Iasna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Iasna[1] (em avéstico: Yasna) é o principal ritual do zoroastrismo e o mais longo texto litúrgico recitado durante a realização diária do ritual. Tem suas raízes em práticas cúlticas indo-iranianas, derivando de rituais comuns ligados à preparação da bebida sagrada (em avéstico: haoma; em védico: sóma) e do sacrifício animal, retraduzido hoje na manteiga clarificada (gōšudāg) consumida com o pão (drōn). Seu objetivo é a manutenção da integridade cósmica da criação de Aúra-Masda.[2]

Referências

  1. Freire 1969, p. 213-214.
  2. Malandra 2006.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Malandra, William W. «Yasna». Enciclopédia Irânica. Nova Iorque: Imprensa da Universidade de Colúmbia 
  • Freire, António (1969). Conceito de moira na tragédia grega. Lisboa: Livraria Cruz