Hisahito de Akishino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hisahito
Príncipe do Japão
O príncipe Hisahito em 2013.
Casa Yamato
Nome completo Hisahito (悠仁)
Nascimento 6 de setembro de 2006 (14 anos)
  Tóquio, Japão
Pai Fumihito, Príncipe Herdeiro do Japão
Mãe Kiko, Princesa Herdeira do Japão
Religião Xintoísmo

O Príncipe Hisahito (em japonês: 悠仁; Tóquio, 6 de setembro de 2006) é o filho mais novo e único varão do príncipe Fumihito, Príncipe Akishino e da princesa Kiko, Princesa Akishino. Ele é sobrinho do atual imperador Naruhito do Japão e pela atual lei, é o segundo na linha de sucessão ao trono japonês, depois apenas de seu pai.[1][2][3]

Ele tem duas irmãs mais velhas, que são as princesas Mako e Kako.

Nascimento e apresentação no templo[editar | editar código-fonte]

O príncipe nasceu em 06 de setembro de 2006, às 8:27 da manhã (horário oficial de Tóquio), de parto cesariano no Hospital Aiiku.[4] Ele pesava 2,556 kg. Sua mãe tinha sido diagnosticada com placenta prévia, e por isso ele nasceu duas semanas antes do esperado.

Ele foi o primeiro filho do sexo masculino[5] nascido na Casa Imperial do Japão desde o seu pai em 1965.

Hisahito foi apresentado no templo num tradicional rito xintoísta para os recém-nascidos, chamado Kyuchu Sanden, no dia 14 de setembro. [6]

A questão da sucessão[editar | editar código-fonte]

Sem um herdeiro masculino novo na linha de sucessão ao trono japonês até 2005, a Lei Sálica Imperial Japonesa não permite que mulheres se tornem monarcas reinantes, o anúncio da chegada de Hisahito significou um alívio para o tradicionalistas Japão, tanto que meses após o nascimento do príncipe, em janeiro de 2007, o então Primeiro-Ministro do Japão, Shinzō Abe, anunciou que iria vetar uma proposta de lei que pretendia alterar a Lei Imperial para permitir que as mulheres também pudessem ascender ao trono como Imperatrizes reinantes do Japão. A proposta de lei havia sido feita com base no fato de que nenhum dos dois filhos do imperador Akihito tinha, na época em que foi escrita, filhos homens; e o até então príncipe herdeiro Naruhito tem apenas uma única filha mulher: a princesa Aiko, Princesa Toshi.[7]

Porém, após o nascimento de Hisahito, se tornou improvável que a Lei Imperial seja alterada para permitir que a prima dele, a princesa Aiko, a única filha de Naruhito, venha a se tornar a futura "Imperatriz Reinante" do Japão. A mesma lei também impede que os filhos varões de nascidas princesas japonesas ascendam ao trono do Japão e estipula que as princesas japonesas percam o seu título imperial e a sua posição na Casa Imperial do Japão em caso de se casarem com plebeus.

Os que criticam a atual lei dizem que ela coloca um fardo sobre os poucos homens remanescentes na Casa Imperial do Japão, já que atualmente apenas Hisahito é um varão com possibilidades de ascender ao trono e deixar descendentes e, após ele, em 3º lugar na linha de sucessão ao trono japonês, está seu tio-avô de mais de 85 anos, o Príncipe Hitachi, que sequer teve filhos. Depois de Hitachi haveria o príncipe Tomohito de Mikasa e o príncipe Norihito, mas ambos só tiveram filhas mulheres. [8]

Grande parte da população japonesa é adepta a mudança da lei da linha de sucessão ao trono japonês, para dar pleno direito ao primogénito do príncipie-herdeiro ser o herdeiro aparente ao trono independente de gênero e também dar as princesas japonesas e aos seus descendente para assumirem ao trono japonês.

Em novembro de 2020, foi escrito: "A nova geração da família imperial do Japão conta apenas com quatro elementos, três mulheres [Aiko, Mako e Kako] e um único homem [Hisahito], pelo que, se a lei não for mudada, o futuro de Hisahito não será fácil", escreveu a revista Caras de Portugal.[8]

Nos "ombros de Hisahito está depositado o futuro da monarquia", escreveu o R7 em outubro de 2019, enfatizando em seu título que o "futuro da dinastia imperial do Japão depende de menino de 13 anos".[9]

Em novembro de 2020, o Japan Time escreveu que a monarquia do Japão era "frágil".[10]

Nota: consulte o artigo Linha de sucessão ao trono japonês

Nome[editar | editar código-fonte]

O seu nome pessoal, Hisahito, significa "sereno e virtuoso", de acordo com a Agência do Interior Imperial. Uma tradução alternativa é "virtuoso e calmo".

O seu nome foi escolhido por seu pai e a crista da família Akishino usado para marcar os seus pertences é a árvore koyamaki (guarda-chuva japonês).

Hisahito é também carinhosamente chamado por seu apelido: "Yuyu" em situações informais pela família e os amigos íntimos.

Emblema[editar | editar código-fonte]

O emblema imperial usado para marcar as possessões do pequeno príncipe é a árvore Koyamaki, escolhida por sua mãe, a princesa Kiko, que ofereceu como doação o sangue do cordão umbilical de Hisahito à rede de banco de sangue de cordão umbilical japonesa, para o público geral e não para uso privado.

