Ibn Miskawayh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ibn Miskawayh
Nascimento 932
Morte 1030 (98 anos)
Isfahan
Cidadania Califado Abássida
Ocupação filósofo, poeta, historiador
Influências
Religião Islã, Sunismo

Abu 'Ali Ahmad ibn Muhammad ibn Ya'qub Ibn Miskawayh, (em persa: ابن مسكوويه) também conhecido como ibn Miskawayh (Ray, 932-1030) foi um proeminente filósofo e cientista, poeta e historiador, persa. Atuou politicamente durante a era buída.

Sua influência sobre a filosofia islâmica está relacionada principalmente às questões éticas. Foi autor do primeiro tratado ético desta religião, intitulado Tadhib al-akhlaq (Instruções Éticas), focalizando as práticas éticas, a conduta e o melhoramento do caráter. Separou a ética pessoal da pública, e contrastou a libertação natural da razão com a decepção e a tentação da natureza.

Evolução[editar | editar código-fonte]

Ibn Miskawayh foi um dos primeiros pensadores que descreveu com clareza a ideia de evolução. Muhammad Hamidullah descreve as idéias de Ibn Miskawayh em seu al-Fawz al-Asghar da seguinte forma:

"(Este livro) estabelece que Deus primeiro criou a matéria e a investiu com energia para que desenvolvesse. A matéria, assim, adotou a forma de vapor, que assumiu a forma de água no seu devido tempo. No estágio seguinte desenvolveu-se a vida mineral. Tipos diversos de pedras surgiram no curso do tempo. O mirjan (coral) é a forma mais evoluída delas. É uma pedra que se ramifica como uma árvore. Depois da vida mineral, evoluíram os vegetais. A evolução vegetal culminou com uma planta que possui as qualidades de um animal. Esta é a tamareira. Ela possui os gêneros masculino e feminino. Ela não murcha quando seus ramos são cortados, mas morre quando sua cabeça for cortada. A tamareira é considerada a mais elevada das árvores e se assemelha ao mais ínfimo dos animais. Então surge o mais baixo dos animais. Este evolui até um macaco. Isto não é uma declaração de Darwin. Isto é o que afirmou Ibn Maskawayh e foi precisamente escrito nas Epístolas de Ikhwan al-Safa. O pensador muçulmano declarou então que o macaco evoluiu até o mais baixo tipo humano bárbaro. Então, tornou-se um homem superior. O homem torna-se, então, um santo, um profeta. Ele evolui para uma etapa mais alta e se torna um anjo. O mais evoluído dos anjos não é realmente nada, mas Deus. Tudo começa d'Ele, e tudo volta a Ele".[1]


O manuscrito árabe de al-Fawz al-Asghar estava disponível nas universidades européias antes do século XIX. Acredita-se que esta obra tenha sido apreciada por Charles Darwin, quando estudou árabe, e cogita-se que o tenha influenciado na elaboração do Darwinismo.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Muhammad Hamidullah and Afzal Iqbal (1993), The Emergence of Islam: Lectures on the Development of Islamic World-view, Intellectual Tradition and Polity, p. 143-144. Islamic Research Institute, Islamabad.