Igreja Evangélica Presbiteriana Costarricense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Igreja Evangélica Presbiteriana Costarricense
Classificação Protestante
Orientação Reformada
Teologia Calvinista
Política Presbiteriana
Associações Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas[1] e Aliança de Igrejas Presbiterianas e Reformadas da América Latina[2]
Área geográfica Costa Rica
Origem 1985 (37 anos)
Ramo de(o/a) Igreja Presbiteriana (EUA)
Congregações 24 (2013)[3]
Membros 1.325 (2013)[3]

A Igreja Evangélica Presbiteriana Costarricense (IEPC) - em espanhol Iglesia Evangélica Presbiteriana Costarricense - é uma denominação presbiteriana, estabelecida na Costa Rica em 1985, por igrejas que se separaram da Associação das Igrejas Bíblicas Costarricenses (AIBC), por apoiarem a Teologia da Libertação, rejeitada pela AIBC.[3][4][5][6]

História[editar | editar código-fonte]

Durante as décadas de 1970 e 1980 houve um conflito entre os líderes da Associação das Igrejas Bíblicas Costarricenses (AIBC), que causou o primeiro cisma entre os afiliados da denominação.[3][4][7][8]

A Teologia da Libertação (TL) tornou-se um tema polêmico entre os evangélicos em geral e entre professores e alunos do Seminário Bíblico Latino-Americano (SBL) em meados da década de 1970. O SBL foi fundada em San José pela Missão Latino-Americana (MLA) na década de 1920 e treinou pastores e líderes cristãos de muitas denominações, não apenas da AIBC.[3][4]

As facções pró-TL e anti-TL travaram uma guerra verbal entre si que resultou em calúnias contra muitos indivíduos e uma divisão entre muitas organizações evangélicas, incluindo missionários da MLA e outras agências missionárias.[3][4]

No final da década de 1970, vários professores que eram contra ou desconfortáveis ​​com o ensino de TL deixaram o SBL, deixando a maioria dos professores unisos em seu apoio à LT. Ao mesmo tempo, muitas denominações costarriquenhas, bem como igrejas nacionais e agências missionárias em outros países que se opunham à LT, pararam de enviar seus pastores e líderes à SBL. Essa controvérsia afetou a AIBC porque vários dos professores da SBL também eram pastores nas igrejas da AIBC, e houve discussões bastante acaloradas sobre a questão da LT entre a liderança da AIBC por vários anos.[3][4]

No final, em 1985, um grupo de cinco pastores e suas igrejas se retiraram da AIBC e fundaram uma nova associação de igrejas: a Federação de Igrejas Evangélicas da Costa Rica (FIEC).[3][4]

Em 2005, a FIEC mudou seu nome para Iglesia Evangélica Presbiteriana Costarricense (IEPC) apos sua associação com a Igreja Presbiteriana (EUA).[3][4]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

No final de 1988, a FIEC relatou ter 9 igrejas e uma missão com um total de aproximadamente 400 membros.[3][4]

Em março de 2000, a FIEC relatou 24 igrejas com cerca de 1.700 membros afiliados, mas em 2004 relatou apenas 12 congregações e três estudos bíblicos domiciliares com cerca de 1.000 membros.[3][4][9]

Em 2013, a IEPC relatou ter 19 igrejas e 5 missões (24 congregações) com um total de 1.325 membros em todo o país.[3][4]

Doutrina[editar | editar código-fonte]

A denominação permite a ordenação de mulheres e subscreve o Credo dos Apóstolos[10]

Relações Inter-eclesiásticas[editar | editar código-fonte]

A denominação é membro da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas[1], da Aliança de Igrejas Presbiterianas e Reformadas da América Latina[2] e do Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI) e do Conselho de Igrejas da Costa Rica.[11]

Além disso, recebe missionários e possui relacionamento próximo com a Igreja Presbiteriana (EUA), Igreja Unida de Cristo e Igreja Cristã (Discípulos de Cristo).[3][4][9]

Referências

  1. a b «Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas: Membros». Consultado em 14 de maio de 2018 
  2. a b «Membros da Aliança de Igrejas Presbiterianas e Reformadas da América Latina». Consultado em 31 de julho de 2022. Cópia arquivada em 1 de maio de 2022 
  3. a b c d e f g h i j k l m Clifton L. Holland (11 de novembro de 2017). «História da Igreja Evangélica Presbiteriana Constarricense». Guanacaste: Programa Latino-Americano de Estudos Religiosos. p. 254. Consultado em 31 de julho de 2022 
  4. a b c d e f g h i j k «História da Igreja Evangélica Presbiteriana costarricense». Consultado em 25 de junho de 2022 
  5. «Uma análise da obra evangélica da Costa Rica em 2013-2014 em perspectiva histórica». Consultado em 25 de junho de 2022 
  6. «História da Igreja Evangélica Presbiteriana Constarricense» (PDF). Consultado em 25 de junho de 2022 
  7. Benedetto, Robert; Donald K. McKim (2010). Historical Dictionary of the Reformed Churches (em inglês) Segunda ed. Toronto: Scarecrow Press, Inc. pp. 294–295. ISBN 978-0-8108-5807-7 
  8. Smith, Gary Scott; P. C. Kemeny. The Oxford Handbook of Presbyterianism (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press. p. 180. ISBN 978-0-19060-840-8. Consultado em 17 de junho de 2022 
  9. a b «História da Igreja Evangélica Presbiteriana costarricense». Consultado em 25 de junho de 2022 
  10. «Igreja Evangélica Presbiteriana Costarricense». Reformiert Online. 8 de maio de 2006. Consultado em 29 de julho de 2022 
  11. «Conselho de Igrejas de Costa Rica». Consultado em 1 de agosto de 2022