Educação[editar | editar código-fonte]

Hisahito formou-se na Ochanomizu University Elementary School em março de 2019 e ingressou na Ochanomizu University Junior High School em abril de 2019. [11] [12]

Aparições públicas[editar | editar código-fonte]

Já são tradicionais as fotos de Hisahito, tiradas com a família, por ocasião de seu aniversário. Além disto, o príncipe participa de algumas atividades com os pais, como no caso de uma viagem ao Butão em 2019, no que foi considerada a sua primeira viagem oficial para o exterior.[13][14]

Acidente de carro[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2016, o príncipe e sua mãe sofreram um acidente de carro, no qual nenhum dos dois se machucou.[15]

O acidente teve uma gigantesca repercussão no Japão devido a Hisahito ser o único novo varão remanescente na linha de sucessão ao trono japonês.[16]

Estilo de tratamento de
Príncipe Hisahito de Akishino
Japanese Crest of Akisino no miya.svg

Estilo Sua Alteza Imperial
Tratamento direto {{{directo}}}
Estilo alternativo Senhor

Após a renúncia de seu avô Akihito em 30 de abril de 2019, ele passou a ser o segundo na linha de sucessão ao trono japonês sob a atual lei japonesa, atrás apenas de seu pai, e a garantia do futuro do Trono do Crisântemo.[17]

Ameaça[editar | editar código-fonte]

Em 26 de abril de 2019, um professor encontrou duas facas com lâminas de 11cm presas com fita em cima da mesa de Hisahito na escola onde ele estuda. A polícia foi chamada e após investigações, Kaoru Hasegawa, um morador de Kyoto de 57 anos de idade, foi preso e condenado. Hasegawa havia usado uma tesoura de podar para cortar o cabo das câmeras de segurança e entrado na escola disfarçado de empreeiteiro. Preso, ele admitiu que era contra a Casa Imperial do Japão e que pretendia esfaquear Hisahito.[18][19][20]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

Desde o nascimento, ele detém o tratamento de "Sua Alteza Imperial", acompanhado com o título de príncipe oficialmente.

  • 06 de setembro de 2006 — 30 de abril de 2019: Sua Alteza Imperial O Príncipe Hisahito de Akishino
  • 30 de abril de 2019 — presente: Sua Alteza Imperial O Príncipe Hisahito

Referências

  1. «Japan is introduced to Prince Hisahito - Asia - Pacific - International Herald Tribune». The New York Times (em inglês). 15 de setembro de 2006. ISSN 0362-4331 
  2. «Prince Hisahito turns 10 as interest in Imperial family surges amid Emperor's abdication discussions». The Japan Times Online (em inglês). 6 de setembro de 2016. ISSN 0447-5763 
  3. «Prince Hisahito, third in line to throne, turns 11». The Japan Times Online (em inglês). 6 de setembro de 2017. ISSN 0447-5763 
  4. «愛育病院». www.aiiku.net (em japonês). Consultado em 30 de outubro de 2017 
  5. Yamamoto, Daisuke (14 de setembro de 2006). «Preparing young Prince Hisahito for the throne». The Japan Times Online (em inglês). ISSN 0447-5763 
  6. «G1 > Mundo - NOTÍCIAS - Príncipe Hisahito é apresentado no templo do Palácio Imperial». g1.globo.com. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  7. «Hisahito, o príncipe que veio salvar a velha dinastia japonesa». VEJA. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  8. a b «Caras | Governo japonês estuda solução para que princesas não percam o estatuto ao casarem-se com plebeus». Caras. 30 de novembro de 2020. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  9. «Futuro da dinastia imperial do Japão depende de menino de 13 anos». R7.com. 18 de outubro de 2019. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  10. Ruoff, Kenneth (6 de novembro de 2020). «Japan's fragile monarchy». The Japan Times (em inglês). Consultado em 30 de novembro de 2020 
  11. お茶の水女子大学. «お茶の水女子大学/ホーム». www.ocha.ac.jp (em japonês). Consultado em 30 de outubro de 2017 
  12. «Suas Altezas Imperiais, o Príncipe Herdeiro e a Princesa Herdeira Akishino e sua família». Kunaicho. 1 de abril de 2019. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  13. «Caras | Príncipe Hisahito, herdeiro do trono do Japão, faz a sua primeira viagem oficial». Caras. 19 de agosto de 2019. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  14. «Nuevos retratos oficiales de Hisahito de Japón por su 14.º cumpleaños». HOLA (em espanhol). 8 de setembro de 2020. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  15. Matos, Rachel (20 de novembro de 2016). «Princesa Kiko e Príncipe Hisahito se envolvem em acidente de carro». IPC DIGITAL 
  16. «¿Por qué el accidente de Hisahito ha asustado tanto a Japón?». ELMUNDO 
  17. «Hisahito, o príncipe que veio salvar a velha dinastia japonesa | VEJA.com». VEJA.com. 7 de setembro de 2016 
  18. «Polícia japonesa investiga descoberta de facas em escola do príncipe Hisahito». www.efe.com. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  19. NEWS, KYODO. «Man found guilty over knife incident at Japanese prince's school». Kyodo News+. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  20. Mcfadden, Brendan (8 de maio de 2019). «School intruder admits he 'intended to stab' Japenese Prince». Mail Online. Consultado em 30 de novembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]