Iáia Almotácime

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Iáia I.
Iáia Almotácime
Califa almóada
(rival de Idris Almamune)
Reinado 1227-1229
Antecessor(a) Abu Maomé Adil
Sucessor(a) Idris Almamune
 
Dinastia almóada
Morte julho de 1236
  Marraquexe
Pai Maomé Nácer
Religião Islamismo

Abu Zacarias Almotácime Iáia ibne Nácer (em árabe: أبو زكرياء المعتصم يحي بن الناصر; transl.: Abū Zakarīyā' Al-Mu`taṣim Yaḥyā ibn An-Nāṣir), melhor conhecido como Iáia Almotácime, foi califa almóada de 1227 a 1229 em oposição a Idris Almamune (r. 1227–1232). Foi antecedido por Abu Maomé Adil (r. 1224–1227) e sucedido por Idris Almamune.

Vida[editar | editar código-fonte]

Ruínas de Sijilmassa

Almotácime era filho do califa Maomé Nácer (r. 1199–1213).[1] Em outubro de 1227, após a morte de Abu Maomé Adil (r. 1224–1227) em Marraquexe, assumiu o trono em oposição a Idris Almamune, que rebelou-se no Alandalus contra seu antecessor.[2] Em outubro de 1228, foi expulso da capital por Almamune, que logo em seguida rejeitou o pilar da doutrina almóada de ibne Tumarte,[3] talvez para obter apoio dos andalusinos contra Almotácime.[4] Em 1229, durante alguns meses, o haféssida Abu Zacarias Iáia (r. 1229–1249), ex-governador almóada na Ifríquia e recém-declarado emir independente, reconheceu a autoridade de Almotácime antes de remover seu nome de sua cunhagem.[5]

Em decorrência das perseguições de Almamune, vários almóadas de Marraquexe fugiram para junto de Almotácime, mas logo voltam à capital e mantem-se aliados do sucessor de Almamune, Abdalá Aluaide II (r. 1232–1242). No verão de 1235, os árabes cultes e os berberes hascuras atacaram Marraquexe, obrigando Aluaide a fugir para Sijilmassa; Almotácime ocupou-a. Aluaide reorganizou suas forças e em 1236 marchou contra Almotácime. Eles lutaram perto de Um Rabi em Augidane, onde Almotácime foi massacrado após 10 dias de combate. Ele fugiu para junto dos árabes nômades macis, que habitavam entre Fez e Taza, e foi assassinado em julho.[6]

Referências

  1. Bennison 2016, p. 115.
  2. Shatzmiller 1993, p. 803.
  3. Buresi 2012, p. 75.
  4. Bennison 2016, p. 116.
  5. Buresi 2012, p. 79.
  6. Buresi 2012, p. 81.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bennison, Amira K. (2016). Almoravid and Almohad Empires. Edimburgo: Edinburgh University Press. ISBN 0748646825 
  • Buresi, Pascal; El Aallaoui, Hicham (2012). Governing the Empire: Provincial Administration in the Almohad Caliphate (1224-1269) : Critical Edition, Translation, and Study of Manuscript 4752 of the Hasaniyya Library in Rabat Containing 77 Taqādīm ("appointments"). Leida: Brill 
  • Shatzmiller, M. (1993). «al-Muwaḥḥidūn». In: Bosworth, C. E.; Donzel, E. van; Heinrichs, W.P.; Pellat, Ch. The Encyclopaedia of Islam Vol. VII Mif-Naz. Leida e Nova Iorque: Brill