Igreja Batista da Lagoinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Igreja Batista da Lagoinha
Orientação Batista
Fundador José Rego Nascimento
Origem 20 de dezembro de 1957, Belo Horizonte, Minas Gerais
Sede Belo Horizonte, Bairro: São Cristóvão ,Rua: Manoel Macedo,360.
Número de membros 90.139
Página oficial lagoinha.com
Logo
Logo

A Igreja Batista da Lagoinha ou Lagoinha foi a primeira igreja evangélica batista renovada a surgir no Brasil, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Márcio Valadão é o atual pastor presidente da igreja. A igreja tem cerca de 90.139 membros e o templo principal cabe 6000 pessoas sentadas. A igreja é conhecida principalmente devido ao Ministério de Louvor Diante do Trono, nascido na Lagoinha.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Igreja da Lagoinha foi fundada pelo pastor José Rego do Nascimento em 20 de dezembro de 1957, no bairro da Lagoinha, como Sexta Igreja Batista em Belo Horizonte, tornando-se conhecida como Igreja Batista da Lagoinha ou apenas Lagoinha.

José Rego Nascimento traz a renovação espiritual para a igreja, o que acarreta divergências com a Convenção Batista Brasileira e subsequente expulsão da Lagoinha da denominação em 1964.[2] [1] Pastor Rego presidiu a igreja até 1966, sendo sucedido por alguns pastores, até que, em 31 de julho de 1972, o atual pastor Márcio Valadão assumiu a presidência da mesma.[1][3]

A Lagoinha também tem uma rede de televisão intitulada Rede Super[4] e uma emissora de rádio, a Rádio Super 90.3 FM.

Expansão[editar | editar código-fonte]

No dia 31 de janeiro de 1998, o Diante do Trono, ministério de louvor liderado por Ana Paula Valadão, filha do pastor Márcio Valadão, gravou o primeiro álbum intitulado "Diante do Trono" na Igreja da Lagoinha para arrecadar fundos para uma obra missionária na Índia.[5] O álbum vendeu muito, e surgiu o ministério de louvor Diante do Trono, que se tornou um dos maiores ministérios de louvor da América Latina. Foi a partir disso que a Igreja da Lagoinha passou a ser reconhecida.[6]

Vários ministérios e grandes nomes vieram da Igreja da Lagoinha. Como Ana Paula Valadão, André Valadão e Mariana Valadão, que são filhos do pastor Márcio,[7] Nívea Soares, Thalles Roberto,[8] Ana Nóbrega, Helena Tannure entre outros ministérios que surgiram a partir da Igreja da Lagoinha.[9]

A Lagoinha tem mais de 200 ministérios distintos em atuação. Dentre eles, o AMGI, Estância Paraíso, CTMDT e a Fábrica de Artes, na qual foi criado para servir a igreja local na área das artes e a comunidade em geral.

No dia 7 de julho de 2013 fundou-se uma Igreja da Lagoinha, em Niterói, no Rio de Janeiro pelos pastores Felippe e Mariana Valadão.[10] Ludmila Ferber na ocasião, passa a ser membro da Igreja e mais tarde Gabriela Rocha passa a ser membro da mesma. Na comemoração de um ano da Igreja Lagoinha em Niterói, foi inaugurado um novo templo que comporta cerca de 4.500 pessoas e tem 10.000 m².[11]


A Lagoinha hoje tem igrejas espalhadas no Brasil e no mundo.

Algumas Igrejas[editar | editar código-fonte]

Minas Gerais[editar | editar código-fonte]



ESPÍRITO SANTO

Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Paraná[editar | editar código-fonte]

Rio Grande do Sul[editar | editar código-fonte]

Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Alagoas[editar | editar código-fonte]

Mato Grosso[editar | editar código-fonte]

Bahia[editar | editar código-fonte]

Ceará[editar | editar código-fonte]

Amazonas[editar | editar código-fonte]

Pará[editar | editar código-fonte]

Rio Grande do Norte[editar | editar código-fonte]

Reino Unido[editar | editar código-fonte]

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Espanha[editar | editar código-fonte]

Portugal[editar | editar código-fonte]

França[editar | editar código-fonte]

Jordânia[editar | editar código-fonte]

Alemanha[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]