Hoje É Dia de Maria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hoje é Dia de Maria
Informação geral
Formato Minissérie
Gênero Drama
Fantasia
Musical
Duração (40 minutos Aproximado)
Criador(es) Luiz Fernando Carvalho
Baseado em contos populares de Câmara Cascudo, Mário de Andrade e Sílvio Romero
País de origem Brasil Brasil
Idioma original (Português)
Produção
Diretor(es) Luiz Fernando Carvalho
Roteirista(s) Luiz Fernando Carvalho
Luis Alberto de Abreu
Carlos Alberto Soffredini
Narrador(es) Laura Cardoso
Elenco Carolina Oliveira
Letícia Sabatella
Rodrigo Santoro
Fernanda Montenegro
Stênio Garcia
Osmar Prado
Tema de abertura "Que Lindos Olhos Tem Você" (Instrumental)
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Transmissão original 11 de janeiro - 21 de janeiro de 2005
N.º de temporadas 2
N.º de episódios 8
Cronologia
Hoje é Dia de Maria - 2ª Jornada

Hoje é Dia de Maria é uma minissérie brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 11 a 21 de janeiro de 2005, em 5 capítulos, com criação, direção e roteiro assinados por Luiz Fernando Carvalho[1] e colaboração de Luis Alberto de Abreu e Carlos Alberto Soffredini, a partir de uma seleção de contos retirados da oralidade popular brasileira, recolhidos pelos escritores Câmara Cascudo, Mário de Andrade e Silvio Romero.[2]

Comparada a outro trabalho do diretor, Lavoura Arcaica, por ter uma linguagem inovadora na televisão, chamou a atenção da crítica e do público pela linguagem diferenciada, teatral e lúdica e por transpor o universo de cultura popular para uma sofisticada produção televisiva, sem tirar sua autenticidade.[3] [4] A minissérie teve uma sequência, intitulada Hoje É Dia de Maria - Segunda Jornada e apresentada na semana da criança, em outubro do mesmo ano.[5]

Produção[editar | editar código-fonte]

Foi um projeto de doze anos, idealizado pelo diretor Luiz Fernando Carvalho, e que virou realidade na comemoração dos 40 anos da Rede Globo. A trama recorreu a elementos folclóricos presentes em contos populares de Câmara Cascudo, Mário de Andrade e Sílvio Romero e na obra do dramaturgo Carlos Alberto Soffredini para contar a fábula de Maria, uma garota órfã que é perseguida pela madrasta.[6][7]

A minissérie foi concebida sob um domo de 360º, sucata do palco de show de rock. Teve trilha sonora assinada por Tim Rescala, concebida a partir de cirandas de Villa-Lobos, César Guerra-Peixe e Francisco Mignone, e parte dos figurinos foram criados pelo estilista Jum Nakao.[8]

A produção de arte precisou envelhecer todos os objetos usados em cena ou adequá-los à linguagem estética da minissérie. Foram criados desde folhas de milho a estandartes de festas populares. O artista plástico Raimundo Rodriguez criou objetos especiais importantes na narrativa, como coroas, adereços de cabeça, carroças e gaiolas. A minissérie reuniu também profissionais do grupo de teatro de bonecos Giramundo, responsáveis pela construção do clima lúdico da história. As equipes de arte, figurino e iluminação trabalharam com a ideia de reaproveitar materiais. Tudo foi feito de forma quase artesanal. Entre os muitos bonecos criados para a produção, o Pássaro (Rodrigo Santoro), par romântico da heroína da minissérie, foi o que mais de destacou. Sua confecção exigiu um verdadeiro trabalho de equipe dos integrantes do teatro Giramundo. Além disso, o pássaro ainda passou pelas mãos do artista plástico Raimundo Rodriguez, que trabalhou com metal, material não utilizado em marionetes, para o acabamento final. O objetivo era transformar o pássaro em uma figura mítica. Todos os elementos do pássaro, que pesava 12kg, eram manipulados através de 20 fios. Foram necessários mais de dois meses para que o produto final fosse finalmente construído. As 60 marionetes que representavam os animais foram produzidas pelo Grupo Giramundo, de Minas Gerais.[9]

Em 2005, o roteiro da produção e da sequência foi editado em livro pela Editora Globo.[10] Em dezembro de 2006, Hoje é Dia de Maria foi lançada em DVD, em três discos, que contém a íntegra das duas jornadas.[11]

Exibição[editar | editar código-fonte]

