Igreja Zlătari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Igreja Zlătari
Biserica Zlătari
Estilo dominante estilo bizantino com influências de brâncovenesc
Fim da construção 1850
Restauro 1907, 1971–1973
Aberto ao público sim
Religião Igreja Ortodoxa Romena
Website www.zlatari.ro
Património nacional
Classificação B-II-m-B-19844
Geografia
País Roménia
Cidade Bucareste
Localização Avenida da Vitória
Coordenadas 44° 25' 56.5" N 26° 5' 51.4" E
Localização em mapa dinâmico

A Igreja Zlătari (em romeno: Biserica Zlătari) é um templo da Igreja Ortodoxa Romena construído em 1850, por iniciativa do bispo Calistrat Livis e dedicado à Natividade de Nossa Senhora (Nașterea Maicii Domnului). Foi projetada pelo arquiteto e de estilo bizantino com influências de brâncovenesc.[1] É uma igreja paroquial desde 1888 e situa-se na Avenida da Vitória, uma das principais artérias do centro de Bucareste, a capital da Roménia. O seu nome tem origem nos ourives de prata que aparentemente existiam na área.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A igreja erigida em 1850 substituiu uma anterior construída no mesmo local em 1705 por Miguel Cantacuzino, um alto dignitário da corte principesca da Valáquia, e dedicada aos mártires São Demétrio e São Jorge.[1] Por sua vez, a igreja de 1705 substituiu uma igreja de madeira, da qual há registos da sua existência em 1637, possivelmente construída por Helena Cantacuzino, filha do voivoda Radu Șerban (m. 1620).[3]

A igreja tinha estatuto de mosteiro, que tinha na sua posse terras, lojas e outros imóveis, tendo-se convertido numa das igrejas mais ricas da Valáquia. Duas das possesões da igreja eram uma estalagem (o Hanul Zlătari) e a melhor mercearia de Bucareste.[1] No século XIX, a área e as lojas que pertenciam à igreja eram frequentada pela mais alta burguesia e aristocracia de Bucareste[1] e a estalagem rivalizava com o luxuoso Hotelul Damaris, mais conhecido como Grand Hotel de France, em termos de luxo, celebridade e visitantes famosos ou muito ricos.[4]

A igreja e a estalagem foram muito danificadas pelos sismos de 1802 e 1838 e embora tenham sido restauradas, o bispo Livis decidiu reconstruí-la completamente. O alpendre frontal, apoiado em quatro colunas imita os pórticos das casas tradicionais romenas. No interior há diversas esculturas de madeira e ícones emoldurados com prata, pintados por George Tattarascu entre 1853 e 1856.[1] Em frente ao altar-mor está guardada, desde 1790,[2] a mão direita de São Cipriano, um dos padroeiros da igreja juntamente com outro mártir chamado Teoctisto, que foi morto em Nicomédia em 304.[5] São Cipriano é um santo muito popular entre os ortodoxos de Bucareste, que acorrem à igreja para esconjurar a má sorte, mau-olhado, feitiços e maldições ou em busca de curas milagrosas, apesar disso ser uma tradição que não agrada ao pároco.[6]

A estalagem e um campanário foram demolidos em 1903 para ampliar a Avenida da Vitória.[3] A igreja foi restaurada em 1907 e em 1971–1973, para reparar os danos do sismo de 1940. Em 2008 foi levado a cabo outro projeto de recuperação, que incluíram as pinturas do interior.[1]

A igreja é sede duma paróquia muito ativa tanto no campo religioso como no apoio social. A paróquia tem um coro, o Cantate Domino, do qual são membros cantores profissionais, que atua na igreja aos domingos. Alguns dos seus sacerdotes foram figuras destacadas da sociedade romena e alguns deles foram opositores do regime comunista que vigorou entre 1947 e 1989.[1]

Referências

  1. a b c d e f g Păunoiu, Augustin (7 de outubro de 2009). «Istorie şi cultură ieri şi azi, la Biserica Zlătari» (em romeno). ziarullumina.ro. Consultado em 21 de julho de 2018 
  2. a b «Istoric» (em romeno). Parohia Zlătari. www.zlatari.ro. Consultado em 21 de julho de 2018 
  3. a b Petcu, Adrian Nicolae (17 de dezembro de 2009). «Memoria Bisericii în imagini: Biserica Zlătari din Bucureşti» (em romeno). ziarullumina.ro. Consultado em 21 de julho de 2018 
  4. Bădescu, Emanuel (5 de agosto de 2011). «Hanul Zlătari» (em romeno). Ziarul Financiar. www.zf.ro. Consultado em 21 de julho de 2018 
  5. «Sarbatoarea Sfantului Sfintitului Mucenic Ciprian la Biserica Zlatari din Capitala» [A festa do Santo Mártir Cipriano na Igreja Zlatari na capital] (em romeno). www.crestinortodox.ro. Consultado em 21 de julho de 2018 
  6. Păvălaşc, Marian (14 de abril de 2013). «Biserica în care preoții rup blestemele vrăjitoarelor» [A igreja onde os padres desfazem as maldições das bruxas] (em romeno). Evenimentul Zilei. evz.ro. Consultado em 21 de julho de 2018 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Igreja Zlătari