Hollywood (canção de Madonna)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Hollywood"
Single de Madonna
do álbum American Life
Lançamento 3 de julho de 2003 (2003-07-03)
Formato(s)
Gravação 2002
Estúdio(s) Olympic Recording
(Londres)
Gênero(s) Folk rock
Duração 4:24
Gravadora(s)
Composição
Produção
  • Madonna
  • Mirwais Ahmadzaï
Cronologia de singles de Madonna
"American Life"
(2003)
"Me Against the Music"
(2003)
Vídeo musical
"Hollywood" no YouTube

"Hollywood" é uma canção gravada pela cantora estadunidense Madonna. A música foi escrita e produzida por Madonna e Mirwais Ahmadzaï para seu nono álbum de estúdio, American Life (2003). Em 14 de julho de 2003, foi lançado como o segundo single do álbum pela Maverick Records. Mais tarde, apareceu no álbum de maiores sucessos, Celebration (2009). "Hollywood" é uma canção de folk rock que discute liricamente a cultura e a ganância estadunidense, com foco em Hollywood, Califórnia, como um lugar de celebridades e sonhos ilusórios. Os vocais de Madonna na música foram anotados como os de uma menininha; durante a música ela também executa um rap, com a frase repetida "Aperte o botão". Ahmadzaï fez a programação principal da faixa e manteve a canção a mais simples possível, sem usar muitos instrumentos.

Os críticos de música aplaudiram a atração da música, mas criticaram suas letras. A canção atingiu o topo do Hot Dance Club Songs e Hot Dance Singles Sales da Billboard. A estréia dos remixes de "Hollywood" na tabela Dance Singles Sales deu a Madonna o maior número de títulos no topo do ranking, "Hollywood" sendo o sexto consecutivo. Também alcançou o top 10 no Canadá, Finlândia, Itália, Romênia e número dois no Reino Unido nas tabelas comerciais.

O videoclipe da canção, dirigido por Jean-Baptiste Mondino, retrata Madonna destacando os altos e baixos de Hollywood. Depois que o vídeo foi lançado, o filho do fotógrafo francês Guy Bourdin entrou com uma ação federal que acusava Madonna de roubar o trabalho de seu pai, mostrando sequências do vídeo semelhantes às fotografias de seu pai tiradas na década de 1980. "Hollywood" foi apresentado pela primeira vez em uma versão acústica, juntamente com "American Life" e "Mother and Father" em uma turnê promocional para o álbum. Em 2003, Madonna abriu o MTV Video Music Awards apresentando uma mistura de "Like a Virgin" e "Hollywood" com Britney Spears, Christina Aguilera e Missy Elliott. Durante a performance, Madonna beijou Spears e Aguilera nos lábios, gerando fortes reações da mídia. "Hollywood" foi usado mais tarde como interlúdio de dançarinos na Re-Invention World Tour de 2004 .

Antecedentes e gravação[editar | editar código-fonte]

Na música, Madonna faz uma desconstrução do fascínio da bela vida que é esteriotipada em Hollywood.

Quando Madonna começou a trabalhar em seu nono álbum de estúdio, o clima cultural dos Estados Unidos era sombrio e a paranóia tomou conta de grande parte da população do país devido aos Ataques de 11 de setembro de 2001.[1] Havia descontentamento e medo ao redor, enquanto o terrorismo e o ódio pegavam as pessoas de surpresa, quando começaram a questionar a viabilidade do sonho americano. Enquanto desenvolvia as músicas do American Life com o produtor Mirwais Ahmadzaï, Madonna interrogou e ponderou sobre esses valores.[1] A confusão, a desorientação e a raiva que eles criaram infiltraram-se na criação de cada música, incluindo "Hollywood". Mais tarde, ela falou sobre o existencialismo sombrio de Ahmadzaï e as longas discussões que tiveram sobre isso, e a obsessão da sociedade por fama e fortuna.[1][2] Em uma entrevista com Q, em abril de 2003, ela descreveu a música como o fascínio da bela vida em Hollywood. A cantora expressou sua opinião sobre a fama e a cultura das celebridades, e como as pessoas pensam que é uma "vida maravilhosa", mas na realidade é uma "ilusão muito poderosa".[3]

No especial do VH1, Madonna Speaks, a artista esclareceu ainda que o tema por trás de "Hollywood", bem como "American Life" e "I'm So Stupid" do álbum, era sobre ela "querer gritar dos telhados que nós todos vivemos em um sonho. Eu vivi em um sonho — e todos vocês estão vivendo em um sonho e precisamos acordar para a realidade".[4] O primeiro single de American Life — a faixa-título — se tornou o primeiro single mais baixo de um álbum da cantora desde sua estréia, atingindo a posição de número 37 na Billboard Hot 100.[5] Warner Bros. Records apressadamente quis impedir o álbum de desaparecer das tabelas e decidiu lançar "Hollywood", acreditando que a música tinha potencial de sucesso comercial.[5]

"Hollywood" foi produzido por Madonna, junto com Ahmadzaï.[6] As sessões de gravação do American Life começaram no final de 2001, depois foram suspensas quando Madonna filmou Swept Away em Malta e estrelou a peça de tetro Up for Grabs, do West End. Ela voltou ao Olympic Recording Studios no final de 2002 e terminou as sessões.[1][6] Inicialmente, Madonna não estava satisfeita com a versão original de "Hollywood" gravada, então ela desenvolveu uma melodia alternativa para a faixa.[7] Os instrumentos usados ​​em "Hollywood" são semelhantes aos usados ​​nas outras músicas do American Life.[8] A mixagem para a faixa foi feita por Mark "Spike" Stent no Westlake Recording Studios em West Hollywood, Califórnia, enquanto Tim Young fez a masterização da música no Metropolis Studios em Londres.[6] Ahmadzaï tocou violões e também fez a programação necessária.[6] Ele usou uma bateria e percussão de um emulador de E-mu e também adicionou sons extras de bateria para dar à música uma vibração antiga e discoteca.[7] Querendo ter um som alto de sintetizador baixo, Ahmadzaï usou um sintetizador Nord Leadcom muitas manipulações de filtragem. Mas como ele enfrentou problemas, usou um mixer Yamaha O2R.[7] Ele não queria que "Hollywood" soasse como a música sendo tocada nas boates, então ele gravou os vocais de Madonna com forte compressão em seus fones de ouvido.[7] Duas máquinas foram usadas para a edição vocal em "Hollywood". Madonna preferiu o plug — in Auto-Tune da Antares, enquanto Ahmadzaï escolheu um shifter AMS.[7] Madonna queria o Auto-Tune porque queria que "Hollywood" tivesse uma sensação mais dançante, embora Ahmadzaï fosse contra.[7] Descrevendo a gravação dos vocais, Ahmadzaï disse:

"Usamos principalmente compressores analógicos nos vocais, às vezes coisas muito baratas ou de baixo orçamento, gravados com um microfone Sony G800, um pré – amplificador Neve 8081 e um compressor / limitador LA-2A. Mas tudo é sobre o cenário ... Nós experimente muito com sons vocais. Por exemplo, o vocal de pitch-down no final era inicialmente muito mais longo. A mistura deste era muito difícil – como quase todas as faixas – porque havia muita coisa acontecendo. É por isso que talvez a versão final é tão simples".[7]

Composição[editar | editar código-fonte]

Uma amostra de 22 segundos do refrão da música, com Madonna cantando sobre o estilo de vida de Hollywood sobre um fundo de folk-rock.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"Hollywood" é uma "música saltitante de folk-rock", como observado por James Hannaham, da Spin,[9] enquanto Ken Micallef, da Electronic Musician, descreveu como "uma batida de discoteca que sustenta uma linha de baixo gigantesca com percussão esquisita, tons de arco enjoados. e vocais loucamente tratados".[7] Ele também contém batidas house com elementos da música espacial e retrô,[10] e também synthpop.[11] Seguindo o som de pássaros cantando, a música começa com uma sequência de quatro acordes tocada em um violão Martin D-28.; o riff foi comparado à música do Red Hot Chili Peppers de Rikky Rooksby, autor de The Complete Guide to the Music of Madonna.[7][12] É seguido pelo som de bateria e sintetizadores até depois de um minuto, quando o arranjo é retirado, deixando apenas os vocais de Madonna e o acompanhamento do violão.[12] A voz de Madonna desliza sobre batidas pop ao longo da música.[13] Durante a sequência final, o canto de Madonna se transforma lentamente em uma voz robótica distorcida onde ela faz rimas, com a frase repetida "Aperte o botão".[12][13] De acordo com as partituras publicadas no Sheetmusicplus.com, "Hollywood" é escrito em tempo comum, com um ritmo moderadamente rápido de 126 batidas por minuto.[14] É composto na clave de maior com voz de Madonna, abrangendo a partir de Si3 até 5.[14] Uma mudança abrupta de clave ocorre em cerca de três minutos da música, de Dó maior para sustenido menor, que de acordo com Rooksby foi utilizada para dar aos refrões finais da música um tratamento diferente.[12] A música segue uma sequência básica de Bm–D–A–G–Em como sua progressão harmônica.[14]

