Idiota útil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

No jargão político, idiota útil é um termo pejorativo usado para descrever simpatizantes soviéticos em países ocidentais.

Justificativa[editar | editar código-fonte]

De acordo com seu idealizador, provavelmente Yuri Bezmenov,[1] a expressão "idiota útil"[2] se refere a uma pessoa que ingenuamente pensa ser aliada dos comunistas soviéticos, porém seria supostamente desprezada e cinicamente usada por estes comunistas. Em sentido estrito, refere-se a jornalistas ocidentais, viajantes e intelectuais que deram a sua bênção - muitas vezes com fervor - às tiranias para assim convencer o público a apoiar utopias possíveis.[3]

Em sentido mais amplo o termo se aplica a todo(a)s que se engajam politicamente sem usar critérios analíticos, assim seguindo cegamente uma crença ou ideologia que o conduza para uma satisfação, a realização de uma utopia de mundo melhor. É alguém que se acha muito inteligente, mas é tão facilmente persuadido por bajulação de pessoas no poder, que está preparado a servir os seus fins e permitir-se de ser enganado [4] como se estivessem sobre o assim chamado Efeito Dunning-Kruger. Neste sentido o termo não se restringe a uma posição política, pois pode ser aplicado a qualquer ideologia e crença, embora o termo tenha sido utilizado amplamente pela KGB.[5][6]

Autoria[editar | editar código-fonte]

A autoria desta expressão é atribuída a Lênin,(?)[7][8][9] porém em 1987, Grant Harris, membro sênior da Biblioteca do Congresso foi consultado. Após extensa pesquisa declarou que a equipe a sua disposição foi "incapaz de identificar a utilização desta expressão dentre as publicações de Lênin".[10][11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. YouTube - Yuri Bezmenov - Teoria da Subversão [PACOTE COMPLETO] (em inglês) legendado (em português). Adicionado em 01/07/2018.
  2. Useful Idiots. Autora: Jan Mark. Random House, 2012, (em inglês) Adicionado em 11/03/2018.
  3. «Useful_idiots» (em inglês). British Broadcasting Corporation. 7 de julho de 2010. Consultado em 12 de julho de 2014. 
  4. «"Liberalism: Psychosis, evil or ignorance?"» (em inglês). Pravda. 29 de novembro de 2010. Consultado em 12 de julho de 2014. 
  5. William Safire sobre o termo
  6. Xavier Lerma (29 de novembro de 2010). «Liberalism: Psychosis, evil or ignorance?». english.pravda.ru/. Consultado em 2 de novembro de 2014. 
  7. An editorial clarification of a quotation in the article "Ходорковский просит Лондон не идти на сделки с Кремлем", BBC, Russian Service
  8. Mona Charen, Useful Idiots: How Liberals Got It Wrong in the Cold War and Still Blame America First, 2003, ISBN 0895261391
  9. Paul Kengor, Dupes: How America's Adversaries Have Manipulated Progressives for a Century, 2010, ISBN 1-935191-75-6
  10. William Safire sobre o termo Publicado pelo The New York Times em 12/04/1987.
  11. Boller, Jr., Paul F.; George, John (1989). They Never Said It: A Book of Fake Quotes, Misquotes, and Misleading Attributions. New York: Oxford University Press. ISBN 0-19-505541-1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre comunismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.