Hybrid Theory

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hybrid Theory
Álbum de estúdio de Linkin Park
Lançamento 24 de Outubro de 2000
Gravação Março - Junho de 2000 em NRG Recordings, Califórnia
Gênero(s) Nu metal[1]
Rap metal[2]
Duração 37:45
Gravadora(s) Warner Bros.
Produção Don Gilmore
Cronologia de Linkin Park
Hybrid Theory (EP)
(1999)
Reanimation
(2002)
Singles de Hybrid Theory
  1. "One Step Closer"
    Lançamento: 28 de novembro de 2000
  2. "Crawling"
    Lançamento: 1 de maio de 2001
  3. "Papercut"
    Lançamento: 25 de setembro de 2001
  4. "In the End"
    Lançamento: 20 de novembro de 2001

Hybrid Theory é o álbum de estreia do Linkin Park. É o mais vendido da banda até o momento; cerca de 24 milhões de cópias pelo mundo inteiro, sendo disco de diamante nos Estados Unidos (equivalente a 10 milhões de cópias vendidas somente neste país). Este álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame[3]

Entre 1998 e 1999, este título era originalmente o nome da banda (anteriormente chamada Xero). No começo de 2000, por causa de uma marca registrada com os produtores galeses de música eletrônica Hybrid, eles mudaram o nome para "Linkin Park". O vocalista Chester Bennington passava dirigindo perto de um parque chamado Lincoln Park (agora Christine Reed Park, em Santa Mônica (Califórnia)) todos os dias após gravar, e sugeriu o nome. "Hybrid Theory" foi mantido como nome do álbum.

Linkin Park gravou este álbum sem seu baixista, Dave Farrell, que teve outros compromissos na época. As partes do baixo foram, na maioria das músicas, gravadas pelo guitarrista Brad Delson, mas a banda também contratou dois baixistas para as sessões. Ian Hornbeck toca baixo em três músicas, mais notavelmente em "Papercut", enquanto Scott Koziol toca baixo na qual se tornou o primeiro single americano da banda, "One Step Closer".

Hybrid Theory é considerado o oitavo álbum mais popular de todos os tempos. A bem conceituada revista americana de música Rolling Stone caracterizou o álbum como "doze canções de fogo compacto, misturando metal alternativo, hip hop e arte de picape, que não podem ser separados". Hybrid Theory foi o álbum mais vendido de 2001 e lançou três singles que foram direto para as paradas, incluindo "In the End". Em 2002, a banda recebeu um Grammy de Melhor Performance Hard Rock por "Crawling", além de indicações para Melhor Álbum de Rock e Melhor Revelação.

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Papercut"   Linkin Park 3:04
2. "One Step Closer"   Linkin Park 2:35
3. "With You"   3:33
4. "Points of Authority"   Linkin Park 3:20
5. "Crawling"   Linkin Park 3:29
6. "Runaway"  
  • Linkin Park
  • Mark Wakefield
3:03
7. "By Myself"   Linkin Park 3:10
8. "In the End"   Linkin Park 3:36
9. "A Place for My Head"  
  • Linkin Park
  • Wakefield
  • Dave Farrell
3:04
10. "Forgotten"   Linkin Park 3:14
11. "Cure for the Itch"   Linkin Park 2:37
12. "Pushing me Away"   Linkin Park 3:11
Duração total:
37:45

Paradas musicais e certificações[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Single Billboard - Faixas de Rock Moderno
"One Step Closer" 5
"Crawling" 5
"Papercut" (somente na Europa) 32
"In the End" 1

Créditos[editar | editar código-fonte]

Linkin Park
Outros músicos
  • The Dust Brothers - batidas adicionais em "With You"
  • Ian Hornbeck – baixo em "Papercut", "A Place for My Head" e "Forgotten"
  • Scott Koziol – baixo em "One Step Closer"

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Linkin Park: Hybrid Theory - PopMatters Music Review
  2. «Hybrid Theory». Allmusic. Consultado em 29 de julho de 2008 
  3. «2007 National Association of Recording Merchandisers». timepieces (em inglês). 2007. Consultado em 25 de maio de 2010 
  4. musicline.de / PhonoNet GmbH. «Chartverfolgung - LINKIN PARK». Musicline.de. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  5. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». australian-charts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  6. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». austriancharts.at. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  7. «Linkin Park - Hybrid Theory». ultratop.be. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  8. «Linkin Park - Hybrid Theory». ultratop.be. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  9. a b «((( Linkin Park > Charts & Awards > Billboard Albums )))». allmusic. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  10. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». danishcharts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  11. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». dutchcharts.nl. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  12. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». lescharts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  13. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». finnishcharts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  14. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». italiancharts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  15. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». charts.org.nz. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  16. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». norwegiancharts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  17. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». swedishcharts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  18. Steffen Hung. «Linkin Park - Hybrid Theory». hitparade.ch. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  19. «Linkin Park». Chart Stats. Consultado em 5 de setembro de 2010. Cópia arquivada em 24 de maio de 2012 
  20. «Gold-/Platin-Datenbank (Linkin Park; 'Hybrid Theory')». Bundesverband Musikindustrie (em alemão). Consultado em 30 de julho de 2017 
  21. Capif.org
  22. Australian Recording Industry Association (2002). «Australian Certification for 2002». Consultado em 13 de julho de 2009 
  23. «IFPI Austria - Verband der Österreichischen Musikwirtschaft» (em (em alemão)). Ifpi.at. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  24. http://www.ultratop.be/xls/Awards%202002.htm
  25. Associação Brasileira dos Produtores de Discos (2001). «Brazilian Certification». Consultado em 20 de junho de 2010 
  26. «Music Canada (Music Canada): Gold & Platinum - August 2002». Cria.ca. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  27. «Hitlisten.NU». Hitlisterne.dk. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  28. «IFPI Platinum Europe Awards - 2008». Ifpi.org. 5 de setembro de 2005. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  29. «Musiikkituottajat - Tilastot - Kulta- ja platinalevyt». Ifpi.fi. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  30. «Disque en France». Disque en France. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  31. AMPROFON (2001). «Mexican Certification For Linkin Park». Consultado em 20 de junho de 2010 
  32. «NVPI». Nvpi.nl. Consultado em 20 de junho de 2010 
  33. «RIANZ». RIANZ. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  34. «Poland's Platinum-certifications 1995-2010». ZPAV. Consultado em 19 de junho de 2010 
  35. International Federation of the Phonographic Industry - Sweden (2001). «Swedish Certification for 2001» (PDF). Consultado em 13 de junho de 2009 
  36. Steffen Hung. «The Official Swiss Charts and Music Community». Swisscharts.com. Consultado em 5 de setembro de 2010 
  37. «Gold/Platinum Certifications for BPI». BPI. Consultado em 17 de maio de 2010 
  38. «Gold & Platinum - September 04, 2010». RIAA. Consultado em 5 de setembro de 2010