Hypera Pharma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Hypera Pharma
Razão social Hypera S.A.
Empresa de capital aberto
Slogan Novas fronteiras para que as pessoas vivam mais e melhor
Cotação B3HYPE3
OTC Pink: HYPMY
Atividade Conglomerado; proprietário de múltiplas marcas.
Gênero Farmacêutica
Fundação 2001
Fundador(es) João Alves de Queiroz Filho
Sede São Paulo, SP
Pessoas-chave Breno Toledo Pires de Oliveira (CEO)
Empregados 6.500 [1]
Produtos Alimentos, beleza e higiene pessoal, medicamentos
Subsidiárias Neo Química
Acionistas Free float (51,44%)
João Alves de Queiroz Filho (21,38%)
Capital Group (11,68%)
Maiorem (14,74%)
Outros Controladores (0,12%)
Administradores (0,21%)
Tesouraria (0,43%)
Valor de mercado Aumento R$ 21,7 bilhões (2020)
Lucro Aumento R$ 1,1 bilhão (2019)[2]
LAJIR Aumento R$ 2,9 bilhões (2014)
Faturamento Aumento R$ 3,2 bilhões (2019)[3]
Website oficial Página oficial

A Hypera Pharma é uma empresa farmacêutica brasileira com sede em São Paulo, sendo considerada a maior empresa farmacêutica brasileira em termos de receita líquida e capitalização de mercado. A companhia está organizada em três unidades de negócio, que refletem seus três principais segmentos de atuação: consumer health, produtos de prescrição, e similares & genéricos[4]. A farmacêutica tem suas ações listadas na B3, em São Paulo.

A companhia foi fundada em 2001, sob o nome Prátika Industrial, que se expandiu através de diversas aquisições. Em 2008 a empresa fez sua estreia na bolsa sob seu novo nome Hypermarcas S.A., usada até fevereiro de 2018, quando sua denominação passou a ser Hypera Pharma[5][6]. Ao final do primeiro semestre de 2017, a empresa era a maior anunciante do mercado publicitário brasileiro.[7]

História[editar | editar código-fonte]

A empresa iniciou suas atividades no ano de 2001, quando João Alves de Queiroz Filho readquiriu a Prátika Industrial, fabricante da palha de aço Assolan. A empresa, por sua vez, era integrante da Arisco, vendida à Bestfoods em 2000, posteriormente incorporada a Unilever, que por sua vez não tinha interesse no negócio de esponjas de aço.

Devido à grande ascensão, a empresa obteve necessidade de expandir sua produção e sua distribuição, por consequência, adquiriu a Help e a Brilmis e inaugurou um novo centro de distribuição em Goiânia, também em 2002. Neste mesmo ano a empresa alterou sua denominação para Assolan Industrial, dando início a uma série de aquisições nos anos seguintes como a Fisibra (2003), a Distribuidora Clean (2005) e também iniciou-se em um novo segmento, o de detergentes em pó para lavar roupas, com a aquisição da Quimivale Industrial, também em 2005.

Em 2006, a empresa estreia em dois novos segmentos: alimentos (com a compra da Etti) e cosméticos, fruto da parceria com a empresária Cristiana Arcangeli.

No ano de 2007, adquire ainda a DM Farmacêutica (fabricante de Merthiolate, Monange, Cenoura & Bronze e outros), a Sulquímica (fabricante de Mat Inset e Fluss) e a Finn, dona do adoçante de mesmo nome. Neste mesmo ano a empresa ganhou novo nome e nova denominação social, passando a se chamar Hypermarcas, e a Assolan torna-se uma das marcas do recém-formado conglomerado.

No ano de 2008, se torna uma sociedade anônima. No mesmo ano, a empresa lança sua oferta inicial pública de ações na Bovespa, captando cerca de R$ 700 milhões[8]. Posteriormente, incorporou a Farmasa e adquiriu a Ceil (controlada da Revlon no Brasil, proprietária das marcas Bozzano, Aquamarine, Juvena e Campos do Jordão), as marcas Nylooks, Radical, Bia Blanc e Summer Look da Brasil Global Cosméticos em julho, e em setembro, adquiriu a Niasi. Ainda neste ano, foi deflagrada a Operação Tira-Teima, onde a PF investigou o fundador e mais três ex-executivos da empresa por denúncias de pagamento de propina a políticos do MDB e do PSDB para favorecer a empresa[9].

Em 2009, adquiriu do Grupo Silvio Santos a Hydrogen Comésticos por cerca de R$ 25 milhões[10]. Posteriormente adquiriu a Inal (fabricante dos preservativos Olla e Lovetex) e a marca Jontex (até então pertencente à Johnson&Johnson), detendo assim uma fatia próxima dos 45% no mercado de preservativos[11], além da fabricante de fraldas e absorventes Pom Pom.[12] Ainda em 2009, adquire o laboratório Neo Química por R$ 1,3 bilhão[13].