Em 2015, a minissérie foi reexibida como telefilme em comemoração aos 50 anos da emissora Rede Globo, no especial "Luz, Câmera, 50 Anos", sendo exibida em duas partes, nos dias 2 e 4 junho de 2015. Foi a última minissérie exibida na segunda temporada do especial Luz, Câmera, 50 Anos.[12]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A fábula infantil de uma menina órfã de mãe, cuja madrasta a seduziu com favos de mel para depois lhe dar o fel. Sua madrasta a enterrou nas terras do pai viajante e lá cresceu um capim muito verde. Quando o pai retornou, ao passar por aquele terreno, ouviu o canto da menina e a desenterrou, ressuscitando-a. Cansada do inferno no lar, causado pela madrasta, Maria foge em busca das franjas do mar, e faz um longo passeio pelos contos populares brasileiros. Em sua viagem, se encontra com vários personagens fantásticos e é amparada pela imagem de Nossa Senhora da Conceição, que dá alento. Ao defender o amigo Zé Cangaia do demônio Asmodeu, que queria lhe comprar a sombra, Maria desafia o Diabo, que, irado, lhe rouba a infância. De um dia para o outro, Maria acorda já adulta, e conhece o seu amado, um jovem vítima de uma maldição: durante a noite é homem, mas ao raiar do dia é transformado num pássaro que sempre a seguiu e protegeu desde menina. O amor de Maria tem dois inimigos: o Diabo Asmodeu e o saltimbanco Quirino, que apaixonado por ela e louco de ciúme, aprisiona seu amado.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Episódios[editar | editar código-fonte]

  • Episódio 1: No Sol Levante
  • Episódio 2: No País do Sol a Pino
  • Episódio 3: Em Busca da Sombra
  • Episódio 4: Maria Perde a Infância
  • Episódio 5: Os Saltimbancos
  • Episódio 6: O Reencontro
  • Episódio 7: Neva no Coração
  • Episódio 8: Onde o Fim Nunca Termina

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Carolina Oliveira Maria
Letícia Sabatella Maria adulta
Rodrigo Santoro Amado Fenix [ forma humana ]
Osmar Prado Pai
Daniel de Oliveira Quirino
Emiliano Queiroz Asmodeu (velho)
André Valli Asmodeu Mágico
Ricardo Blat Asmodeu Sátiro
Marco Ricca 1º Cangaceiro
Charles Fricks 1º Executivo/Policial
Leandro Castilho 2º Executivo
Rodolfo Vaz Pato
Inês Peixoto Rosa
Mário César Camargo Seu Odorico
Ilya São Paulo 2º Cangaceiro
Aramis Trindade 3º Cangaceiro
Antônio Edson Asmodeu Brincante
Denise Assunção Mucama
João Sabiá Asmodeu Lindo
Nanego Lira Retirante
Thaynná Pina Joaninha (criança)
Laura Lobo Menina Carvoeira
Phillipe Louis Ciganinho
Luiz Damasceno Asmodeu Poeta
Rafaella de Oliveira Joaninha
Artistas especialmente convidados
Ator/Atriz Personagem
Juliana Carneiro da Cunha Mãe
Stênio Garcia Asmodeu
Gero Camilo Zé Cangaia
Fernanda Montenegro Madrasta

Galeria[editar | editar código-fonte]

Repercussão[editar | editar código-fonte]

"A minissérie foi muito ambiciosa e muito bem realizada formalmente, seguindo outros projetos de envergadura como Os Maias."

—Jean-Philippe Tessé, Cahiers du Cinéma

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Para o crítico Nilson Xavier, é uma das mais poéticas, originais e belas produções dos últimos anos.[13]

Segundo Jean-Philippe Tessé, na revista francesa Cahiers du Cinéma, a minissérie foi muito ambiciosa e muito bem realizada formalmente, seguindo outros projetos de envergadura como Os Maias.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Hoje é Dia de Maria recebeu nomeações nacionais e internacionais, totalizando 12 prêmios e 8 indicações.

