Igor Kannário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Igor Kannário
Informação geral
Nome completo Anderson Machado de Jesus
Também conhecido(a) como Príncipe do Gueto
Kannarito[1]
Nascimento 29 de novembro de 1984 (38 anos)
Origem Liberdade (Salvador), Bahia[2]
País  Brasil
Gênero(s) Pagode baiano
Ocupação(ões) Cantor, compositor e político
Instrumento(s) Vocal, bateria
Extensão vocal Tenor
Período em atividade 1993 — atualmente
Afiliação(ões) Léo Santana, Patrulha do Samba, Swing do P, A Bronkka, Cláudia Leitte, Psirico, Harmonia do Samba, EdCity
Igor Kannário
Deputado federal pela Bahia
Período 1 de fevereiro de 2019 até a atualidade
Vereador de Salvador
Período 1 de janeiro de 2017 a 31 de janeiro de 2019
Dados pessoais
Nome completo Anderson Machado de Jesus
Nascimento 29 de novembro de 1984 (38 anos)
Salvador, Bahia
Nacionalidade Brasileiro
Partido PHS (2013-2019)
DEM (2019-2022)
UNIÃO (2022-presente)
Ocupação Cantor, compositor e político

Anderson Machado de Jesus,[3] mais conhecido pelo nome artístico Igor Kannário (Salvador, 29 de novembro de 1984) é um cantor de pagode e político brasileiro, filiado ao União Brasil. Também é conhecido como o "Príncipe do Gueto" que, segundo o próprio, vem por se identificar com a favela. Em 2016, com mais de 11 mil votos, Igor Kannário foi eleito vereador em Salvador.[4] Em 2018, foi eleito deputado federal pela Bahia.[5]

Início da vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Kannário morou quase a vida toda na Liberdade, periferia de Salvador. Começou na música aos 8 anos. Com essa idade, tocava bateria e era backing vocal na banda Eclipse do Samba. O vocalista da banda brigou com o produtor e Igor tomou o microfone principal pela primeira vez.

Depois do Eclipse do Samba, Kannário passou por Coisa do Samba, Patrulha do Samba e Swing do P. Nesse último, foi onde ele mais se destacou no cenário pagodeiro baiano. Chegou à fama até criar a banda A Bronkka no final de 2008, com a qual alcançou o estrelato da periferia e acabou saindo para carreira solo no final de 2012. Levou a banda toda com ele, que o acompanha desde o início da carreira. Em 2016, o cantor fez uma turnê na Europa.

Em maio de 2022, o cantor anuncia retorno à banda A Bronkka, com os antigos integrantes para a gravação de um DVD de 20 anos de carreira.[6]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Igor Kannário consome maconha e é a favor da legalização do uso, declarando: "Legalize! Legalize que fica mais bonito no mercado do que em uma boca [de fumo]."[7] Do seu relacionamento com sua esposa Maria Quitéria, nasceu Laura Beatriz (entre 2005/2006).[8] Igor Kannário tem uma relação conturbada com sua mãe biológica, Dejanira. Dejanira e a "segunda mãe" de Igor Kannário tem desavenças por questões religiosas.[9] Em 22 de julho de 2019, nasceu seu segundo filho, Líam, que teve com a modelo Lai Mattos.[10]

Prisão

Durante a gravação de um vídeo musical em via pública em janeiro de 2014, Kannário foi conduzido até a delegacia após desacatar um policial que atendia denúncias de "perturbação do sossego público". Segundo o Major Humberto, a produção do cantor fez a solicitação de policiamento para o evento "em cima da hora" e a produtora não tinha autorização da prefeitura de Salvador para promover um evento em área pública, que é feita por meio da SUCOM (Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município).[11]

Ao ser entrevistado pela Record Bahia, Kannário respondeu que a "festa" "não se tratava de um evento" e não causou nenhum tipo de transtorno por não ser uma via principal do bairro. O Major Humberto desmentiu o cantor, afirmando que os policiais foram até o local para atender ligações de moradores que ficaram incomodados com o barulho do evento, além de ficarem impossibilitados de trafegar pela via.[11]

Em janeiro de 2015, Kannário foi preso junto com amigos por porte de maconha[12]. Em entrevista após ser libertado, o cantor sugeriu ser vítima de perseguição da polícia por sua proximidade com a cultura das favelas e também por representar uma concorrência para os artistas estabelecidos do show business do carnaval baiano.

