as duas formas das hormonas da tiroide.
Classificação e recursos externos
CID-10 E05
CID-9 242.90
DiseasesDB 6348
MedlinePlus 000356
eMedicine med/1109
MeSH D006980
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Hipertiroidismo (português europeu) ou hipertireoidismo (português brasileiro) é a condição que ocorre quando existe produção excessiva de hormonas da tiroide pela glândula tiroide.[1] Tirotoxicose é a condição que ocorre devido à presença excessiva de hormonas da tiroide qualquer que seja a causa, incluindo hipertiroidismo.[1] No entanto, algumas publicações usam os termos indistintamente.[2] Os sinais e sintomas variam entre pessoas e podem incluir irritabilidade, fraqueza muscular, problemas de sono, ritmo cardíaco acelerado, pouca tolerância ao calor, diarreia, aumento de voluma da tiroide e perda de peso. Os sintomas geralmente manifestam-se com menor intensidade em idosos e durante a gravidez.[3] O oposto de hipertiroidismo é hipotiroidismo, que ocorre quando a tiroide não produz hormonas tiroideias em quantidade suficiente.[4]

A doença de Graves é a causa de 50 a 80% dos casos de hipertiroidismo.[3][5] Entre outras possíveis causas estão o bócio multinodular, adenoma tóxico, inflamação da tiroide, a ingestão excessiva de iodo, excesso de hormonas tiroideias sintéticas.[3][6] e, ainda que pouco comum, adenomas da hipófise. O diagnóstico pode ser suspeitado com base nos sintomas e confirmado com análises ao sangue. Geralmente, os resultados das análises revelam hormona estimulante da tiroide (TSH) abaixo do normal e níveis elevados de T3 ou T4. A causa pode ser determinada com a ajuda da medição da absorção de iodo radioativo pela tiroide e pela presença de anticorpos da hormona estimulante da tiroide.[3]

O tratamento depende em parte da causa e da gravidade da doença. Existem três principais opções de tratamento: radioiodoterapia, medicamentos e cirurgia à tiroide. A radioiodoterapia consiste na ingestão por via oral de iodo-131, que se concentra na tiroide e a vai destruindo ao longo de semanas ou meses. O hipotiroidismo que daí resulta é tratado com a administração de hormona tiroideia sintética. Os medicamentos como os betabloqueadores podem controlar os sintomas, enquanto os antitiroideos como o metimazol permitem aliviar os sintomas enquanto outros tratamentos não fazem efeito. A opção de remoção cirúrgica da tiroide pode ser considerada em casos de tiroides muito aumentadas ou quando existe um risco acrescido de cancro.[3] O hipertiroidismo pode resultar numa complicação rara denominada tempestade tiroideia, na qual um evento como uma infeção provoca o agravamento dis sintomas, como confusão e hipertermia, e muitas vezes a morte.[6]

Nos Estados Unidos, o hipertiroidismo afeta cerca de 1,2% da população.[1] A doença é entre duas a dez vezes mais comum entre mulheres do que homens.[3] Aparece geralmente entre os 20 e os 50 anos de idade,[6] e é mais comum entre pessoas com mais de 60 anos.[3]


Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Exoftalmia, um sintoma característico de hipertiroidismo.

A tireotoxicose e o hipertireoidismo podem ser assintomáticos, mas quando não o são, os sintomas são devido a um excesso de T3, que estimula em excesso o metabolismo e exacerba os efeitos do sistema nervoso simpático, causando aceleração de vários sistemas corporais e sintomas que se parecem como uma sobredose de epinefrina (adrenalina). Pode ocorrer uma variedade de manifestações clínicas como[7]:

Nem todos sintomas são perceptíveis, mas tendem a piorar enquanto a quantidade de hormônio for excessiva.

Causas[editar | editar código-fonte]

As principais causas do hipertireoidismo são[8]:

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

É necessária a dosagem dos níveis de hormônio estimulante da tireoide (TSH,) T3 e T4 no sangue. É comum o achado de níveis baixos de TSH associado a níveis normais de T4 (hipertiroidismo subclínico). No caso de hipertiroidismo por aumento de secreção de TSH (hipertiroidismo central, ou hipofisário) encontram-se níveis altos de T4 associado a níveis normais ou altos de TSH.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Medicamentos antitireoidianos podem inibir a produção de hormônios da tiroide, por exemplo o carbimazol, o metimazol e o propiltiouracil. Alternativas incluem cirurgia para extrair parte ou quase toda a tireoide (tiroidectomia), o uso de betabloqueadores e o uso de iodo radioativo (I-131) para inibir a atividade da glândula (tratamento usado há mais de 60 anos com bons resultados).[10]

O uso de colírio anti-inflamatório e lubrificante pode amenizar os olhos saltados. Parar de fumar é essencial nesse tratamento. Casos graves podem exigir cirurgia para descompressão dos nervos e artérias oculares.

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

É 3 vezes mais comum em mulheres, afetando 1 em cada 1000 mulheres e 3 em cada 10.000 homens. Dependendo do tipo pode ser mais comum depois dos 30, 40 ou 50 anos.[11]

Em gatos[editar | editar código-fonte]

É comum em gatos idosos, afetando cerca de 2% dos gatos com mais de 10 anos. Geralmente é causado por um tumor benigno [12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Bahn Chair, RS; Burch, HB; Cooper, DS; Garber, JR; Greenlee, MC; Klein, I; Laurberg, P; McDougall, IR; Montori, VM; Rivkees, SA; Ross, DS; Sosa, JA; Stan, MN (Junho de 2011). «Hyperthyroidism and other causes of thyrotoxicosis: management guidelines of the American Thyroid Association and American Association of Clinical Endocrinologists.». Thyroid. 21 (6): 593–646. doi:10.1089/thy.2010.0417. PMID 21510801 
  2. Erik D Schraga (30 de maio de 2014). «Hyperthyroidism, Thyroid Storm, and Graves Disease». Consultado em 20 April 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. a b c d e f g «Hyperthyroidism». www.niddk.nih.gov. Julho de 2012. Consultado em 2 de abril de 2015 
  4. NIDDK (March 13, 2013). «Hypothyroidism». Consultado em 20 April 2015  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  5. Brent, Gregory A. (12 de junho de 2008). «Clinical practice. Graves' disease». The New England Journal of Medicine. 358 (24): 2594–2605. doi:10.1056/NEJMcp0801880. ISSN 1533-4406. PMID 18550875 
  6. a b c Devereaux, D.; Tewelde, SZ. (May 2014). «Hyperthyroidism and thyrotoxicosis.». Emerg Med Clin North Am. 32 (2): 277–92. doi:10.1016/j.emc.2013.12.001. PMID 24766932  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. http://www.mayoclinic.com/health/hyperthyroidism/DS00344/DSECTION=symptoms (em inglês)
  8. http://www.mayoclinic.com/health/hyperthyroidism/DS00344/DSECTION=causes (em inglês)
  9. http://www.endocrineweb.com/conditions/hyperthyroidism/hyperthyroidism-overactivity-thyroid-gland-0
  10. http://www.mayoclinic.com/health/hyperthyroidism/DS00344/DSECTION=treatments-and-drugs (em inglês)
  11. https://www.clinicalkey.com/topics/endocrinology/hyperthyroidism.html (em inglês)
  12. Shomon, Mary (2004). "Feline Hyperthyroidism: Frequently Asked Questions, Information About Overactive Thyroid Conditions in Cats". Retrieved 24 June 2009. (em inglês)