Em 2010, adquiriu a Luper (dona de marcas como Gastrol e Dramavit) por R$ 52,1 milhões[14], a York (de higiene pessoal e hospitalar) por R$ 95 milhões[15], a Facilit (dona da marca Sanifill) por R$ 60,4 milhões[16], a Sapeka, de fraldas infantis, por R$ 225 milhões[17], a Mabesa (dona de marcas como Cremer-Disney, Plim Plim e Puppet) por R$ 350 milhões[18], além das controladoras da empresa de produtos odontológicos Bitufo, por R$ 80,05 milhões[19]. Neste mesmo ano, compra também a marca Pom Pom Sabonetes (que estava sob o domínio da Colgate-Palmolive), por R$ 85 milhões[20], as marcas Digedrat (usado em tratamentos do coração, Peridal (linha gástrica) e Lopigrel (da linha infantil) da Medley por R$ 84 milhões[21] e a Mantecorp (laboratório fabricante de medicamentos tais como Polaramine e dermocosméticos), por R$ 2,5 bilhões[22].

Em 2011, compra a linha de produtos e a marca Perfex, assim como sua tecnologia, da Johnson&Johnson por US$ 17 milhões[23].

Em outubro de 2011, a empresa vende algumas marcas de seu portfólio de limpeza (Assim, Sim, Gato, Fluss, Sanifleur e Mat Inset) para a Flora, controlada pela J&F, por R$ 140 milhões. O acordo incluía ainda uma fábrica localizada em Itajaí. Na época, a empresa justificou a venda como parte do plano de focar seus negócios nos segmentos farmacêutico e de higiene pessoal[24]. Em dezembro do mesmo ano, opta pelo desinvestimento total do segmento de consumo, com a venda das marcas Assolan, Perfex e Cross Hatch para a Ypê por R$ 130 milhões. Paralelamente a isso, vende as marcas Etti e Salsaretti (de alimentos) para a Bunge, por cerca de R$ 180 milhões. A negociação envolveu ainda a venda das fábricas da Etti em São Paulo e da Assolan em Goiás[25].

Em dezembro de 2015, opta pela venda da divisão de cosméticos para a francesa Coty, com marcas como Bozzano, Monange, Paixão, Biocolor, Risqué e Cenoura & Bronze, por R$ 3,8 bilhões. A empresa justifica que, desta maneira, pode manter seu foco no segmento farmacêutico[26].

Em janeiro de 2016, numa tentativa de reduzir seu endividamento e focar em linhas mais rentáveis, anuncia a venda da divisão de preservativos para a britânica Reckitt Benckiser, por R$ 675 milhões. Na época da venda, a divisão era responsável por apenas 2% do faturamento total do grupo[27]. Ainda em 2016, anuncia a venda da divisão de produtos descartáveis para a belga Ontex, por R$ 1 bilhão. Desta forma, a empresa conclui a reestruturação almejada em 2015[28].

Em 2018, anuncia a mudança de nome para Hypera Pharma. A mudança, segundo a empresa, tem como objetivo destacar o novo momento da companhia, com foco exclusivo no mercado farmacêutico a partir do ano de 2017[29].

Em 2019, anuncia a compra da linha de medicamentos Buscopan, da Boehringer Ingelheim, por R$ 1,3 bilhão. A aquisição, segundo a empresa, faz parte da estratégia do grupo, que nos últimos anos se concentrou no segmento farmacêutico, de buscar fortalecimento no mercado de produtos que não precisam de receita[30].

Em 2020, compra um portfólio de medicamentos da Takeda, por cerca de US$ 825 milhões. Alguns medicamentos que fazem parte do acordo são Neosaldina e Nebacetin, na linha de OTC, além de Alektos e Dramin, na linha de medicamentos de prescrição. Com isso, a empresa se torna a maior farmacêutica do Brasil e a líder no segmento de medicamentos OTC[31]. Ainda no mesmo ano, anuncia a venda de um portfólio com 12 marcas para a Eurofarma por US$ 161 milhões. A venda contempla todos os mercados da América Latina, com exceção do Brasil[32].

Em 2021, adquire da Sanofi um portfólio de 12 marcas (como o analgésico AAS, o antisséptico Cepacol e o fitoterápico Naturetti) por US$ 190 milhões. O acordo prevê ainda que a Sanofi forneça os medicamentos até que a empresa obtenha as licenças necessárias junto à Anvisa[33]. Ainda em 2021, anuncia a venda do portfólio adquirido da Sanofi na Colômbia e no México para a Eurofarma por US$ 51,6 milhões[34].

