Igreja Anglicana do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde setembro de 2013).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Disambig grey.svg Nota: Se procura maiores informações do Anglicanismo, veja Igreja Anglicana.


Igreja Anglicana do Brasil
Abadia de Westminster
Orientação Episcopal Protestante
Sede Ribeirão Preto – SP - Brasil

A Igreja Anglicana do Brasil teve origem, a princípio como um ponto missionário, em 01º de março de 2002, na cidade de Serrana, Estado de São Paulo, Brasil, e fundada oficialmente no dia 27 de março de 2005, Domingo de Páscoa, na cidade de Ribeirão Preto, também no Estado de São Paulo, onde foi sua Sé Primacial.

O seu dirigente máximo foi o Arcebispo Primaz, função esta exercida desde a sua fundação pelo Bispo Dom Ricardo Lorite de Lima, eleito pelo então Arcebispo da Província da América Latina da The Anglican Independent Communion - Worldwide, Dom Leonardo Marin-Saavedra, eleição esta ratificada pela Sé Mundial da Inglaterra, pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Norman Sidney Dutton e Chanceler Metropolitano, Bispo Dom Barry Frank Peachey, tendo sido sagrado Bispo em 15 de janeiro de 2006, na cidade de Taboão da Serra, por dois Bispos anglicanos da vertente continuante, provenientes da Inglaterra: Dom Barry Frank Peachey e Dom Norman Sidney Dutton  "in absentia" , assistido pelo Arcebispo Metropolitano Igreja Episcopal Latina do Brasil, Dom Lucas Macieira da Silva, segundo o Ordinal Anglicano[1].

A Igreja Anglicana do Brasil foi fruto do trabalho missionário da original The Anglican Independent Communion - Worldwide, através dos bispos acima mencionados.

Identidade[editar | editar código-fonte]

A Jurisdição nunca fez parte da Comunhão Anglicana de Cantuária, não teve vínculos oficiais com o Arcebispo de Cantuária, Inglaterra, porém o reconhecia e o considerava símbolo de unidade entre todos os verdadeiros anglicanos, em comunhão plena ou não com a Comunhão Anglicana, pois acreditava que Cantuária era seu foco histórico e simbólico.

A Igreja Anglicana do Brasil não se considerava uma igreja nova, pois acreditava ter origem no anglicanismo histórico, assim, acreditava apresentar o "ethos" (essência) da Igreja de Inglaterra, católica e reformada, com as suas doutrinas fundamentadas nas seguintes fontes:

(1) na Bíblia Sagrada, que era aceita como a palavra inspirada de Deus, interpretada à luz da Tradição, da Razão e da Experiência; e

(2) nos Credos Apostólico e Niceno-Constantinopolitano, que foram escritos no tempo da Igreja indivisa e constituem a confissão normativa da Fé católica.

A prática da Fé e a ordem litúrgica estavam expressas no Livro de Oração Comum, nos Ordinais dos séculos XVI e XVII, nos Trinta e Nove Artigos de Religião da Igreja da Inglaterra (que é o sumário da fé anglicana) e mais resumidamente no Quadrilátero de Lambeth-Chicago de 1886-1888, como um documento resumo dos pontos de unidade fundamentais do Anglicanismo histórico.

Tinha uma abordagem contemporânea sobre a doutrina, se auto identificando como uma igreja progressiva e inclusiva.

Inclusividade[editar | editar código-fonte]

A Igreja Anglicana do Brasil foi parte da Inclusive Church, um  movimento dentro da Igreja da Inglaterra que luta por uma igreja mais aberta, acolhedora, pela ordenação feminina, por maior representatividade de etnias minoritárias e a aceitação plena de clérigos e do movimento LGBT. Se mobiliza para discutir a inclusividade em todos os níveis na Igreja da Inglaterra, inclusive em seus Sínodos Gerais. Tem sua sede na cidade de Londres.

A Igreja Anglicana no Brasil, além de si, no Brasil somente reconhecia como jurisdição plenamente anglicana a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), a qual considerava ser a sua Igreja mãe, apesar de nunca ter tido qualquer vínculo oficial com tal jurisdição.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Em seu Sínodo de 2017, que ocorreu entre os dias 14 a 16 de abril de 2017, na cidade de Ribeirão Preto, seus delegados chegaram a conclusão que diante do panorama confuso que se estabeleceu no Brasil, onde pessoas e instituições que não têm qualquer vínculo com o Anglicanismo surgem a todo o momento se auto denominando "anglicanos" ou "episcopais", criando um mal para o real Anglicanismo, resolveram que a referida igreja atuaria somente até a data de 30 de outubro de 2017, assim a partir desta data a referia igreja deixou de existir, sendo que neste Sínodo reafirmaram que na opinião de seus dirigentes e membros há somente uma jurisdição plenamente anglicana no Brasil a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), que remonta a 1810 quando os ingleses tiveram liberdade de culto no Império do Brasil.

Notícias[editar | editar código-fonte]

Reportagem na TV: Enlace de Juliana e Diogo vinculado no Programa Neusa Biguetti em 16/10/2011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

<references>

  1. http://sites.google.com/site/rilolima/historia