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado Ref.
2005
Prêmio Extra de Televisão
Melhor Ator/Atriz Infantil
Carolina Oliveira
Indicado
Emmy Internacional
Melhor Filme de TV/Minissérie
Luiz Fernando Carvalho
Indicado [4]
Melhor Ator/Atriz
Carolina Oliveira
Indicado [4]
Prêmio Qualidade Brasil
Melhor Diretor de Teledramaturgia
Luiz Fernando Carvalho
Venceu
Melhor Projeto Especial - Rio de Janeiro
Luiz Fernando Carvalho
Venceu
Melhor Projeto Especial - São Paulo
Luiz Fernando Carvalho
Venceu
Melhor Autor - Rio de Janeiro
Luiz Fernando Carvalho
Luis Alberto de Abreu
Carlos Alberto Soffredini
Venceu
Melhor Autor - São Paulo
Luiz Fernando Carvalho
Luis Alberto de Abreu
Carlos Alberto Soffredini
Venceu
Melhor Atriz Revelação - Rio de Janeiro
Carolina Oliveira
Venceu
Melhor Ator Coadjuvante - Rio de Janeiro
Osmar Prado
Indicado
2006
Prêmio ABC de Cinematografia
Melhor Fotografia em Programa de TV
José Tadeu Ribeiro
Venceu [14]
Prêmio Contigo!
Melhor Atriz Infantil
Carolina Oliveira
Venceu
Melhor Diretor
Luiz Fernando Carvalho
Venceu
Melhor Ator
Rodrigo Santoro
Indicado
Melhor Atriz
Fernanda Montenegro
Indicado
Melhor Atriz Revelação
Carolina Oliveira
Indicado
Melhor Autor
Luiz Fernando Carvalho
Luis Alberto de Abreu
Carlos Alberto Soffredini
Indicado
Prêmio APCA
Grande Prêmio dos Críticos de Televisão: Melhor Diretor
Luiz Fernando Carvalho
Venceu [15]
Festival Banff
Hors Concours
Luiz Fernando Carvalho
Venceu
Input International Board Taipei
Hors Concours
Luiz Fernando Carvalho
Venceu

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Valmir Santos (9 de janeiro de 2005). «Carvalho invoca a cultura popular em microssérie». Folha de S. Paulo. Consultado em 17 de abril de 2017. "Diretor associa "Hoje É Dia de Maria" a uma busca pela identidade brasileira 
  2. Nilson Xavier. «Hoje é Dia de Maria». Site Teledramaturgia. Consultado em 12 de abril de 2017 
  3. Marília Martins (9 de outubro de 2005). «Em Busca da nossa infância brasileira». Revista OGlobo. Consultado em 17 de abril de 2017. As imagens de Hoje é Dia de Maria são raras. Tudo escapa ao padrão global: é ficção que tem coragem de se revelar como ficção, é uma TV que tem a ousadia de buscar nas origens do cinema a reinvenção da linguagem 
  4. a b c «Atriz mirim de "Hoje é Dia de Maria" é indicada ao Emmy"». Folha Online. 21 de outubro de 2005. Consultado em 12 de abril de 2017 
  5. "Hoje é Dia de Maria - segunda jornada é uma joia lapidada com meticulosidade por um artista barroco, que não tem medo de abraçar o excesso de referências universais e regionais para recriar a realidade brasileira com rigor e paixão", em "Correio Braziliense" (15 de outubro de 2005)
  6. «Globo reexibe "Hoje é Dia de Maria"». Gazeta do Povo. 28 de maio de 2015. Consultado em 3 de abril de 2017 
  7. Guzzi, C. P. (2005). «A recriação dos contos populares e a constituição da narradora arquetípica na minissérie Hoje é dia de Maria». Revista Literatura em Debate. pp. 146–159. Consultado em 10 de maio de 2017 
  8. «Hoje é Dia de Maria, Memória Globo». Consultado em 23 de dezembro de 2015 
  9. Guzzi, C. P. (2012). «Riscando o molde: a função poética como modelo estruturante na transposição da minissérie Hoje é dia de Maria». Cadernos de Letras da UFF. 403 páginas. Consultado em 10 de maio de 2017 
  10. Carvalho, Luiz Fernando; Abreu, Luis Alberto (2006). Hoje é dia de Maria – Roteiros da 1a e 2a jornadas. [S.l.]: Globo. ISBN 9788525040985 
  11. «Hoje é dia de Maria é lançada em DVD». O Fuxico. 12 de dezembro de 2006. Consultado em 2 de abril de 2016 
  12. «'Hoje É Dia de Maria' será reexibida no especial 'Luz, Câmera, 50 Anos' da Globo». F5. 18 de maio de 2015. Consultado em 2 de abril de 2016 
  13. Nilson Xavier. «Hoje é Dia de Maria». Site Teledramaturgia. Consultado em 12 de abril de 2017 
  14. «Lista de Premiados do ABC Fotografia de 2006». Consultado em 21 de junho de 2017 
  15. «Prêmio APCA será entregue hoje no Municipal». Folha Online. 4 de abril de 2006. Consultado em 12 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]