Holy Man

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Holy Man
Santo Homem[1] (BR)
 Estados Unidos
1998 •  cor •  109 min 
Direção Stephen Herek
Roteiro Tom Schulman
Elenco Eddie Murphy
Jeff Goldblum
Kelly Preston
Eric McCormack
Robert Loggia
Género comédia dramática
Música Alan Silvestri
Cinematografia Adrian Biddle
Edição Trudy Ship
Distribuição Buena Vista Pictures
Lançamento Estados Unidos 9 de outubro de 1998[2]
Brasil 11 de dezembro de 1998[1]
Idioma inglês
alemão
espanhol
Página no IMDb (em inglês)

Holy Man (br Santo Homem) é um filme estadunidense de 1998, do gênero comédia dramática, dirigido por Stephen Herek.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Ricky Hayman e Kate Newell trabalham na Good Buy Shopping Network, um canal de compras caseiras administrado por John McBainbridge. As vendas foram baixadas nos últimos dois anos sob a gestão de Ricky, e Kate foi trazida para apresentar novas idéias. Ricky vê Kate como uma ameaça e ela também expressa sua aversão por ele. No entanto, John deu a Ricky um ultimato para aumentar as vendas, ou perder o emprego.

Enquanto está dirigindo um dia, Ricky e Kate se deparam com um homem carismático estranho que se chama "G" (Eddie Murphy). G é incomum na medida em que ele usa vestes brancas e é perpetuamente feliz e sorridente. Ele parece sentir o quão problemático Ricky é, e os segue de volta ao estúdio Good Buy. G vagueia no conjunto de um infomercial , e enquanto ele está no ar, o número de ligações com clientes que desejam comprar algo aumenta. Kate percebe isso e obtém o seu próprio lugar na rede vendendo itens. Enquanto isso, a aversão mútua entre Ricky e Kate desaparece e eles começam a expressar um interesse romântico um para o outro.

Os infomerciais da G são principalmente anedotas espontâneas ou pensamentos sobre a vida, mas os clientes se conectam com ele e até mesmo os itens mais lentos começam a se vender. Enquanto fica na casa de Ricky, ele entra em uma festa de empresários e exibe seus talentos fazendo um Rolexassistir "desaparecer" e curar outro homem de seu medo de voar. Ricky começa a comercializar o nome de G em outros itens para aumentar as vendas. Ele quer dar a G seu próprio show, mas o ambiente de trabalho estressante e a multidão de fãs que desejam conhecê-lo começam a tomar seu preço. G não é mais o homem feliz e inspirador que ele já era, e quando Kate tenta convencer John para deixar G sair da rede, ele se recusa e ela sai do desprezo. Ricky colhe os benefícios do aumento de vendas, recebendo uma grande promoção e um novo escritório. No entanto, as recompensas parecem vazias devido à letargia de G e a rejeição de Kate por ele.

Na noite da estréia do novo show de G, Ricky busca ele mesmo e decide que deixar G ir é a escolha certa. Ele anuncia sua decisão ao vivo no ar para a audiência do estúdio e para o chefe dele. Kate ouve sua decisão e perdoa Ricky, correndo de volta ao estúdio para estar com ele. Eles têm uma reunião romântica no ar, e o show está terminado. Depois, Ricky e Kate se despedem do G totalmente recuperado, que vagueia na distância para continuar sua peregrinação.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Holy Man foi um fracasso de bilheteria, tendo arrecadado um total de $12,069,719 milhões de dólares na América do Norte comparado com seu orçamento de aproximadamente $60 milhões.[3][4]

O filme recebeu em sua maioria análises e críticas negativas, com os críticos reclamando principalmente do roteiro e da atuação no filme.. Baseado em 48 análises do filme coletadas no site Rotten Tomatoes, apenas 12% dos críticos deram a Holy Man uma análise positiva, com uma pontuação média de 3.7/10.[5][6][7]

Em 2009, Eddie Murphy referiu a Holy Man como um "filme horrendo", apesar de não se referir ao filme pelo nome.[8] Em novembro de 2011, no programa Late Night with Jimmy Fallon, Murphy chamou Holy Man de um filme horrível.[9]

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. a b WLOSZCZYNA, Susan (11 de dezembro de 1998). «Falta imaginação a 'Santo Homem'». Traduzido por Ana Maria Guariglia. São Paulo: Folha de S.Paulo, caderno Ilustrada. Consultado em 4 de março de 2018. 
  2. «FILM REVIEW; Raising Consciousness, Lightening Wallets». The New York Times. 9 de outubro de 1998. Consultado em 4 de março de 2018. 
  3. «Holy Man (1998)». Box Office Mojo. Consultado em 23 de maio de 2010. 
  4. «'Holy Man' Needs Miracle». Los Angeles Times. Consultado em 31 de maio de 2012. 
  5. «Holy Man (1998)». Rotten Tomatoes. Consultado em 23 de maio de 2010. 
  6. «FILM REVIEW; Raising Consciousness, Lightening Wallets». The New York Times. Consultado em 31 de maio de 2012. 
  7. «Holy Man». Chicago Sun Times. Consultado em 31 de maio de 2012. 
  8. Murphy, Eddie; O'Brien, Conan (9 de junho de 2009). «Eddie Murphy, Angela Kinsey, Bonnie Raitt & Taj Mahal». The Tonight Show with Conan O'Brien. Temporada 1. Episódio 7. NBC 
  9. «Eddie Murphy on Late Night with Jimmy Fallon». LateNightWithJimmyFallon.com. Consultado em 6 de novembro de 2011. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.