Hulha Negra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hulha Negra
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Hulha Negra
Bandeira
Brasão de armas de Hulha Negra
Brasão de armas
Hino
Gentílico hulhanegrense
Localização
Hulha Negra está localizado em: Brasil
Hulha Negra
Localização de Hulha Negra no Brasil
Mapa de Hulha Negra
Coordenadas 31° 24' 14" S 53° 52' 08" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Municípios limítrofes Pedras Altas, Candiota, Bagé e Aceguá
Distância até a capital 410 km
História
Fundação 20 de março de 1992 (28 anos)
Administração
Prefeito(a) Renato Machado (PP, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 822,943 km²
População total (est. IBGE/2016[2]) 6 521 hab.
Densidade 7,9 hab./km²
Clima Subtropical (Cfa)
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,643 médio
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 95 828,095 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 15 086,29

Hulha Negra é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul, que faz parte da bacia hidrográfica do rio Camaquã.

História[editar | editar código-fonte]

O marco inicial da história da cidade data de 1884, quando foi instalada uma estação numa ferrovia que cortava a região. O ponto rapidamente se transformou em um centro de circulação de atividades comerciais e iniciou a formação de um povoado, diversificando as atividades econômicas, até então voltadas principalmente para a pecuária e o charque, apesar do potencial para agricultura.

A inspiração para o nome "hulha", vem de uma das principais riquezas do município, o carvão mineral. A exploração do carvão na região começou no fim do século XIX, segundo alguns relatos, e terminou no início da década de 50. foi ele que inspirou o nome "hulha", e constitui um grande potencial para exploração futura.

Na mesma época do término da exploração do carvão surgiram as primeiras conversas a respeito da emancipação. Um grupo liderado por José Macke, Hugo Canto e Francisquinho Kloppenburg, formou uma Comissão de Emancipação, conseguindo atingir seu objetivo em 1965. O documento era assinado pelo então Governador, Ildo Meneghetti, e a eleição para Prefeito e Câmara de Vereadores estava marcada para 06 de marco de 1966. Entretanto, um mandado de segurança impetrado pela Prefeitura de Bagé, e sumariamente julgado pelos tribunais da época anulou o plebiscito e, por conseguinte, a criação do novo Município.

O fim da década de 60 marcou o início da eletrificação rural, o auge da agricultura, e a criação da primeira escola de primeiro grau completo. No final da década de 80 o antigo povoado, cuja colonização fora iniciada em 1880, contava com cerca de 600 casas, quase todas de propriedade dos moradores. Também no final dessa década reiniciou-se o processo de assentamento de colonos, totalizando 500 famílias. 1990 marcou o início da arrancada decisiva para a tão almejada emancipação de Hulha Negra, tendo como líderes do movimento o Capitão Hugo Canto e o Agricultor Lourenço Macke. A almejada separação se deu finalmente em 20 de março de 1992, tendo como primeiro prefeito Marco Antônio Ballejo Canto (PDT), que administrou a prefeitura de Hulha Negra por três mandatos (1993 a 1996, 2001 a 2004 e 2005 a 2008).

Economia[editar | editar código-fonte]

O PIB da cidade é composto em sua maior parte pela atividade industrial, com extraordinária importância a participação do Frigorífico Marfrig Group e as empresas que estão diretamente ligadas a este, como a Inesa (indústria de latas), e os prestadores de serviços de transporte. Destacam-se também a Padaria Kloppenburg e a Indústria de Alimentos Trakn, panifícios que produzem famosos biscoitos Kloppenburg e Trakn, e a Cooperal.

A agropecuária é o segundo setor em importância econômica. Neste ramo se destacam a produção de gado de corte, arroz e gado de leite. São também importantes a produção de sementes de olerícolas(hortaliças), melão, tomate, cebola, sorgo, milho, soja, ovinos, florestas e mel.

Em terceiro lugar vem a extração mineral, com destaque para a empresa Mônego, que explora o calcário.

Rádio[editar | editar código-fonte]

Em 7 de março de 2006, o município deu um grande passo para o desenvolvimento com a fundação da Associação Rádio Comunitária Hulha Negra. Até então o município não contava com nenhum veículo de comunicação local, tendo a população muitas vezes que se deslocar por cerca de 30 km para ir até a cidade de Bagé para colocar alguma notícia ou mesmo anunciar perda de documentos, nota de falecimento e etc.

Atualmente emissora é presidida por Fabiano Vignol Leal, jovem de 35 anos que assumiu o cargo em janeiro de 2012 dando continuidade ao trabalho realizado por demais companheiros que ajudaram a fundar a emissora. Seu vice-presidente é nada menos que o Sr. Lourenço Macke, peça fundamental na emancipação de Hulha Negra e que hoje tem papel importante na comunidade e também na Associação Rádio Comunitária Hulha Negra, entidade mantenedora da Rádio Hulha Negra FM.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros em 01.07.2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 24 de junho de 2017 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.