Holy Flying Circus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Novembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Holy Flying Circus
 Reino Unido
2011 •  cor •  90 min 
Direção Owen Harris
Roteiro Tony Roche
Elenco Darren Boyd
Charles Edwards
Steve Punt
Rufus Jones
Tom Fisher
Phil Nichol
Gênero comédia
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Holy Flying Circus é um filme de comédia para a TV britânica, produzida pela BBC Four, dirigido por Owen Harris. O roteiro de Tony Roche é baseado num debate televisivo de 1979 entre membros do grupo humorístico Monty Python e representantes conservadores e religiosos por ocasião da polêmica ocorrida quando do lançamento do filme Monty Python's Life of Brian. O título original faz referência ao programa "Flying Circus" ("Circo Voador"), exibido entre 1969 e 1974 pela TV britânica, apresentado pelo grupo. A história não é um relato exatamente factual mas intercala a narrativa com diversos "sketches" no estilo popularizado pelos comediantes britânicos em seus trabalhos (que ficou conhecido em inglês como ""Pythonesque"). Os letreiros finais informam que o filme de 1979 foi banido em vários países e só foi exibido na televisão britânica em 1995.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O grupo Monty Python (Michael, John, Eric, Terry Jones, Terry Gilliam e Graham) retorna da Tunísia onde filmou a comédia Life of Brian e os artistas estão satisfeitos com o resultado, uma sátira às religiões feitas por intermédio da história de Brian, um homem comum que é frequentemente confundido por todos com seu compatriota Jesus. Mas as coisas começam a ficar estranhas quando o distribuidor Barry avisa que farão o lançamento primeiramente nos Estados Unidos. Imediatamente ocorrem diversas manifestações contra a exibição, atacando os realizadores de terem blasfemados contra a crença cristã. Na Inglaterra, um grupo de religiosos caricatos começa a perseguir os Pythons e Barry sugere aos comediantes não lançarem produtos de merchandising sobre o filme, tais como "biscoitos natalinos do Brian". Um alucinado produtor de TV tem a ideia de realizar o debate entre os comediantes e membros da Igreja. John Cleese é contra pois acha que o grupo não deve explicar nada, estaria tudo no filme. Mas com o aumento das manifestações e crescimento da violência, inclusive com "ameaças de morte", exploradas pelos executivos da TV em seus noticiários, os Python resolvem aceitar irem ao debate e escolhem Michael Palin (o cara "bom") e John Cleese (o cara "sarcástico") para serem os representantes.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]