IOI Group

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

IOI Group é uma empresa de Putrajaya, é um dos maiores conglomerados da Malásia. O seu diretor executivo é Dato' Lee Yeow Chor.[1] Ela está listada no índice de ações FTSE Bursa Malaysia KLCI da bolsa de valores Bursa Malaysia, suas principais atividades são o cultivo e refino de óleo de palma bruto.[2]

A partir de 2015 cerca de 55 por cento dos lucros do conglomerado vem de suas plantações de óleo de palma. [3] Ela é activa em várias áreas, incluindo a propriedade, fabricação e plantações.[4] O negócio de plantação é a parte mais importante e rentável do negócio.[5] É um dos principais investidores da Malásia na indústria de óleo de palma da Indonésia.[6] Datuk Hj Mohd Khalil B Dato' Hj Mohd Noor, ex-secretário do comitê do investimento estrangeiro do governo, foi um dos ditores de IOI. [7] Ele afirmou ter uma política de erradicação da queima. [8] No entanto, Greenpeace detectou 234 hotspots em cinco concessões em 2006 e 2007. [9]

IOI Group possui áreas de óleo de palma, onde foi a Floresta Tropical.[10] A empresa desfloresta ilegalmente.[11] Unilever e Neste Oil estão entre os clientes do Grupo.[12] Nestlé, pelo menos temporariamente parou de comprar óleo de palma do IOI em 2012.[13] IOI estendeu suas actividades para a Indonésia em 2005.[14] Sua empresa associada na Indonésia é Bumitama Gunajaya Agro. [15]

Em novembro de 2014, a empresa controlava aproximadamente 10,5% do comércio global de óleo de palma,[16] mais de duas vezes a produção da Cargill.[17].

IOI possui quatro refinarias de óleo de palma, três localizada na Malásia e uma em Rotterdam nos Países Baixos. 34% do volume total de óleo de palma consumido na Europa, em 2013, provem de suas subsidiarias.[18]

Referências

  1. The Sundaily My- acessado em 11 de fevereiro 2015
  2. Yahoo Finance - acessado em 11 de fevereiro de 2016
  3. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 100
  4. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 100
  5. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 100
  6. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 80
  7. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 82
  8. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 142
  9. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 142
  10. http://news.bbc.co.uk/today/hi/today/newsid_8400000/8400852.stm
  11. http://www.scoop.co.nz/stories/WO1104/S00231/ultimatum-to-malaysian-palm-oil-giant.htm
  12. http://www.scoop.co.nz/stories/WO1104/S00231/ultimatum-to-malaysian-palm-oil-giant.htm
  13. Forbes 2012 #4 Lee Shin Cheng
  14. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 100
  15. Helena Varkkey, The Haze Problem in Southeast Asia (Abingdon: Routledge, 2015), p. 100
  16. IOI Group Confirm forest Rights Policy - acessado em 9 de fevereiro 2016
  17. Palm oil major makes deforestation-free commitment - acessado em 9 de fevereiro 2016
  18. Annual Report - pagina 35 e 75 - acessado em 11 de fevereiro 2016