I Will

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"I Will"
Canção de The Beatles
do álbum The Beatles
Lançamento 22 de novembro de 1968
Gravação Abbey Road Studios
16 de setembro de 1968
Gênero(s) Acústico Soft Rock
Duração 1:46
Gravadora(s) Apple Records
Composição Lennon/McCartney
Produção George Martin
Faixas de The Beatles
Lado um
  1. "Back in the U.S.S.R."
  2. "Dear Prudence"
  3. "Glass Onion"
  4. "Ob-La-Di, Ob-La-Da"
  5. "Wild Honey Pie"
  6. "The Continuing Story of Bungalow Bill"
  7. "While My Guitar Gently Weeps"
  8. "Happiness Is a Warm Gun"
Lado dois
  1. "Martha My Dear"
  2. "I'm So Tired"
  3. "Blackbird"
  4. "Piggies"
  5. "Rocky Raccoon"
  6. "Don't Pass Me By"
  7. "Why Don't We Do It in the Road?"
  8. "I Will"
  9. "Julia"
Lado 3
  1. "Birthday"
  2. "Yer Blues"
  3. "Mother Nature's Son"
  4. "Everybody's Got Something to Hide Except Me and My Monkey"
  5. "Sexy Sadie"
  6. "Helter Skelter"
  7. "Long, Long, Long"
Lado 4
  1. "Revolution 1"
  2. "Honey Pie"
  3. "Savoy Truffle"
  4. "Cry Baby Cry"
  5. "Revolution 9"
  6. "Good Night"

"I Will" é uma canção dos Beatles composta por Paul McCartney, creditada à dupla Lennon-McCartney, e lançada no álbum The Beatles ou "Álbum Branco" de 1968. Em contraponto com a faixa anterior, "Why Don't We Do It in the Road?," que contém um apelo sexual, "I Will" é mais romântica.

Origens da Criação[editar | editar código-fonte]

Foi a primeira canção de cinco que Paul escreveu e dedicou para sua namorada e futura esposa Linda Eastman. (As outras quatro são: "Two of Us", "The Lovely Linda", "Maybe I'm Amazed", e "My Love"). A harmonia da canção, Paul fez ao ler no jornal que um crítico escreveu, dizendo que os Beatles nunca mais fariam baladas como "Yesterday."

Letra[editar | editar código-fonte]

O tema de "I Will" ou "Eu Irei," é bem o estilo "McCartney" de escrever suas canções de amor. Na letra ele diz que ele fará o que for preciso para ficar com ela e amá-la, dizendo que a amará para sempre, de todo seu coração, mesmo quando estiverem longe um do outro.

Gravação[editar | editar código-fonte]

A sessão de gravação se tornou uma sessão de ensaios, produzindo uma curta canção, "Can you take me back," que acabou entrando no final de "Cry Baby Cry." Assim como a canção "Los Paranóias," lançada do disco 3 do "The Beatles Anthology." "I Will" levou 67 takes para se gravada. George Harrison, não participou da faixa, pois estava começando "Piggies" em outro estúdio do Abbey Road Studios. Um "baixo com a voz" foi realmente feito por Paul McCartney. Paul executou 5 baixos em sua vida: o Hofner 500/1, o Rickenbaker4001, Fender Jazz Bass, Wal de 5 cordas e esse, que ele gravou com a boca acompanhando os graves do violão, adicionou um efeito overdub e mais alguns efeitos. Se ouvir atentamente, perceberá que não é um baixo comum.

Uma versão alternativa de "I Will" foi produzida em Outubro de 1996 no "Anthology 3." Essa versão foi o primeiro take a ser gravado em 1968.

Os músicos[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • No documentário televisivo, "The Beatles Anthology", McCartney, Harrison, e Starr estão em um momento de boa, descansando. Starr pergunta a McCartney sobre quais canções ele escreveu na Índia e McCartney responde, "I Will." Então Harrison começa a toca-la em seu ukulele, enquanto Starr e McCartney começam a harmonizar a canção.
  • A canção é cantada no filme romântico de 1994, estrelado por Annette Bening e Warren Beatty, "Segredos do Coração" (The Love Affair)
  • Essa canção está em versão reggae no disco "Read My Lips" de Tim Curry.
  • Uma versão similar do riff aparece na canção "My Best Friend's Girl" da banda The Cars.
  • A versão de Diana Ross aparece no disco de retorno "I Love You", de 2007.