Howard Davies

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Stephen Howard Davies (26 de abril de 194525 de outubro de 2016) foi um diretor de teatro e televisão britânico.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Davies, filho de um mineiro, nasceu em Durham, Inglaterra,[1] e estudou na Universidade de Durham e na Universidade de Bristol, onde desenvolveu uma apreciação pelas obras de Bertolt Brecht.

Na década de 1970, Davies trabalhou extensivamente com o Bristol Old Vic e a Birmingham Repertory Theatre, e serviu como diretor-associado para a Royal Shakespeare Company, onde dirigiu Les liaisons dangereuses, Macbeth e Troilo e Créssida. Ele também realizou muitos trabalhos para o Royal National Theatre, seus projetos incluíam Hedda Gabler, A Casa de Bernarda Alba, Pigmalião, As Bruxas de Salem, The Shaughraun, Paul, e onde dirigiu Chekhov's The Cherry Orchard, que começou a ser exibido em maio de 2011 e foi ao ar em 30 de junho de 2011 como parte do National Theatre Live. No Almeida Theatre, ele dirigu Who's Afraid of Virginia Woolf? e The Play About the Baby, enquanto no teatro Hampstead dirigiu a estréia de 2012 de 55 Days.

Seus créditos com ópera incluem Idomeneo, re di Creta, L'italiana in Algeri, Yevgeny Onegin, e I due Foscari,[2][3] dirigiu a peça relacionada a ópera After Aida em 1985-86 em Wales e no Old Vic Theatre.

O trabalho de Davies no teatro West End lhe garantiu o prêmio Laurence Olivier Award de melhor diretor por The Iceman Cometh, All My Sons e The White Guard; o London Critics Circle Award de melhor diretor para Mourning Becomes Electra e The Iceman Cometh; e o Evening Standard Award de melhor diretor para All My Sons e Flight.[4]

Davies fez sua estréia na Broadway com Piaf em 1981. Créditos adicionais na Broadway incluem Les liaisons dangereuses, o revival de 1990 de Cat on a Hot Tin Roof, o revival de 1993 de My Fair Lady, Translations, o revival de 1999 de The Iceman Cometh, o relançamento de 2002 de Private Lives e o revival de 2007 de A Moon for the Misbegotten. Ele já foi indicado para o Tony Award de melhor direção três vezes, mas não ganhou, e ao Drama Desk Award três vezes, vencendo por Les liaisons dangereuses.

Davies também é creditado pelos filmes de televisão, Copenhagen e Blue/Orange, além do longa-metragem The Secret Rapture.

Ele foi honrado a Ordem do Império Britânico durante as Honrarias de Ano Novo em 2011 pelas suas contribuições ao teatro.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Davies era casado com a atriz Clare Holman.

Morreu em 25 de outubro de 2016, aos 71 anos.[5]

Referências

  1. http://www.filmreference.com/film/18/Howard-Davies.html
  2. http://www.pbs.org/hollywoodpresents/copenhagen/about/bios.html
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 29 de agosto de 2013. Arquivado do original em 24 de julho de 2011 
  4. «Cópia arquivada». Consultado em 29 de agosto de 2013. Arquivado do original em 2 de março de 2008 
  5. «Director Howard Davies dies aged 71». WhatsOnStage. Consultado em 26 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]