Liricamente, ele discute a cultura e a ganância estadunidenses, concentrando-se em Hollywood como um lugar de celebridades e sonhos ilusórios.[9][12] A ponte se abre com Madonna dizendo: "As estações de música sempre tocam as mesmas canções / estou entediada com o conceito de certo e errado".[nota 1][15] Ben Shapiro observou que o verso "parece ser o credo de Madonna. Sua degradação proposital da moralidade levou a um sucesso monumental para ela - e criou uma influência monumentalmente ruim para seus fãs adolescentes".[16] Além disso, Madonna questiona a experiência de Hollywood, cantando: "Como isso poderia machucá-lo quando parecia tão bom?".[nota 2][17] Alexis Petridis, do The Guardian, observou que os vocais de Madonna na música são "agudos [para soar como uma] garotinha", com a intenção de "[conotar] uma noção de inocência perdida".[18]

Análise da crítica[editar | editar código-fonte]

"Hollywood" recebeu críticas mistas de críticos de música. Michael Paoletta, da Billboard, descreveu a música como "punky" e a comparou com "Ray of Light" (1998).[19] Dimitri Ebrlich, da revista Vibe, fez uma crítica positiva para a música, descrevendo-a como "desarmante e autodepreciativa, pois reflete nas tentativas desesperadas das pessoas de ingressar na indústria glamourosa da América", escrevendo que era a combinação perfeita para a American Life.[10] Jude Adam, da revista Third Way, fez uma crítica positiva à música, considerando-a "peculiar, ensolarada e doce em medidas perfeitas".[20] Stephen Thompson, do The A.V. Club, considerou a música como "realmente cativante".[21] Alexis Petridis, do The Guardian, observou que Madonna divulga na música que nem todo mundo que quer aparecer no cinema consegue.[18] Jessica Winter, do The Village Voice, comentou que na música "Madonna canaliza uma canção genérica para adolescentes pop".[22] Dennis Ferrera, do Out, ao entrevistar Madonna para seu álbum de 2005, Confessions on a Dance Floor, descreveu a música como um "single matador".[23] Outra crítica positiva de JJ Evans, de Naperville Sun descreveu "Hollywood" como uma faixa que melhor exemplifica a "maneira boba de escrever" de Madonna, mas achava que funcionava nesse caso.[24] Chris Heath, do Yahoo! Music comentou que "'Hollywood' se liberta de seus irmãos inferiores para parecer uma faixa sexy do pop dance que é tão bom quanto qualquer coisa no Music".[25] Chuck Arnold, da Entertainment Weekly, achou irônico que Madonna estivesse cantando sobre Hollywood, dadas todas as suas tentativas fracassadas de uma carreira cinematográfica de sucesso. No entanto, ele concluiu que "com sua palheta de guitarra doce, este single da American Life brilha sua luz onde quer que você esteja".[26]

Ian Youngs, da BBC News, observou que a música era outra diatribe sobre a fama e quão difícil está sendo aos olhos do público.[27] Ele acrescentou ainda que "está entre as decepções" do álbum, dizendo que parece sem brilho e comentou sobre o "rap embaraçoso".[27] Ed Howard, da Stylus Magazine, comentou que barrar o rap de Madonna, "Hollywood", é pelo menos envolvente.[28] Sal Cinquemani, da Slant Magazine, pensou que "acompanhar 'American Life' com 'Hollywood' era quase tão ousado" devido ao seu conteúdo lírico.[15] Edna Gundersen, do USA Today observou que a música "atesta [suas] habilidades intactas como compositora pop astuta".[11] Michael Hubbard, da musicOMH, comentou que tudo rima com "Hollywood", e depois comentou que a música seria melhor sem essas letras preguiçosas, acrescentando "[A música] tem o nome Madonna para vender, mas dificilmente é vintage. Hora de alguma reinvenção musical acompanhar as incessantes mudanças de imagem".[8] Em outra crítica, Chuck Taylor, da Billboard, expressou sua decepção com a música. Ele explicou que "Hollywood" está "muito longe da fortaleza engenhosa exibida em tantos singles anteriores das duas décadas de carreira [de Madonna]".[5] Ele analisou a limitada produção eletrônica de Ahmadzaï e o uso excessivo de violão por Madonna na faixa, junto com "letras chorosas e pregadoras".[5]

Ao escrever para o The Sydney Morning Herald, Bernard Zuel chamou Ahmadzaï de "um pônei de um truque" para sua produção, mas sentiu que conseguiu "em "Hollywood", ser rico em groove.[29] Ben Wener, do The Beaver County Times, condenou a faixa como um "ataque conscientemente hipócrita a Hollywood".[30] Escrevendo para o The Guardian, Jude Rogers elogiou sua "fantástica linha de baixo da Roland e a guitarra refletida do sol", colocando a música no número 47 em seu ranking de melhores singles de Madonna, em homenagem aos seus 60 anos.[31]

Videoclipe[editar | editar código-fonte]

Madonna retratando um dos trabalhos de Guy Bourdin no videoclipe de "Hollywood".

O videoclipe de "Hollywood" foi filmado no Universal Studios em Universal City, Califórnia, e dirigido por Jean-Baptiste Mondino, que trabalhou anteriormente com a cantora em seus vídeos para "Open Your Heart" (1986), "Justify My Love" (1990), "Human Nature" (1995), "Love Don't Live Here Anymore" (1996) e "Don't Tell Me" (2000).[32] Nos Estados Unidos, estreou em 23 de junho de 2003, no VH1.[32] Madonna há muito tempo é fã do trabalho do fotógrafo de moda francês Guy Bourdin desde cerca de uma década atrás, comentando suas fotografias como "Elas são tão doentes e interessantes. Essas garotas, você tem que ver a expressão em seus rostos — elas são realmente bizarras".[33] Arianne Phillips criou os figurinos do vídeo e descreveu os looks de Madonna como uma homenagem ao antigo glamour de Hollywood, enquanto tentava ser literal e conceitual.[34] Ela prestou homenagens a estrelas como Ginger Rogers, Jean Harlow e Mae West.[35] Segundo as próprias palavras de Mondino, o conceito do vídeo era:

"Algum tipo de artifício que Hollywood pode fornecer, que é tão amplo e tem uma história gráfica sobre o assunto, além de algum humor sobre ele, e para mostrar a beleza, o medo, a sensualidade e a solidão que o sucesso de alguém pode ser, porque todo mundo está sonhando com Hollywood, não importa o quê. A expectativa pode ser muito perigosa e, talvez, para alguém como Madonna, que pode estar em um momento, perceber que estar no topo talvez não seja tão importante. É o que eu sinto pelo vídeo".[34]

O videoclipe apresenta Madonna em diferentes estilos e modas. Ele também inclui jóias e vestidos antigos no valor de vinte milhões de dólares em várias transformações, incluindo um anel e pulseira originais de 25 quilates que West usava no filme de 1933, She Done Him Wrong.[35][32] Madonna contratou um médico de verdade (Dr. David Kish) para gerenciar as fotos falsas, já que ela queria que as cenas soassem reais.[36] O primeiro dia de filmagem ocorreu em 2 de junho de 2003, e as cenas capturadas incluíram a parede de espelhos, massagem, injeção de botox e seqüências de dança de balé.[34] O dia seguinte começou com cenas de empregada francesa, televisão de motel, conversa por telefone e glamour.[34] Henry Keazor, um dos autores de Rewind, Play, Fast Forward: The Past, Present and Future of the Music Video, observou que Madonna foi exposta durante as intervenções retratadas no vídeo, brincando com os rumores e estereótipos que a cercaram na mídia.[37] Após o lançamento do videoclipe de "Hollywood", Samuel Bourdin, filho de Guy Bourdin, entrou com uma ação federal que acusou Madonna de roubar o trabalho de seu pai.[38] Bourdin disse que eles são "surpreendentemente semelhantes" às fotos tiradas por seu pai nas décadas de 1950 a 1980 e publicadas na revista francesa Vogue. Ele acusou Madonna de violar direitos autorais em pelo menos onze das obras de Bourdin, incluindo uma de Madonna com as pernas estendidas em cima de um aparelho de TV.[38] "Uma coisa é inspirar; outra é simplesmente plagiar o coração e a alma do trabalho de meu pai", disse Bourdin na época. Incluídas na queixa federal de Bourdin estavam comparações lado a lado do trabalho de seu pai com imagens com fotos do vídeo "Hollywood".[39] De acordo com Dustin Robertson, editor do vídeo "Hollywood", as seqüências que mostram Madonna em um vestido vermelho olhando no espelho são as que foram apontadas pela propriedade de Bourdin no processo.[40] O processo nomeou Madonna, Warner Bros. Records e Mondino como réus. Os detalhes apresentados na ação são os seguintes: "Fatores como composição, plano de fundo, guarda-roupa, iluminação, narrativa, ângulo da câmera, decoração e objetos descritos são surpreendentemente semelhantes ... Existem muito poucas cenas ou sequências no vídeo de 'Hollywood' que não são diretamente derivados das obras de Bourdin".[33] Os detalhes do acordo financeiro são confidenciais e Madonna não reconheceu nenhum erro em sua apropriação liberal das imagens. O advogado de Bourdin, John Koegel, disse que as partes chegaram a um "acordo muito, muito bem sucedido", acrescentando que os termos do acordo não lhe permitiam discutir os valores exatos do dólar.[41] Em 2011, o site de notícias Independent Online divulgou o valor liquidado por Madonna em US$ 600,000.[42] Em 2009, o vídeo foi incluído na compilação de Madonna, Celebration: The Video Collection.[43]

Apresentações ao vivo[editar | editar código-fonte]

Madonna beijando a cantora Britney Spears durante a polêmica performance do medley de "Hollywood" e "Like a Virgin" no MTV Video Music Awards de 2003.

Para começar a promover a American Life, Madonna realizou a American Life Promo Tour. Uma apresentação na Quarta Rua da Torre, em Manhattan, foi apresentada a cerca de 400 pessoas e contou com apresentações acústicas de "American Life", "Mother and Father" e "Hollywood".[44] Em 27 de agosto de 2003, Madonna abriu o MTV Video Music Awards, apresentando um medley de "Like a Virgin" e "Hollywood" com Britney Spears, Christina Aguilera e Missy Elliott.[45] A apresentação começou com a filha de Madonna, Lourdes, andando no palco com outra garota, vestida de florista em um casamento.[46] Spears apareceu no palco em cima de um bolo de casamento gigante, vestindo um vestido de noiva e véu; ela cantou as primeiras linhas de "Like a Virgin" antes de Aguilera aparecer por trás do bolo e se juntar a ela.[47] Madonna emergiu do bolo vestindo um casaco preto e chapéu e começou a cantar "Hollywood" antes de começar a beijar Spears e Aguilera nos lábios.[48] Missy Elliott saiu de uma capela de casamento para cantar sua música "Work It" no meio da apresentação.[48] Toda a performance foi uma homenagem a Madonna e uma homenagem à sua performance de "Like a Virgin" no show inaugural da premiação em 1984.[49]

O beijo gerou forte reação da mídia e das celebridades. Nekesa Mumbi Moody, da Associated Press — deduziu "Vinte anos após o primeiro MTV Video Music Awards, e não mudou muita coisa — Madonna ainda faz as mandíbulas caírem e as bochechas corarem".[50] Brian Hiatt, da Entertainment Weekly, sentiu que "O close de [Madonna] trancando os lábios com Spears, de 21 anos, foi um momento indelével da MTV — sexy, vagamente transgressivo e sem sentido como divertido".[51] Elysa Gardner, do USA Today, explicou que a apresentação "ofereceu um lembrete pungente do papel da MTV na definição de uma cultura jovem que se tornou provocativa — piscando na convenção sem oferecer novas alternativas'.[52] Os produtores da MTV estavam céticos, dizendo que "Foi sensacional, mas eu me pergunto o que o bom pessoal de lugares como Provo, estado de Utah, pensaria disso. O centro dos Estados Undios não vai deixar que isso aconteça levemente".[46] Quando perguntada sobre isso, Madonna revelou: "Eu estou beijando [Britney] e passando minha energia para ela. Como uma espécie de conto de fadas mitológico".[53] A performance foi listada pela revista Blender como um dos 25 momentos mais sexys da música na história da televisão.[54]

A MTV listou a performance como o momento de abertura número um na história do MTV Video Music Awards.[55] Na Re-Invention World Tour de 2004 de Madonna, a cantora performou um remix de interlúdio de "Hollywood", no qual os telões exibiam animações de cartas de tarô.[56] A performance foi incluída no álbum ao vivo e no documentário I'm Going to Tell You a Secret.[57] Na turnê, a performance de "Into the Groove" continha amostras do remix "Into the Hollywood Groove".[58]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

Créditos e equipe[editar | editar código-fonte]

  • Madonna – vocais principais, vocais de fundo, compositora, produtora
  • Mirwais Ahmadzaï – compositor, produtor, guitarras, programação
  • Tim Young – masterização de áudio
  • Mark "Spike" Stent – mixagem de áudio

Os créditos para "Hollywood" são adaptados do encarte do American Life.[6]

Desemepenho comercial[editar | editar código-fonte]

"Hollywood" não conseguiu entrar na Billboard Hot 100 nos Estados Unidos, nem na lista de Bubbling Under Hot 100 Singles. Foi a primeira vez desde "Burning Up" (1983) que um single de Madonna não alcançou o Hot 100. No entanto, ele chegou ao número um em ambas as tabelas Hot Dance Club Play e Hot Dance Singles Sales da Billboard.[66] A estréia dos remixes de "Hollywood" no topo da tabela Dance Singles Sales tornou Madonna a artista com maior quantidade de singles no topo da tabela, "Hollywood" sendo o sexto consecutivo.[67] Este trecho começou com "Music" em 2000, seguido por "Don't Tell Me", "What It Feels Like for a Girl", "Die Another Day" e "American Life". "Hollywood" foi o 22º número um de Madonna na tabela Dance Singles Sales, o maior número para qualquer artista. Na Hot Singles Sales da Billboard, a música estreou no número quatro, mas não acumulou pontos suficientes para aparecer no Hot 100.[67] Na recapitulação do final do ano da Billboard de 2003, Madonna foi a artista número dois do Dance Club Play e o número um na Dance Singles. "Hollywood" foi classificado nos números 19, sete e 45 nas paradas Hot Dance Club Play, Hot Dance Singles Sales e Hot Singles Sales, respectivamente.[68] "Hollywood" também alcançou a posição de número 35 na Adult Pop Songs. No Canadá, a música atingiu o número cinco na Canadian Singles Chart.[66]

Em 19 de julho de 2003, "Hollywood" estreou no número dois na UK Singles Chart, sendo impedido de atingir o primeiro lugar por "Crazy in Love" de Beyoncé.[69] A música esteve presente por um total de sete semanas na tabela e, em agosto de 2008, vendeu 59,633 cópias, de acordo com a Official Charts Company.[70][71] Na Austrália, "Hollywood" estreou tabela no número 16, antes de cair para o número 37 na semana seguinte.[72] Em 27 de abril de 2003, "Hollywood" estreou no número 55 da Ö3 Austria Top 40, chegando ao número 34 após quatro semanas.[73] A música alcançou posições moderadas nas tabelas dos territórios flamengo e valoniano na Bélgica, chegando aos números 14 e 32, respectivamente.[74] "Hollywood" estreou na posição de número 22, alcançando um total de 23 semanas na França em 2003. Entre 2008 e 2009, a música alcançou cinco semanas.[75] No Single Top 100, a música estreou no número 20, passando um total de seis semanas na tabela.[76] Em 24 de abril de 2003, "American Life" estreou no número 20 na Swedish Singles Chart.[77] Da mesma forma na Suíça, a música estreou no número 15 na Schweizer Hitparade, passando 13 semanas na tabela.[78]

Tabelas semanais[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. No original: "Music stations always play the same songs/I'm bored with the concept of right and wrong".
  2. No original: "How could it hurt you when it looked so good?".

Referências

  1. a b c d O'Brien 2008, p. 368
  2. Taraborrelli 2008, p. 403
  3. Rees, Paul. «Madonna Attacks!». Q (em inglês). 67. p. 3. ISSN 0955-4955. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  4. «Madonna Speaks' For The First Time To VH1 On New 'American Life' Album and Video» (Video) (em inglês). PR Newswire. VH1. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  5. a b c d Taylor, Chuck. «Reviews and Previews: Spotlights». Billboard (em inglês). 115 (21). New York. p. 36. ISSN 0006-2510. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  6. a b c d e (2003) Créditos do álbum American Life por Madonna, pg. 14 [CD]. Maverick, Warner Bros. Records.
  7. a b c d e f g h i Micallef, Ken. «Covert Operation». Electronic Musician (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  8. a b Hubbard, Michael. «Madonna – Hollywood (Maverick)». musicOMH (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  9. a b Hannaham, James (Junho de 2003). «Ms. America: Madonna addresses a fearful nation». Spin (em inglês). 19 (6). Spin Media LLC. p. 112. ISSN 0886-3032. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  10. a b Ebrlich, Dimitri. «Madonna – American Life (Maverick/Warner Bros.)». Vibe (em inglês). 11 (6). p. 155. ISSN 1070-4701. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  11. a b Gundersen, Edna. «Madonna's inner 'American Life'». USA Today (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  12. a b c d e Rooksby 2004, p. 62
  13. a b O'Brien 2008, pp. 373–374
  14. a b c Ciccone, Madonna (2005). «Digital Sheet Music – Madonna – Hollywood». Sheetmusicplus.com. Webo Girl Publishing Inc, ASCAP 
  15. a b Cinquemani, Sal. «Madonna – American Life». Slant Magazine (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  16. Shapiro 2005, p. 50
  17. Davis, John. «Madonna 'American Life'». NME (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  18. a b Petridis, Alexis. «Madonna: American Life». The Guardian (em inglês). Guardian News and Media. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  19. Paoletta, Michael. «Madonna – American Life». Billboard (em inglês). 115 (17). New York. p. 37. ISSN 0006-2510. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  20. Adam, Jude (2003). «Reviews: Madonna: American Life». Third Way (em inglês). 26 (5). Hymns Ancient & Modern Ltd. p. 32. ISSN 0006-2510. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  21. Thompson, Stephen. «Madonna "American Life». The A.V. Club (em inglês). The Onion, Inc. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  22. Winter, Jessica. «So Many Lives». The Village Voice (em inglês). p. 1. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  23. Ferrera, Dennis. «Madonna: The Music Issue». Out (em inglês). 14 (10). p. 76. ISSN 1062-7928. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  24. Evans, J. J. «Madonna, don't preach about your 'American Life'». Naperville Sun (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  25. Heath, Chris. «Madonna – Hollywood» (em inglês). Yahoo! Music. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  26. Arnold, Chuck. «Madonna's 60 best singles, ranked». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  27. a b Youngs, Ian. «Madonna's dull Life story» (em inglês). BBC Music. British Broadcasting Corporation. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  28. Howard, Ed. «Madonna – American Life». Stylus (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  29. Zuel, Bernard. «Pop's queen of reinvention puts a square peg in a round hole». The Sydney Morning Herald (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  30. Wener, Ben. «Madonna tops midlife crisis album with dollops of pop». The Beaver County Times 
  31. Rogers, Jude. «Every one of Madonna's 78 singles – ranked!». The Guardian (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  32. a b c «Madonna Brings Glamour Back to Hollywood and VH1 with the Exclusive World Premiere of Her Latest Video 'Hollywood' and 'Madonna Making The Video». PR Newswire (em inglês). United Business Media. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  33. a b Susman, Gary. «Strike a Pose». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  34. a b c d «Madonna – Making of Hollywood video». MTV Making the Video. Temporada 4. Episódio 459. No minuto 14:53. VH1 
  35. a b «Madonna Gives Donatella A Hollywood Nod» (em inglês). Vogue. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  36. «Madonna Hires Real Botox Doc For Video» (em inglês). Contactmusic.com. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  37. Keazor & Wübbena 2010, p. 138
  38. a b «Madonna sued for 'Hollywood' pose» (em inglês). BBC News Online. BBC. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  39. Benjamin, Laura. «Madonna under fire over video». Daily Mail (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  40. Robertson, Dustin. «The AvidDiva's Cut» (em inglês). Madonna Tribe. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  41. «Madonna Accused Of Picture Piracy» (em inglês). The Smoking Gun. TruTV. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  42. Pond, Steve. «Joe Jonas in plagiarism row» (em inglês). Independent Online. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  43. Greenblatt, Leah. «Madonna's 'Celebration' track list revealed: Are the greatest hits all there?». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  44. Christman, Ed. «Retail Track: Madonna Makes Music». Billboard (em inglês). 115 (19). p. 45. ISSN 0006-2510. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  45. Moss, Corey. «Madonna Smooches With Britney And Christina; Justin, Coldplay Win Big At VMAs» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  46. a b «Madonna and Britney kiss!». Daily Mail (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  47. Wiederhorn, Jon. «Beyonce, 50, Mary J., Metallica Overshadowed By Two Little Kisses» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  48. a b «MTV VMA 2003 highlights – Madonna performance video» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  49. «Madonna tribute at MTV awards» (em inglês). BBC News. BBC. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  50. Moody, Nekesa Mumbi. «Madonna Magic At MTV Awards» (em inglês). CBS News. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  51. Hiatt, Briann. «Debt to Smoochy». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  52. Gardner, Elysa. «Madonna, Spears, Aguilera shock at MTV Awards». USA Today (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  53. Clerk 2008, p. 187
