Hisahito de Akishino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Príncipe Hisahito Akishino
Príncipe do Japão
O príncipe Hisahito com sua família em 2013.
Casa Casa Imperial do Japão
Nome completo
悠仁親王
Nascimento 6 de setembro de 2006 (12 anos)
  Aiiku Hospital, Tóquio, Japão
Pai Príncipe Fumihito Akishino
Mãe Princesa Kiko Akishino
Religião Xintoísmo
Casa Imperial do Japão
Dinastia Yamato
Imperial Seal of Japan.svg


SAI a Princesa Mikasa

Hisahito Akishino (悠仁親王 Hisahito shinnō, em japonês; 6 de setembro de 2006 (12 anos) é o filho caçula do príncipe Fumihito, Príncipe Akishino e da princesa Kiko Akishino, o neto[1] mais novo do imperador Akihito[2] e da imperatriz Michico, o terceiro[3] na linha de sucessão para se tornar Imperador do Japão, depois de seu tio, Naruhito e seu pai, Fumihito.

Nascimento[editar | editar código-fonte]

Hisahito foi o primeiro filho do sexo masculino[4] nascido na Casa Imperial do Japão desde o seu pai em 1965, por um intervalo de 41 anos.

O príncipe nasceu às 8:27 da manhã (horário oficial de Tóquio), de parto cesariano no Hospital Aiiku.[5] Ele pesava 2,556 kg. Sua mãe tinha sido diagnosticada com placenta prévia, e por isso ele nasceu duas semanas antes do esperado. Hisahito é o primeiro menino que nasceu na família imperial japonesa em mais de quarenta anos; o último tinha sido seu pai.

Em janeiro de 2007, o Primeiro-Ministro do Japão, Shinzō Abe, anunciou que iria vetar uma proposta de lei que pretendia alterar uma lei imperial de modo a permitir que mulheres japonesas pudessem ascender ao trono de Imperador do Japão. A proposta de lei foi feita com base no fato de que os dois filhos do imperador Akihito não tinham, na época em que a lei foi escrita, filhos homens. Devido ao nascimento do futuro novo príncipe herdeiro Hisahito, se tornou improvável que as leis imperiais sejam alteradas para permitir que a prima dele, a princesa Aiko, a única filha de Naruhito, venha a se tornar a futura "Imperatriz".

Mesmo com o nascimento de Hisahito,as polêmicas sobre as regras de sucessão no país continuam.Os defensores das mudanças legais criticaram a lei imperial atual, em pontos, por exemplo, que colocam um fardo sobre os poucos homens nobres idosos[6] remanescentes na Casa Imperial do Japão, pois as mulheres são obrigadas a deixar a família imperial para se casarem, ou quando se tornam viúvas não podem se casar novamente com plebeus.

Nome[editar | editar código-fonte]

Seu nome pessoal, Hisahito, neste caso significa "sereno e virtuoso", de acordo com a Agência do Interior Imperial. Uma tradução alternativa é "virtuoso, calma e eterno". Seu nome foi escolhido por seu pai, e a crista da família Akishino usado marcar seus pertences é a árvore koyamaki (guarda-chuva japonês).

Hisahito é também carinhosamente chamado por seu apelido, Yuyu.

Emblema[editar | editar código-fonte]

O emblema imperial usado para marcar as possessões do pequeno príncipe é a árvore Koyamaki, escolhida por sua mãe, a princesa Kiko, que ofereceu como doação o sangue do cordão umbilical de Hisahito à rede de banco de sangue de cordão umbilical japonesa, para o público geral e não para uso privado.

Educação[editar | editar código-fonte]

Com o aumento da popularidade do jovem príncipe, tem sido relatado que muitos de suas colegas de classe, presumivelmente jovens de sua faixa etária, estão falando abertamente sobre a ideia de se tornar sua princesa.

O príncipe Hisahito não é fofo?

Você acha que é muito cedo para que as meninas pensem em se tornar sua princesa?[8]

Parece bastante apropriado que o príncipe tenha se ajustado bem em participar de uma escola primária, apesar de algumas preocupações iniciais de que ele seria isolado devido à sua estatura. Ele se tornou o primeiro príncipe real a ser educado fora da escola Gakushuin tradicional, que educou apenas crianças aristocráticas.

Acidente de carro[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2016, o príncipe e sua mãe sofreram um acidente de carro, no qual nenhum dos dois se machucou.[9]

O acidente teve uma gigantesca repercussão no Japão devido a Hisahito ser o único menino na linha de sucessão ao trono, que só permite a ascensão de homens.[10]

Ele é o terceiro na linha de sucessão, atrás de seu tio Naruhito e de seu pai, e a garantia do futuro do Trono do Crisântemo.[11]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

Hisahito é denominado como "Sua Alteza Imperial Príncipe Hisahito Akishino".

De acordo com a tradição, às vezes ele é chamado de "Akishino Jr." (秋 篠若 宮 Akishino wakamiya)

Estilo de tratamento de
Príncipe Hisahito de Akishino
Japanese Crest of Akisino no miya.svg

Estilo Sua Alteza Imperial
Estilo alternativo Senhor

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • «Japan is introduced to Prince Hisahito - Asia - Pacific - International Herald Tribune». The New York Times (em inglês). 15 de setembro de 2006. ISSN 0362-4331 
  • «Prince Hisahito turns 10 as interest in Imperial family surges amid Emperor's abdication discussions». The Japan Times Online (em inglês). 6 de setembro de 2016. ISSN 0447-5763 
  • «Prince Hisahito, third in line to throne, turns 11». The Japan Times Online (em inglês). 6 de setembro de 2017. ISSN 0447-5763 
  • Yamamoto, Daisuke (14 de setembro de 2006). «Preparing young Prince Hisahito for the throne». The Japan Times Online (em inglês). ISSN 0447-5763 
  • «愛育病院». www.aiiku.net (em japonês). Consultado em 30 de outubro de 2017. 
  • «Prince Hisahito stalls reform in an aging Japanese dynasty - Hoy San Diego». www.sandiegouniontribune.com (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2017. 
  • お茶の水女子大学. «お茶の水女子大学/ホーム». www.ocha.ac.jp (em japonês). Consultado em 30 de outubro de 2017. 
  • «Japan's young royal prince Hisahito is gaining fans of his own». DramaFever News (em inglês) 
  • Matos, Rachel (20 de novembro de 2016). «Princesa Kiko e Príncipe Hisahito se envolvem em acidente de carro». IPC DIGITAL 
  • «¿Por qué el accidente de Hisahito ha asustado tanto a Japón?». ELMUNDO 
  • «Hisahito, o príncipe que veio salvar a velha dinastia japonesa | VEJA.com». VEJA.com. 7 de setembro de 2016