Basílica de Santo Agostinho (Roma)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Basílica de Santo Agostinho
Sant'Agostino
Fachada
Fachada
Local Rione Sant'Eustachio
Região Roma
País Itália
Coordenadas 41° 54' 03" N 12° 28' 27" E
Religião Igreja Católica
Diocese Diocese de Roma
Consagração 1483
Arquiteto Baccio Pintelli, Giacomo di Pietrasanta
Estilo Renascentista
Fim da construção 1483


Sant'Agostino ou Basílica de Santo Agostinho é uma igreja titular e uma basílica menor em Roma, Itália, não muito distante da Piazza Navona, e dedicada a Santo Agostinho. É uma das primeiras igrejas renascentistas na cidade[1] .

O cardeal-presbítero protetor do título de Santo Agostinho é Jean-Pierre Ricard, arcebispo de Bordeaux.

História[editar | editar código-fonte]

Sua construção foi bancada por Guillaume d'Estouteville, arcebispo de Ruão e conselheiro do papa. A fachada foi construída em 1483 por Giacomo di Pietrasanta utilizando travertino retirado do Coliseu. O projeto é atribuído ao arquiteto Baccio Pontelli, do final do século XV, com restaurações no final do século XVIII de Luigi Vanvitelli[2] .

Obras de arte[editar | editar código-fonte]

A mais famosa obra de arte atualmente na igreja é a "Madonna di Loreto", uma importante pintura barroca de Caravaggio. Estão ali também "Santos Agostinho, João Evangelista e Jerônimo", de Guercino, um afresco do "Profeta Isaías", de Rafael, uma está de "Santa Ana, a Virgem e o Menino", de Andrea Sansovino e a "Madonna del Parto", de seu puplo Jacopo Sansovino. Segundo a tradição, esta estátua é milagrosa e teria sido baseada numa antiga estátua de Agripina segurando Nero em seus braços. Em 1616, o artista barroco do século XVII Giovanni Lanfranco decorou a Capela Buongiovanni (no braço esquerdo do transepto) com três telas e um afresco no teto sobre a "Assunção". A igreja também abriga a escultura "São Tomás de Villanova distribuindo Esmolas", de Melchiorre Caffà e comlpetada pelo seu mentor, Ercole Ferrata. Pietro Bracci projetou e esculpiu o túmulo em mármore multicolorido do cardeal Giuseppe Renato Imperiali (1741).

Túmulos[editar | editar código-fonte]

Sant'Agostino é o local de repouso de Santa Mônica, mãe de Santo Agostinho, de Fiammetta, uma amante de Cesar Bórgia e cortesã famosa e de Olav Trondsson, arcebispo da Noruega entre 1459 e 1473[3] .

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Rendina, Claudio. La grande enciclopedia di Roma. Rome: Newton Compton, 2000.
  2. Mariano Vasi & Antonio Nibby. New Guide of Rome, Naples and Their Environs (em 105). [S.l.: s.n.]. p. 105.
  3. In: Fjellbu, A., et al.. Nidaros erkebispestol og bispesete 1153 - 1953 (em norueguês). Oslo: Land og kirke, 1955.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Basílica de Santo Agostinho (Roma)