Holy Flying Circus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Holy Flying Circus
 Reino Unido
2011 •  cor •  90 min 
Direção Owen Harris
Roteiro Tony Roche
Elenco Darren Boyd
Charles Edwards
Steve Punt
Rufus Jones
Tom Fisher
Phil Nichol
Gênero comédia
Idioma inglês

Holy Flying Circus é um filme de comédia para a TV britânica, produzida pela BBC Four, dirigido por Owen Harris. O roteiro de Tony Roche é baseado num debate televisivo de 1979 entre membros do grupo humorístico Monty Python e representantes conservadores e religiosos por ocasião da polêmica ocorrida quando do lançamento do filme Monty Python's Life of Brian. O título original faz referência ao programa "Flying Circus" ("Circo Voador"), exibido entre 1969 e 1974 pela TV britânica, apresentado pelo grupo. A história não é um relato exatamente factual mas intercala a narrativa com diversos "sketches" no estilo popularizado pelos comediantes britânicos em seus trabalhos (que ficou conhecido em inglês como ""Pythonesque"). Os letreiros finais informam que o filme de 1979 foi banido em vários países e só foi exibido na televisão britânica em 1995.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O grupo Monty Python (Michael, John, Eric, Terry Jones, Terry Gilliam e Graham) retorna da Tunísia onde filmou a comédia Life of Brian e os artistas estão satisfeitos com o resultado, uma sátira às religiões feitas por intermédio da história de Brian, um homem comum que é frequentemente confundido por todos com seu compatriota Jesus. Mas as coisas começam a ficar estranhas quando o distribuidor Barry avisa que farão o lançamento primeiramente nos Estados Unidos. Imediatamente ocorrem diversas manifestações contra a exibição, atacando os realizadores de terem blasfemados contra a crença cristã. Na Inglaterra, um grupo de religiosos caricatos começa a perseguir os Pythons e Barry sugere aos comediantes não lançarem produtos de merchandising sobre o filme, tais como "biscoitos natalinos do Brian". Um alucinado produtor de TV tem a ideia de realizar o debate entre os comediantes e membros da Igreja. John Cleese é contra pois acha que o grupo não deve explicar nada, estaria tudo no filme. Mas com o aumento das manifestações e crescimento da violência, inclusive com "ameaças de morte", exploradas pelos executivos da TV em seus noticiários, os Python resolvem aceitar irem ao debate e escolhem Michael Palin (o cara "bom") e John Cleese (o cara "sarcástico") para serem os representantes.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]