Carnaval

Após a prisão, sua participação no carnaval daquele ano foi suspensa, mas o cantor acabou puxando o trajeto de trios elétricos independentes e conquistou o Troféu Dodô e Osmar de Artista Revelação Masculino do Carnaval 2015.[13] Em março de 2015, o Correio 24 Horas publicou um artigo cobrindo as antigas controvérsias de Igor Kannário.[14]

Em 2016, o cantor discutiu com a TV Bahia (afiliada da Rede Globo) em cima do trio elétrico em frente ao camarote da emissora.[15] A discussão ocorreu após a mesma censurar seu nome da entrevista de Caetano Veloso.[16] No mesmo ano, o público vaiou o bloco da cantora Cláudia Leitte enquanto o cantor estava em cima do trio.[17]

No carnaval de 2019, após denúncias de policiais, o soldado Prisco, presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra) disse que vai processar Igor Kannário por apologia ao crime, após o cantor subir no trio com emblema no ombro e nas costas "Comando da Paz" (nome de uma facção criminosa). O Capitão Alden (PSL) disse que entrará com uma representação no Ministério Público e denunciará na Câmara dos Deputados para que o Conselho de Ética julgue a sua conduta "desafiadora da moral e dos bons costumes".[18]

Críticas

Em 2015, após analisar as letras das músicas do cantor, a jornalista Luar Montes publicou uma crítica a Kannário dizendo que ele "generaliza e marginaliza as comunidades de Salvador quando se auto intitula 'príncipe do gueto'. Rebelde sem causa e sem poesia, o 'gritador' para mim não passa de um baderneiro bem empresariado e agora patrocinado pela prefeitura de Salvador (ou seja, por mim, por [você], por todos nós...)".[19] Após ser eleito vereador, Igor Kannário foi criticado por usuários nas redes sociais.[20]

Referências

  1. Redação iBahia (14 de junho de 2021). «Igor Kannário se oferece para entrar no Big Brother: 'Vou botar Boninho pra ver bicho'». https://iBahia.com. Consultado em 26 de julho de 2021 
  2. Mota, Alexandro (27 de fevereiro de 2017). «Kannário para os erês: cantor atrai público infantil em show na Liberdade». Correio24Horas. Consultado em 23 de julho de 2021 
  3. Pedro Henrique França (23 de fevereiro de 2015). «Após dois anos banido do carnaval de Salvador, Igor Kannário volta a arrastar multidões». O Globo. Consultado em 5 de junho de 2016 
  4. «Igor Kannário é eleito vereador de Salvador com mais de 11 mil votos». www.ilheus24h.com.br. 2 de outubro de 2016. Consultado em 3 de outubro de 2016 
  5. «Igor Kannário é eleito deputado federal com mais de 50 mil votos na Bahia». Varela Notícias. 7 de outubro de 2018. Consultado em 23 de julho de 2019. Cópia arquivada em 23 de julho de 2019 
  6. «Igor Kannário anuncia retorno à banda Bronkka para DVD de 20 anos». Erem Carla. Bahia Notícias. 9 de maio de 2022. Cópia arquivada em 12 de maio de 2022 
  7. Maiana Belo (23 de fevereiro de 2015). «'Sou um cara simples, com caráter e personalidade', diz Igor Kannário». g1.globo.com. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  8. «Igor Kannario quebra própria regra e publica foto com filha em rede social». www.noticiasdealagoinhas.com.br. 6 de junho de 2016. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  9. Henrique Brinco (31 de dezembro de 2012). «Mãe fala sobre relação conturbada com Igor Kannário». ibahia.com. Consultado em 5 de outubro de 2016. Arquivado do original em 6 de outubro de 2016 
  10. Redação (22 de julho de 2019). «Nasce o filho do cantor e deputado federal Igor Kannario». A Tarde. Consultado em 23 de julho de 2019. Cópia arquivada em 23 de julho de 2019 
  11. a b Alessandro Isabel (28 de janeiro de 2014). «Major chama Igor Kannário de irresponsável e mau exemplo para os jovens». www.bocaonews.com.br. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  12. Da redação (7 de janeiro de 2015). «Cantor Igor Kannário é preso ao ser flagrado com maconha, diz polícia». G1. Consultado em 5 de junho de 2016 
  13. Redação (31 de março de 2015). «Igor Kannário ganha prêmio de cantor revelação do Carnaval». Portal A Tarde. Consultado em 10 de abril 2015 
  14. Alexandre Lyrio (1 de março de 2015). «Com carreira longa tanto quanto sua 'ficha corrida', Igor Kannário diz que mudou». www.correio24horas.com. Consultado em 3 de outubro de 2016 
  15. Breno Cunha (16 de fevereiro de 2016). «Após ser ignorado por emissora, cantor ironiza: "TV Bahia, muito prazer, eu me chamo Igor Kannário"». varelanoticias.com.br. Consultado em 27 de julho 2016 
  16. Redação do Varela Notícias (13 de fevereiro de 2015). «Caetano Veloso fica indignado com matéria da TV Bahia: "Por que cortaram o nome de Kannário?"». varelanoticias.com.br. Consultado em 27 de julho 2016 
  17. «Vaias tomam conta de show de Claudia Leitte». Revista Veja Sp. Grupo Abril. 10 de fevereiro de 2016. Consultado em 29 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2019 
  18. Redação (2 de março de 2019). «Associação de policiais e deputado vão processar Kannário por apologia ao crime». Correio24Horas. Consultado em 5 de março de 2019 
  19. Luar Montes (1 de fevereiro de 2015). «Uma reflexão sobre Kanário». www.geraldojose.com.br. Consultado em 2 de outubro de 2016 
  20. Redação (3 de outubro de 2016). «Eleição de Kannário a vereador repercute nas redes sociais». atarde.uol.com.br. Consultado em 7 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.