Homo Mermanus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Homo Mermanus
Comic image missing-pt.png
Publicado por Marvel Comics
Primeira Aparição Motion Picture Funnies Weekly #1 (abril, 1939)
Tipo Raça Terrestre aquática
Tipo Raça Terrestre aquática
Localização Terra, Cidade submersa de Atândida
Principais Representantes Namor;
Namora;
Namorita
Habilidades Capacidade de viver em baixo d´água


Homo mermanus é uma raça ficcional de humanóides aquáticos que vivem no reino submarino de Atlândida e aparecem sempre no universo marvel relacionados com as aventuras de Namor, o príncipe submarino, que também é o mais notável membro desta raça.

Características[editar | editar código-fonte]

Uma ramificação da espécie do Homo sapiens com uma origem ainda desconhecida, os Homo mermanus são uma espécie de mamíferos, mas com algumas características písceas: cada um possui dois pares de brânquias localizadas em seus pescoços perto da clavícula óssea, o que lhes permite respirar na água. Sua pigmentação da pele pode ser azul (Atlantes) ou verde (Lemurianos e nómades).

Sua fisiologia é também muito mais forte e mais resistente do que a do Homo sapiens, ditadas por sua exposição à grande pressão das águas profundas. Como conseqüência são fisicamente muito mais fortes do que a média dos seres humanos podendo nadar até 30 milhas (48 km) por hora. O tempo de vida típico de um Homo mermanus é de 150 anos. No entanto eles não podem sobreviver fora da água por mais de cinco minutos sem socorro.

A população total do Homo mermanus foi estimada em mais de 1.000.000 de habitantes no mundo todo.

Atlândida[editar | editar código-fonte]

O Homo mermanus são muitas vezes referidos como Atlantes, pois é na cidade de Atlântida que a sua primeira sociedade complexa emergiu.

Atlântida tinha sido um pequeno continente acima do solo com muitos assentamentos humanos, quando um evento 10.000 anos atrás chamado o "Grande cataclismo" causou a sua submersão no mar. 2000 anos mais tarde, um grupo de Homo mermanus fizeram das ruínas dos assentamentos humanos na Atlantida sua casa e passou a desenvolver uma sociedade ali usando todo o material que poderiam extrair dos destroços.

500 anos após a colonização da Atlântida, um outro grupo de Homo mermanus deixou Atlantida para fundar a sua própria cidade, desta vez em uma parte das ruínas de um outro continente submerso durante o Grande cataclisma - Lemuria no Oceano Pacífico.

Estes "Lemurianos" iriam descobrir a Coroa da Serpente nas ruínas de sua cidade, e com o seu líder Naga utilizando e expondo extensivamente o artefato místico antigo, se tornariam com uma aparência mais ofídica e com a pele verde em contraste com os seus primos Atlantes, que possuem pele azul.

Durante o século 20 a raça dos Homo mermanus começou a entrar em contacto com os seus primos seres humanos da superfície. Estes contactos foram muitas vezes hostis, o que incluiu muitas invasões abortadas e até mesmo ocasiões distintas quando um grande número de Homo mermanus eram prestados em estado comatoso ou esterilizados por períodos. Durante a Segunda Guerra Mundial, o reino da Atlântida também lutou contra as forças do Eixo em aliança com as Forças Aliadas.

No entanto, nem todas as interações entre Homo sapiens e Homo mermanus foram hostis - na década de 1920 um Homo mermanus feminino, Princesa Fen da Atlântida apaixonou-se e teve um filho com o capitão marinheiro humano Leonard McKenzie - uma união que produziu o primeiro híbrido Homo sapiens/Homo mermanus - Namor, o príncipe submarino.

No período entre os eventos da Guerra Civil e do world war Hulk, os homo mermanus, culpados de terrorismo, devido às acções de Kamar, filho militarista de Namor, são forçados a sair do mar, utilizando um equipamento especial criado para poderem viver entre a humanidade. Atualmente, o exército Atlante reside na Latvéria, como hóspedes do Doutor Destino, e o resto da população civil vivem ao lado do resto da humanidade.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências