História de Aparecida de Goiânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto História.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

Para formação do patrimônio da igreja, José Cândido de Queirós e sua mulher D. Maria Elias de Jesus, fizeram doação de 2 alqueires de terras a Mitra Arquidiocesana de Goiás. Conforme Escritura Pública de doação lavra­da em 18 de março de 1922 pelo lº Tabelião do extinto Termo de Campinas, Clemente Rochedo de Abreu, levado ao Cartório de Registro de Imóveis da 3e circunscrição de Goiânia pelo oficial do Registro de Imóveis Maria Alice Coutinho Seixo de Britto, no Livro 3-Qi fls. 243 sob o nº. 22.586. Abrão Lourenço de Carvalho e sua mulher Amônia Maria de Jesus, Antônio Barbosa Sandoval e sua mulher Bárbara Thomásia de Jesus doa­ram em conjunto mais dois alqueires de terras com partes iguais de um alqueire cada uma, cuja escritura foi lavrada em 18 de novembro de 1925 e registrada no mesmo Cartório sob o nº 22.585, no mesmo livro e folhas, não havendo registro de qualquer outra doação que não sejam as citadas.

No dia 3 de maio de 1922 foi levantada uma cruz de aroeira construída e oferecida por Aristídes Frutuoso, celebrando-se neste mesmo dia, a pri­meira missa campal rezada por sacerdote vindo da cidade de Goyaz.

Provisoriamente serviu de capela um rancho de folhas de bacuri, sen­do a primeira festa realizada no dia 11 de maio de 1922 e, no mesmo ano foi iniciada a construção da igreja definitiva como auxílio do povo.

Tanto a cruz como a igreja edificada ainda permanecem no mesmo local como testemu­nhas históricas do nascimento do povoado.

O Município de Aparecida de Goiânia se chamou, ainda como povoado, Aparecida, nome derivado da padroeira do lugar, Nossa Senhora Aparecida. Em 1958, a Lei Municipal n. 1295 alterou-lhe o nome para Vila Aparecida de Goiás, e restaurou a condição de Distrito, sendo a derivação implícita. Ainda em 1958, a Lei Municipal n. 1.406, de 26 de dezembro, fixou-lhe o nome de Goialândia, formado de Goia de Goiânia e Lândia de Hidrolândia, o que indica Vila situada entre os municípios de Goiânia e Hidrolândia. O nome "Goialândia" porém não foi aceito por parte dos seus moradores, permanecendo o anterior.

A Lei Estadual n. 4.927, de 14 de novembro de 1963 eleva à categoria de Município o Distrito, modificando-lhe o nome para Aparecida de Goiânia, já com foros de cidade, que pode ser dada como cidade que nasceu de Goiânia.

Os primórdios da evolução social do pequenino povoado repousam na capelinha Nossa Senhora Aparecida.

Local onde os moradores de então pratica­vam o culto religioso àquela que seria mais tarde consagrada a padroeira do lugar.

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Por força do Decreto Estadual n. 1 227, de 2 de agosto de 1935, o território do município de Campinas (hoje o mais populoso bairro de Goiânia), integrou-se na formação do município de Goiânia e, com ele, o povoado de Aparecida.

Em virtude do Decreto-Lei Estadual n. 1.233, de 31 de outubro de 1938, que fixou a divisão territorial do Estado, em vigor no qüinqüênio 1939 a 1943, o seu território foi adquirido pelo Distrito de Goiânia, voltando, conseqüentemente, à condição de Povoado, ficando assim aglutinado até 1958.

Pela Lei Municipal n. 1.295, de 19 de dezembro de 1958, foi devolvi­do ao povoado à condição de vila, restaurando o Distrito, denominando-o Aparecida de Goiás.

Pela Lei Municipal n. 1406, de 26 de dezembro de 1958, foi o Distri­to denominado "Goialândia".

Pela Lei Estadual n. 4927, de 14 de novembro de 1963, foi o Distrito elevado à categoria de Município, tendo a sede a denominação de Aparecida de Goiânia, com apenas o Distrito da sede, e a mesma área territorial desmembrada de Goiânia.

Atualmente, o município é formado pela sede municipal, o Distrito de Vila Brasília, cuja denominação foi modificada por lei como "Distrito de Nova Brasília", nome desconhecido pela população.