Teoria de género

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ideologia de gênero)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Teoria queer, ou Identidade de gênero.

Teoria de gênero, também chamada de ideologia de gênero, é um termo criado no meio neoconservador católico para se referir aos estudos de gênero, pós-feminismo e pós-gênerismo. Aqueles que usam essa expressão argumentam que os estudos de gênero fundamentam uma conspiração que visa destruir "a família" e uma suposta “ordem natural” que fundamenta a sociedade.[1] O termo também é utilizado por pós-estruturalistas e pós-modernistas, como contra-ataque, para se referir ao generismo, crença de que devemos reforçar os papéis sociais de gênero de acordo com o gênero atribuído ao nascer.[2][3][4][5][6][7][8]

A ideia da "ideologia de gênero" tem sido descrita como um pânico moral[9][10] ou uma teoria conspiratória que alega que existe um uma conspiração global para minar a sociedade.[11]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Varella, Dr Drauzio (16 de setembro de 2019). «Ideologia de gênero | Artigo». Drauzio Varella. Consultado em 12 de outubro de 2020 
  2. «Saiba como o termo 'ideologia de gênero' surgiu e é debatido». G1. Consultado em 12 de outubro de 2020 
  3. Machado, Maria das Dores Campos; Machado, Maria das Dores Campos (00/2018). «The Christian Discourse of "Gender Ideology"». Revista Estudos Feministas (2). ISSN 0104-026X. doi:10.1590/1806-9584-2018v26n247463. Consultado em 12 de outubro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. Reis, Toni; Eggert, Edla (janeiro de 2017). «IDEOLOGIA DE GÊNERO: UMA FALÁCIA CONSTRUÍDA SOBRE OS PLANOS DE EDUCAÇÃO BRASILEIROS». Educação & Sociedade (138): 9–26. ISSN 0101-7330. doi:10.1590/es0101-73302017165522. Consultado em 12 de outubro de 2020 
  5. Besse, Susan Kent; Oliveira, Lólio Lourenço de (1999). Modernizando a desigualdade: reestruturação da ideologia de gênero no Brasil, 1914-1940. [S.l.]: EdUSP 
  6. Miskolci, Richard; Campana, Maximiliano; Miskolci, Richard; Campana, Maximiliano (dezembro de 2017). «"Ideologia de gênero": notas para a genealogia de um pânico moral contemporâneo». Sociedade e Estado (3): 725–748. ISSN 0102-6992. doi:10.1590/s0102-69922017.3203008. Consultado em 12 de outubro de 2020 
  7. Matos, Marlise (agosto de 2008). «Teorias de gênero ou teorias e gênero? Se e como os estudos de gênero e feministas se transformaram em um campo novo para as ciências». Revista Estudos Feministas (2): 333–357. ISSN 0104-026X. doi:10.1590/S0104-026X2008000200003. Consultado em 12 de outubro de 2020 
  8. Atualizado, Saber. «O que é a tal da Ideologia de Gênero?». Saber Atualizado. Consultado em 10 de novembro de 2020 
  9. Careaga-Pérez 2016, p. 251.
  10. Żuk & Żuk 2019, p. 1.
  11. Marchlewska et al. 2019, p. 766.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bellè, Elisa; Poggio, Barbara (2018). «New faces of populism: the Italian 'anti-gender' mobilization» (PDF). In: Kovala, Urpo; Palonen, Emilia; Ruotsalainen, Maria; Saresma, Tuija. Populism on the loose. [S.l.]: Nykykulttuurin tutkimuskeskuksen julkaisuja. ISBN 978-951-39-7401-5 
  • Donà, Alessia (2020). «The populist Italian Lega from ethno-regionalism to radical right-wing nationalism: backsliding gender-equality policies with a little help from the anti-gender movement». European Journal of Politics and Gender. 3 (1): 161–163. doi:10.1332/251510819X15657567135115 