Em 2022, anunciou a compra de uma propriedade produtora da duboisia (planta da qual se extrai a escopolamina, princípio ativo do Buscopan) da Boheringer Ingelheim por R$ 190 milhões. Além disso, o acordo contempla a transferência do know-how da produção do IFA da linha Buscopan, hoje produzido na Alemanha e vendido para a Sanofi em outros mercados e para a empresa, no Brasil. A partir de 2026, a empresa espera começar a produção do princípio ativo no Brasil[35].

Marcas[editar | editar código-fonte]

Medicamentos de Prescrição

  • Mantecorp Farmasa (linha de medicamentos no segmento de Primary Care/Cuidados Básicos)

Dermocosméticos

  • Agecare
  • Blancy
  • Dersab
  • Epidac
  • Epidrat
  • Episol
  • Hidramamy
  • Lanidrat
  • Pielus

Medicamentos isentos de prescrição médica

A B C D E / F / G H / I / J / K / L M N / O P / Q / R / S T / U / V / X / Z
AcerogripC Babyneo Cafilisador D'ella Engov Hemovirtus Magnopyrol Napronax Parapsyl Tamarine
Addera D3 Babyneo Prevent Calamyn Daktazol Epidac Hidramamy Mantecorp Nasaleze Pepto-Zil Tefin
Agecare Bacineo Calcylon Dermalina Epidrat Hidraplus Maracugina Neo Clotrimazyl Perfer Termopirona
Alcaflor Uno Belup Calminex Dermil Episol Hipodermon Massageol Neo Dimeticon Pielus Tilugen
Alivium Cápsulas Líquidas Benegrip Ceprofen Dersab Epocler Histamin Maxtest Neo Isocaden Plantacil Tiratosse
Ambroflux Bequidex Cetafrin Descon Escabin Humectol D Melhoral Neo Loratadin Plesonax Tyneo
Apetibe Betaliver Cetilplex Doralgina Estomazil Ibufran Merthiolate Neo Mebend Polaramine Virilon
Apracur Biotônico Fontoura Cetiva AE Doraplax Farlac Kalloplast Miorrelax Neocoflan Pratium Visazul
Asseptcare Bisuisan Cetoneo Doriflan Flate Ketomicol Mirador Neocopan Resfryneo Vitasay Stress
Atrofem Blancy Citroplex Doril Flomicin Lacto-Purga MM Expectorante Neolefrin Rinosoro Xarope Neo
AAS1 Blumel Guaco Clanistil Dorilan Fluviral Lanidrat Mucocistein Neolefrin Baby Salimetin
Alektos Brain Farma Clean Hair Dramavit Gastrol Licor de Cacau Xavier Neopiridin Scaflam
Broncoflux Conmel Dramin Gastrol TC Life Vit Neosoro Silibom
Buscopan / Buscofem Coristina D Gelol Lisador Neosoro H
Curativ Gurgol Lombalgina Neossolvan
Cepacol1 Loralerg Neotoss
Lorentil Nujol
Lucretin Naturetti1
Neosaldina
Nebacetin

Adoçantes

  • Adocyl
  • Finn
  • Zero-Cal

Similares e Genéricos

1Apenas no mercado brasileiro. Nos demais mercados, a produção e venda dos medicamentos é feita pela Sanofi.

