Hosea Ballou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o primeiro Presidente da Universidade Tufts (1796–1861), veja Hosea Ballou II.
Hosea Ballou
Retrato de Hosea Ballou na sede da Associação Unitária Universalista em Boston.
Nascimento 30 de abril de 1771
Richmond, Nova Hampshire
Morte 7 de junho de 1852 (81 anos)
Boston
Nacionalidade  Estados Unidos
Ocupação teólogo, escritor.
Religião Universalismo cristão

Hosea Ballou (Richmond, Nova Hampshire, 30 de abril de 1771 – Boston, 7 de junho de 1852) foi um clérigo universalista e teólogo americano. Foi chamado de um dos pais do universalismo cristão americano.

Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Segunda Igreja Universalista, School Street, Boston; construída em 1817.

Hosea Ballou era filho de Maturin Ballou, um ministro batista. Foi autodidata e se dedicou ainda muito jovem ao ministério. Em 1789 se converteu ao universalismo e em 1794 tornou-se pastor de uma congregação em Dana, Massachusetts.[1]

Ballou pregou em Barnard, Vermont e em cidades vizinhas de 1801 até 1807; em Portsmouth, Nova Hampshire de 1807 até 1815; em Salem, Massachusetts, de 1815 até 1817; e, como pastor da Segunda Igreja Universalista de Boston, de dezembro de 1817 até a sua morte.[1]

Ele fundou e editou The Universalist Magazine (1819, mais tarde chamada The Trumpet) e The Universalist Expositor (1831 - mais tarde The Universalist Quarterly Review), e escreveu cerca de 10 mil sermões, bem como muitos hinos, ensaios e trabalhos teológicos polêmicos. É mais conhecido por Notes on the Parables (1804), A Treatise on Atonement (1805) e Examination of the Doctrine of a Future Retribution (1834). Essas obras o marcam como o principal expositor americano do universalismo.[1]

Ballou casou-se com Ruth Washburn; entre seus filhos está Maturin Murray Ballou. Ele é o tio-avô de Hosea Ballou II, o primeiro presidente da Universidade Tufts.[2]

Crenças[editar | editar código-fonte]

Ballou foi chamado de "pai do universalismo americano", juntamente com John Murray, que fundou a primeira igreja universalista na América. Ballou, às vezes chamado de "Ultra Universalista", diferiu de Murray, na medida em que despojou o universalismo de todos os vestígios do calvinismo e se opôs ao legalismo e às opiniões trinitárias.[1]

Ballou também pregava que aquelas formas de cristianismo que enfatizavam Deus como colérico, por sua vez endureciam os corações de seus fiéis:

"É bem conhecido, e será reconhecido por cada pessoa sincera, que o coração humano é capaz de tornar-se macio ou duro; amável ou cruel; misericordioso ou impiedoso, por educação e por hábito. Com este princípio, afirmamos que os tormentos infernais que a falsa religião colocou no mundo futuro e que os ministros têm, com um zelo transbordante, tão constantemente apresentado às pessoas e instados com toda a sua aprendizagem e eloquência, tenderam a endurecer os corações dos professores desta religião, que exerceram, em relação a seus semelhantes, um espírito de inimizade, que muito bem corresponde à implacável crueldade de sua doutrina e à ira que eles imaginaram existir em nosso Pai celestial. Por terem tal exemplo constantemente diante de seus olhos, eles se tornaram tão transformados em sua imagem, que, sempre que tiveram o poder, eles realmente executaram uma vingança contra homens e mulheres, o que evidenciava que a crueldade de sua doutrina havia superado a bondade nativa e a compaixão do coração humano."[3]

Notas

  1. a b c d Chisholm, Hugh;. «Ballou, Hosea». Encyclopædia Britannica (em inglês). 3 1911 ed. Cambridge: Cambridge University Press. p. 282 
  2. Safford, Oscar Fitzalan (1889). Hosea Ballou: a Marvellous Life-story (em inglês) 2 ed. Boston: Universalist Publishing House. 290 páginas 
  3. Ballou, Hosea (1834). An Examination of the Doctrine of Future Retribution, On the Principles of Morals, Analogy and the Scriptures. Boston: Trumpet Office. p. 36 
    citação de: Southern, Vanessa R. (22 de fevereiro de 2004). «Is There More to Universalism than Universal Salvation?». The Unitarian Church in Summit, New Jersey. Consultado em 13 de dezembro de 2006. 

Referências

  • Anonymous (30 de setembro de 2015). Universalist Quarterly and General Review (em inglês). 11-12. [S.l.]: BiblioLife. p. 176. ISBN 9781343757424 
  • Bowen, Henry (1828). Universalist Magazine (em inglês). 9. Boston: Province House Row 
  • «Rev. Hosea Ballou». Boston. Gleason's Pictorial. 1. 1851 
  • M.M. Ballou. Biography of Rev. Hosea Ballou. Boston : A. Tompkins, 1852. Google books
  • M.M. Ballou. Life story of Hosea Ballou: for the young. Boston: A. Tompkins, 1854. Ilustrações por Hammatt Billings. Google books
  • Oscar F. Safford. Hosea Ballou: a marvellous life-story, 4th ed. Boston: Universalist Pub. House, 1890. Google books
  • Bressler, Ann Lee. The Universalist Movement in America, 1770–1880. Nova Iorque: Oxford University Press, 2001.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]