Hiyō (porta-aviões)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Hiyō
Japanese aircraft carrier Hiyo.jpg
Carreira  Japão
Nome SS Izumo Maru
Proprietário Nippon Yusen Kaisha
Fabricante Kawasaki
Batimento de quilha 30 de novembro de 1939
Número do casco 660
Destino Comprado pela Marinha
Imperial Japonesa em 1941
Carreira  Japão
Nome Hiyō
Operador Marinha Imperial Japonesa
Aquisição 10 de fevereiro de 1941
Lançamento 24 de junho de 1941
Comissionamento 31 de julho de 1942
Estado Naufragado
Destino Afundado na Batalha do Mar das
Filipinas
em 20 de junho de 1944
Características gerais
Tipo de navio Porta-aviões
Classe Hiyō
Deslocamento 24 150 t (padrão)
Maquinário 2 turbinas a vapor
6 caldeiras
Comprimento 219,32 m
Boca 26,7 m
Calado 8,15 m
Propulsão 2 hélices
- 56 250 cv (41 400 kW)
Velocidade 25,5 nós (47,2 km/h)
Autonomia 11 700 milhas náuticas a 18 nós
(21 700 km a 33 km/h)
Armamento 12 canhões de 127 mm
24 canhões de 25 mm
Blindagem Cinturão: 50 mm
Aeronaves 53
Tripulação 1 187 a 1 224

O Hiyō (飛鷹?) foi um navio porta-aviões operado pela Marinha Imperial Japonesa e a primeira embarcação da Classe Hiyō, seguido pelo Jun'yō. Sua construção começou em novembro de 1939 nos estaleiros da Kawasaki em Kobe como o transatlântico SS Izumo Maru (SS出雲丸?), porém foi comprado pela Marinha Imperial em fevereiro de 1941 para conversão. Foi lançado ao mar em junho de 1941 e comissionado na frota japonesa em julho do ano seguinte.[1] Ele era capaz de transportar 53 aeronaves,[2] era armado com uma bateria antiaérea de canhões de 127 a 25 milímetros,[3] tinha um deslocamento de mais de 24 mil toneladas e conseguia alcançar uma velocidade máxima de 25 nós.[4]

O Hiyō entrou em serviço no meio da Segunda Guerra Mundial e foi inicialmente designado para apoiar operações relacionadas com a Batalha de Guadalcanal. Suas aeronaves foram transferidas para bases terrestres em abril de 1943 para ações de bombardeamento no Sudoeste do Pacífico, enquanto em junho o porta-aviões foi torpedeado e precisou passar três meses em reparos. A embarcação passou os seis meses seguintes transportando aeronaves e realizando treinamentos. O Hiyō participou da Batalha do Mar das Filipinas em 20 de junho de 1944, quando afundou por uma explosão de vapores de combustível liberados pelo acerto de um torpedo norte-americano horas antes.[5]

Referências

  1. Lengerer & Rehm-Takahara 1985, pp. 17, 106–107
  2. Lengerer & Rehm-Takahara 1985, p. 111
  3. Lengerer & Rehm-Takahara 1985, pp. 188, 193
  4. Lengerer & Rehm-Takahara 1985, pp. 107, 189–190
  5. Tully, Anthony P.; Casse, Gilbert (5 de abril de 2013). «IJN Hiyo: Tabular Record of Movement». Combined Fleet. Consultado em 2 de maio de 2021 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Lengerer, Hans; Rehm-Takahara, Tomoko (1985). «The Japanese Aircraft Carriers Junyo and Hiyo». In: Lambert, Andrew. Warship IX. Londres: Conway Maritime Press. ISBN 978-0-85177-403-9 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Porta-aviões é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.