Referências

  1. Marcelo de Valécio. «Na visão da Hypera Pharma, o Brasil será um dos cinco maiores mercados em 2019» 🔗. ICTQ - Indústria Farmacêutica. Consultado em 11 de abril de 2022 
  2. «Business news». Reuters 
  3. «Hypermarcas» (PDF). Infoinvest. Consultado em 20 de março de 2015. Arquivado do original (PDF) em 2 de abril de 2015 
  4. «Hypera - Perfil Corporativo» 
  5. «Hypermarcas muda o nome para Hypera Pharma e quer crescer acima do mercado». Febrafar 
  6. «Hypera Pharma passa a ser o novo nome da Hypermarcas». Valor Econômico 
  7. «Hypermarcas assume a liderança no ranking de anunciantes do 1º semestre de 2017» 
  8. «Hypermarcas capta cerca de R$ 700 milhões com IPO - Economia». Estadão. Consultado em 22 de maio de 2022 
  9. Minas, Estado de; Minas, Estado de (10 de abril de 2018). [https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2018/04/10/interna_politica,950490/pf-deflagra-operacao-tira-teima-e-investiga-pagamentos-de-vantagens-a.shtml «PF deflagra Opera��o Tira-Teima e investiga pagamentos de vantagens a pol�ticos»]. Estado de Minas. Consultado em 22 de maio de 2022  replacement character character in |titulo= at position 18 (ajuda)
  10. «Hypermarcas fecha a compra da Hydrogen - Economia». Estadão. Consultado em 22 de maio de 2022 
  11. «Hypermarcas compra Olla e Jontex». O Globo. 7 de outubro de 2009. Consultado em 22 de maio de 2022 
  12. «Hypermarcas fecha acordo para comprar a Pom Pom por R$ 300 mi» 
  13. «Hypermarcas compra Neo Química por cerca de R$ 1,3 bilhão». O Globo. 7 de dezembro de 2009. Consultado em 22 de maio de 2022 
  14. «Hypermarcas compra Luper Indústria Farmacêutica por cerca de R$ 52,1 milhões». InfoMoney. 19 de abril de 2010. Consultado em 22 de maio de 2022 
  15. Online, Do Valor (12 de novembro de 2010). «Hypermarcas conclui compra da York por R$ 95 milhões». Economia e Negócios. Consultado em 22 de maio de 2022 
  16. «Época NEGÓCIOS - NOTÍCIAS - Hypermarcas compra Facilit Odontológica e Perfumaria». epocanegocios.globo.com. Consultado em 22 de maio de 2022 
  17. «Época NEGÓCIOS - NOTÍCIAS - Hypermarcas pagará R$ 225 milhões por fraldas Sapeka». epocanegocios.globo.com. Consultado em 22 de maio de 2022 
  18. «Hypermarcas compra a fabricantes de fraldas Mabesa». Exame. 10 de outubro de 2010. Consultado em 22 de maio de 2022 
  19. OnLine, Valor (25 de novembro de 2010). «Hypermarcas conclui compra da Bitufo por R$ 80 milhões». Economia e Negócios. Consultado em 22 de maio de 2022 
  20. OnLine, Do Valor (11 de novembro de 2010). «Hypermarcas compra Pom Pom, Bitufo e 3 marcas por R$ 251 milhões». Economia e Negócios. Consultado em 22 de maio de 2022 
  21. OnLine, Do Valor (25 de março de 2011). «Hypermarcas conclui compra de marcas da Medley». Economia. Consultado em 22 de maio de 2022 
  22. Reuters, Da (20 de dezembro de 2010). «Hypermarcas compra Mantecorp por R$ 2,5 bilhões». Negócios. Consultado em 22 de maio de 2022 
  23. OnLine, Valor (14 de janeiro de 2011). «Hypermarcas compra Perfex da Johnson & Johnson por US$ 17 milhões». Economia. Consultado em 22 de maio de 2022 
  24. G1, Do; Paulo, em São (24 de outubro de 2011). «Hypermarcas vende marcas de limpeza por R$ 140 milhões». Negócios. Consultado em 22 de maio de 2022 
  25. «Hypermarcas fecha venda da Assolan e Etti por R$ 310 milhões - Economia». Estadão. Consultado em 22 de maio de 2022 
  26. G1, Do; Paulo, em São (2 de novembro de 2015). «Hypermarcas faz acordo de venda de divisão de cosméticos para a Coty». Negócios. Consultado em 22 de maio de 2022 
  27. Reuters. «Hypermarcas vende área de preservativos para Reckitt Benckiser por R$ 675 milhões». Época Negócios. Consultado em 22 de maio de 2022 
  28. «Hypermarcas confirma venda de negócio de descartáveis para Ontex». Exame. 23 de dezembro de 2016. Consultado em 22 de maio de 2022 
  29. «COMUNICADO AO MERCADO - 7 de fevereiro de 2018» (PDF). 7 de fevereiro de 2018. Consultado em 21 de maio de 2022 
  30. «Hypera compra Buscopan e outros ativos da Boehringer por R$ 1,3 bilhão». Forbes Brasil. 18 de dezembro de 2019. Consultado em 22 de maio de 2022 
  31. «Hypera compra portfólio de medicamentos da Takeda por US$ 825 milhões». G1. Consultado em 22 de maio de 2022 
  32. «FATO RELEVANTE - 18 de março de 2020». 18 de março de 2020. Consultado em 21 de maio de 2022 
  33. Samor, Criado por Geraldo. «Hypera compra 12 medicamentos da Sanofi por R$ 1bi». Brazil Journal. Consultado em 22 de maio de 2022 
  34. «Hypera (HYPE3) fecha acordo para venda de portfólio para Eurofarma por US$ 51,6 milhões». InfoMoney. 17 de novembro de 2021. Consultado em 22 de maio de 2022 
  35. Samor, Criado por Geraldo. «Hypera vai produzir matéria-prima do Buscopan». Brazil Journal. Consultado em 22 de maio de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]