  • Careaga-Pérez, Gloria (2016). «Moral Panic and Gender Ideology in Latin America». Religion and Gender. 6 (2): 251–255. doi:10.18352/rg.10174Acessível livremente  Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)
  • Corredor, Elizabeth S. (2019). «Unpacking "Gender Ideology" and the Global Right's Antigender Countermovement». Signs: Journal of Women in Culture and Society. 44 (3): 613–638. doi:10.1086/701171 
  • Dahl, Ulrika; kennedy-macfoy, madeleine (2020). «(Anti) Gender Studies and Populist movements in Europe». European Journal of Women's Studies. doi:10.1177/1350506820929220 
  • Gallot, fr; Pasquier, Gaël (2018). «L'école à l'épreuve de la 'théorie du genre' : les effets d'une polémique: Introduction». Cahiers du Genre. 65 (2): 5–. doi:10.3917/cdge.065.0005Acessível livremente  Parâmetro desconhecido |doi-access= ignorado (ajuda)
  • Graff, Agnieszka (2014). «Report from the gender trenches: War against 'genderism' in Poland». European Journal of Women's Studies. 21 (4): 431–435. doi:10.1177/1350506814546091 
  • Harsin, Jayson (2018). «Post-Truth Populism: The French Anti-Gender Theory Movement and Cross-Cultural Similarities». Communication, Culture and Critique. 11 (1): 35–52. doi:10.1093/ccc/tcx017 
  • Kováts, Eszter (2016). «The Emergence of Powerful Anti-Gender Movements in Europe and the Crisis of Liberal Democracy». In: Köttig, Michaela; Bitzan, Renate; Petö, Andrea. Gender and Far Right Politics in Europe (em inglês). [S.l.]: Springer. pp. 175–189. ISBN 978-3-319-43533-6 
  • Kováts, Eszter; Pető, Andrea (2017). «Anti-gender discourse in Hungary: A discourse without a movement?». In: Kuhar, Roman; Paternotte, David. Anti-Gender Campaigns in Europe: Mobilizing against Equality (em inglês). [S.l.]: Rowman & Littlefield. pp. 117–132. ISBN 978-1-78660-001-1 
  • Kováts, Eszter (2018). «Questioning Consensuses: Right-Wing Populism, Anti-Populism, and the Threat of 'Gender Ideology'». Sociological Research Online. 23 (2): 528–538. doi:10.1177/1360780418764735 
  • Kováts, Eszter (2020). «Post-Socialist Conditions and the Orbán Government's Gender Politics between 2010 and 2019 in Hungary». In: Dietze, Gabriele; Roth, Julia. Right-Wing Populism and Gender: European Perspectives and Beyond (em inglês). [S.l.]: transcript Verlag. pp. 75–99. ISBN 978-3-8394-4980-6 
  • Kuhar, Roman; Paternotte, David (2017). «Introduction». Anti-Gender Campaigns in Europe: Mobilizing against Equality (em inglês). [S.l.]: Rowman & Littlefield. ISBN 978-1-78660-001-1 
  • Marchlewska, Marta; Cichocka, Aleksandra; Łozowski, Filip; Górska, Paulina; Winiewski, Mikołaj (2019). «In search of an imaginary enemy: Catholic collective narcissism and the endorsement of gender conspiracy beliefs». The Journal of Social Psychology. 159 (6): 766–779. doi:10.1080/00224545.2019.1586637 
  • Rawłuszko, Marta (2019). «And If the Opponents of Gender Ideology Are Right? Gender Politics, Europeanization, and the Democratic Deficit». Politics & Gender: 1–23. doi:10.1017/S1743923X19000576 
  • Wawrowski, Łukasz (2017). «Czy jest sens dyskutować z przeciwnikami tzw. ideologii gender?» [Does it make sense to debate the opponents of the so-called gender ideology?] (PDF). Chorzowskie Studia Polityczne (em polaco) (14): 13– 
  • Żuk, Piotr; Żuk, Paweł (2019). «'Murderers of the unborn' and 'sexual degenerates': analysis of the 'anti-gender' discourse of the Catholic Church and the nationalist right in Poland». Critical Discourse Studies: 1–23. doi:10.1080/17405904.2019.1676808 
Ícone de esboço Este artigo sobre LGBT é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.