  54. Collis, Clark. «The 25 Sexiest Music Moments in TV History!». Blender (em inglês). ISSN 1534-0554. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  55. Vena, Jocelyn. «The Top 10 Opening Moments In VMA History: From Madonna To The Present» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  56. Segal, David. «Prime Madonna». The Washington Post (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  57. (2005) Créditos do álbum I'm Going to Tell You a Secret por Madonna [DVD]. Warner Home Video.
  58. Timmerman 2007, p. 27
  59. (2003) Créditos do álbum Hollywood por Madonna [CD single Britânico]. Maverick Records.
  60. (2003) Créditos do álbum Hollywood por Madonna [Maxi-Single Australiano]. Maverick Records.
  61. (2003) Créditos do álbum Hollywood por Madonna [Maxi-Single Europau]. Maverick Records.
  62. (2003) Créditos do álbum Hollywood por Madonna [Maxi-Single Americano]. Maverick Records.
  63. (2003) Créditos do álbum Hollywood por Madonna [Vinil Alemão]. Maverick Records.
  64. (2003) Créditos do álbum Hollywood por Madonna [Vinil Estadunidense]. Maverick Records.
  65. (2003) Créditos do álbum Hollywood por Madonna [Vinil Britânico]. Maverick Records.
  66. a b c «American Life – Madonna: Awards» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  67. a b c d Bronson, Fred. «'Hollywood' Swinging On Two Sales Chart». Billboard (em inglês). 115 (30). Nova Iorque. p. 80. ISSN 0006-2510. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  68. a b c d Mayfield, Geoff. «Year In Music: How We Chart The Year». Billboar (em inglês). 115 (52). Nova Iorque. p. YE-34,65, 66. ISSN 0006-2510. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  69. Jones, Alan. «Beyonce still at top of UK albums and singles charts». Music Week (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  70. a b «Madonna – Hollywood (Official Charts Company)» (em inglês). UK Singles Chart. The Official Charts Company. Consultado em 30 de abril de 2016 
  71. Jones, Alan. «The immaculate guide to 50 years of Madonna» (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  72. a b «Madonna – Hollywood (ARIA Charts)» (em inglês). ARIA Charts. Consultado em 4 de maio de 2019 
  73. a b «Madonna – Hollywood (Ö3 Austria Top 40)» (em alemão). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 4 de maio de 2019 
  74. a b «Madonna – Hollywood (Ultratop 40)» (em inglês). Ultratop 40. Hung Median. Consultado em 4 de maio de 2019 
  75. a b «Madonna – Hollywood (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 18 de março de 2019 
  76. a b «Madonna – Hollywood (Dutch Top 40)». Media Markt Top 40. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  77. a b «Madonna – Hollywood (Sverigetopplistan)» (em inglês). Sverigetopplistan. Consultado em 4 de janeiro de 2010 
  78. a b «Madonna – Hollywood (Schweizer Hitparade)» (em inglês). Schweizer Hitparade. Consultado em 18 de março de 2019 
  79. «Madonna – Hollywood (GfK Entertainment Charts)» (em alemão). GfK Entertainment Charts. Consultado em 4 de maio de 2019 
  80. «Madonna – Hollywood (Ultratop 50)» (em inglês). Ultratop 50. Hung Median. Consultado em 4 de maio de 2019 
  81. «Madonna – Hollywood (Hitlisten)» (em inglês). Hitlisten. Consultado em 4 de maio de 2019 
  82. «Madonna – Hollywood (The Official Charts Company)» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 30 de abril de 2019 
  83. «Madonna – Hollywood (Productores de Música de España)» (em inglês). Productores de Música de España. Consultado em 8 de junho de 2016 
  84. «Madonna (Adult Top 40)». Billboard (em inglês). Consultado em 23 de janeiro de 2019 
  85. «Madonna – Ray of Light (Hot Dance Club Songs)». Billboard. Consultado em 9 de abril de 2017 
  86. «Madonna – Hollywood (European Hot 100 Singles)» (PDF). Billboard. p. 69. Consultado em 4 de maio de 2019 
  87. «Madonna – Hollywood (IFPI Finlândia)» (em inglês). IFPI Finlândia. Consultado em 18 de março de 2019 
  88. «Madonna – Hollywood (Dance Top 40)». Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége (em húngaro). Consultado em 23 de janeiro de 2019 
  89. «Madonna – Hollywood (Irish Recorded Music Association)» (em irlandês). Irish Recorded Music Association. Consultado em 27 de abril de 2019 
  90. «Madonna – Hollywood (Federazione Industria Musicale Italiana)» (em inglês). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 4 de janeiro de 2019 
  91. «Madonna – Hollywood (Single Top 100)» (em inglês). MegaCharts. Consultado em 10 de novembro de 2017 
  92. «Madonna – American Life (Związek Producentów Audio Video)» (em polonês). Związek Producentów Audio Video. 4 de maio de 2010. Consultado em 3 de maio de 2019 
  93. «Madonna – Hollywood (Official Charts Company)» (em inglês). UK Dance Singles. The Official Charts Company. 29 de abril de 2016. Consultado em 30 de abril de 2016 
  94. «Madonna – Hollywood (Romanian Top 100)» (em inglês). Romanian Top 100. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  95. «UK Year-end Singles 2003» (PDF). UKChartsPlus (em inglês). Official Charts Company. p. 1. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  96. «Romanian Top 100 - Top of the Year 2003» (em inglês). Romanian Top 100. Consultado em 25 de janeiro de 2020 
  97. Bronson, Fred. «Men Prance, Ladies Dance On The Charts». Billboard (em inglês). 116 (52). Nova Iorque. p. 21. ISSN 0006-2510. Consultado em 25 de janeiro de 2020