Igreja Domine Quo Vadis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para o evento aludido pela dedicação, veja Quo Vadis?.
Igreja de Santa Maria das Plantas
Santa Maria delle Piante
Domine Quo Vadis
Fachada
Fim da construção 1637
Religião Igreja Católica
Diocese Diocese de Roma
Área 187 m2 (17 x 11)
Geografia
País Itália
Região Roma
Local Via Ápia, 51
Coordenadas 41° 51' 59" N 12° 30' 13" E

Santa Maria delle Piante ou Igreja de Santa Maria das Plantas (em latim: Sanctae Mariae in Palmis), amplamente conhecida como Domine Quo Vadis, é uma pequena igreja a sudeste de Roma, Itália, localizada a 800 metros da Porta San Sebastiano, onde a Via Ardeatina se separara da Via Ápia e no local onde, segundo a lenda, São Pedro encontrou Jesus quando tentava fugir da perseguição aos cristãos em Roma. De acordo com o apócrifo Atos de Pedro, o apóstolo teria perguntado a Jesus "Senhor, para onde vais?" (em latim: Domine, quo vadis?) e Jesus respondeu: "Estou indo para Roma para ser crucificado de novo" (em latim: Eo Romam iterum crucifigi).

História[editar | editar código-fonte]

Já existia um santuário no local desde o século IX, mas a igreja atual é de 1637. A fachada foi acrescentada depois desta data, mas ainda no século XVII. Já se acreditou que o santuário pudesse ser ainda mais antigo, talvez uma adaptação cristã de algum templo já existente e a igreja, de fato, encontra-se bem em frente do campo sagrado (campus) dedicado a Redículo, o deus romano do bom retorno. Este campo abrigava um santuário para o culto do deus, venerado pelos viajantes antes de partirem da cidade, especialmente por aqueles que teriam pela fronte longas e perigosas jornadas até lugares tão distantes quanto o Egito ou a Grécia. Estes viajantes, quando retornavam, também paravam ali para agradecer ao deus pelo retorno.

A presença do apóstolo Pedro nesta área, onde acredita-se que ele tenha vivido, aparentemente se confirma por uma inscrição nas Catacumbas de São Sebastião, "Domus Petri" ("Casa de Pedro"). Num epigrama do papa Dâmaso I (r. 366–384) em honra a Pedro e Paulo lê-se: "Você que está procurando pelos nomes de Pedro e Paulo saiba que estes santos viveram aqui".

Acredita-se popularmente que as duas pegadas numa laje de mármore no centro da igreja — atualmente uma cópia da original, que está preservada na vizinha San Sebastiano fuori le mura — são um sinal milagroso deixado por Jesus no local e é a elas que o nome oficial da igreja , "in Palmis" ou "delle Piante", alude: "palmis" seriam as solas dos pés de Jesus. É mais provável que o item seja, na realidade, um ex-voto romano antigo, um tributo pago aos deuses como sinal de agradecimento por uma jornada.

Havia uma inscrição sobre a porta na fachada que dizia: "Pare de andar, viajante, e entre neste templo sagrado e aqui irá encontrar a pegada do Senhor Jesus Cristo quando Ele se encontrou com São Pedro, que escapara da prisão. Uma esmola pela cera e pelo óleo é recomendada para livrar alguns espíritos do purgatório". O papa Gregório XVI (r. 1831–1846) achou o tom propagandístico desta inscrição tão inapropriado que ordenou que ela fosse removida em 1845.

Atualmente a igreja é administrada pelos padres da Congregação de São Miguel Arcanjo.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Igreja Domine Quo Vadis