Hospital de Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hospital
Hospital de Amor
Nome completo Hospital do Câncer de Barretos
Localização Barretos (sede), Jales, Porto Velho, Juazeiro, Fernandópolis, Campo Grande, São Paulo, Campinas
Fundação 27 de novembro de 1967 (50 anos) (Fundação Pio XII)
Sistema de saúde Sistema Único de Saúde (SUS)
Financiamento Público e privado
Tipo Filantrópica
Especialidades Oncologia
Site hospitaldeamor.com.br
editar

Hospital de Amor, anteriormente conhecido como Hospital de Câncer de Barretos[1] é uma instituição de saúde filantrópica brasileira especializada no tratamento e prevenção de câncer com sede em Barretos, São Paulo.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Mantido pela Fundação Pio XII, é a maior instituição oncológica do país contando com unidades espalhadas pelas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte, sendo três hospitais em Barretos, Jales e Porto Velho, Rondônia, além de unidades fixas de prevenção ao câncer em Campinas, Fernandópolis, Campo Grande, Nova Andradina e Juazeiro.[2] Com uma média de 4 100 atendimentos a pacientes por dia e mais de 400 médicos que trabalham em período integral com dedicação exclusiva, é o hospital que mais atende casos de câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil em 18 especialidades.[3][4]

Possui um complexo que realiza 1,2 milhão de atendimentos por ano. São 134 000 metros quadrados de área construída nas cidades com unidades. Conta também com 11 unidades móveis – carretas equipadas com mamógrafos. Em 2015 a instituição realizou 98 mil exames em 200 municípios.[5] É mantido, em grande parte, com doações da sociedade por meio de comunidades que fazem doações, leilões ou por organizações.[6] Tem custo mensal de 23 milhões de reais, recebendo do SUS cerca de 14 milhões. São cerca de 30 milhões de reais em donativos por ano.[7]

Unidade de Campinas[editar | editar código-fonte]

Instituto de Prevenção Hospital de Amor Campinas

Inaugurada no dia 18 de julho de 2017 a unidade do Hospital do Câncer de Barretos em Campinas, batizada de Hospital de Amor, fica localizada na Avenida das Amoreiras, próximo ao Hospital Municipal Mário Gatti. Segundo Henrique Prata, o então presidente da instituição, o hospital poderá atender 300 mulheres por dia para a realização de exames de mama e colo de útero, além de pequenas cirurgias para o tratamento dessas doenças. Futuramente atenderá também casos de câncer de pele e de boca.

A construção do prédio teve um custo estimado em R$ 33 milhões e esse valor veio graças a um acordo entre o Ministério Público do Trabalho com empresas no caso BASF/Shell, que causou a contaminação em Paulínia que afetou trabalhadores e moradores vizinhos da empresa. Já o custo previsto para o funcionamento da instituição é de R$ 500 mil por mês, sendo que desse valor, R$ 100 mil virão do Ministério da Saúde, uma outra parte virá do SUS e o restante deverá vir de um convênio com o município e de doações.[8]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

É uma instituição reconhecida no Brasil e no mundo como referência na atuação do campo da oncologia, com elevados padrões de qualidade e de humanização no atendimento. Ao lado do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), foi eleito em pesquisa popular o melhor hospital conveniado ao SUS do Estado de São Paulo, com 97,2% de aprovação em categorias como serviço, infraestrutura, limpeza e qualidade do atendimento.[9][10]

Referências

  1. http://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2017/05/1885344-hospital-do-cancer-de-barretos-passara-a-chamar-hospital-do-amor.shtml
  2. Esteves, Kaio; Toledo, Marcelo (1 de junho de 2016). «Hospital de Câncer de Barretos ameaça fechar unidade do interior paulista». Folha de S.Paulo. Consultado em 7 de abril de 2017. 
  3. «Hospital do Câncer de Barretos faz 4.100 atendimentos todos os dias». Globo.com. Jornal Hoje. 17 de junho de 2016. Consultado em 7 de abril de 2017. 
  4. «Atendimento no Hospital de Câncer em Barretos é ampliado». Portal Brasil. 21 de outubro de 2013. Consultado em 7 de abril de 2017. 
  5. Segatto, Cristiane; Redondo, Filipe (10 de janeiro de 2016). «Hospital de Câncer de Barretos: onde o amor resiste». Globo.com. Época. Consultado em 7 de abril de 2017. 
  6. «Três são presos por desviar recursos do Hospital do Câncer de Jales, diz PF». Globo.com. G1. 8 de novembro de 2016. Consultado em 7 de abril de 2017. 
  7. Moreira, Rene (27 julho 2014). «Shows reforçam verba de hospital em Barretos». Estadão. Consultado em 7 de abril de 2017. 
  8. G1, Redação (18 julho 2017). «Instituto de Prevenção de Campinas abre com promessa de diminuir filas e gastos na rede pública». G1. Consultado em 18 de julho de 2017. 
  9. «Hospital de Câncer de Barretos é eleito o melhor hospital público de SP». Globo.com. G1. 16 de dezembro de 2014. Consultado em 7 de abril de 2017. 
  10. Teófilo, Sarah (11 de julho de 2017). «Deputado postula unidade do Hospital do Câncer de Barretos em Palmas». João Opção. Consultado em 7 de abril de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Portal A Wikipédia tem o portal: