Igreja mãe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Igreja matriz)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SACROS[ancta] LATERAN[ensis] ECCLES[ia] OMNIUM URBIS ET ORBIS ECCLESIARUM MATER ET CAPUT" - "Santíssima Igreja de Latrão, de todas as igrejas da cidade e do mundo, mãe e cabeça". Inscrição na fachada da Arquibasílica de São João de Latrão, a catedral do papa em Roma.
Disambig grey.svg Nota: "Igreja matriz" redireciona para este artigo. Para outras acepções, veja Igreja matriz (desambiguação).

Igreja mãe é, no cristianismo, uma igreja "considerada como uma mãe em suas funções de nutrir e proteger o crente".[1] Porém, o termo tem diversos sentidos específicos nas diversas denominações cristãs. Assim, o termo pode designar uma igreja paroquial "que tem a responsabilidade de supervisionar outra (como uma capela ou um oratório)" ou a principal igreja de um país, região ou cidade, como uma catedral ou uma igreja metropolitana. Outra acepção comum do termo é "a igreja original de um movimento cristão em particular e que serve como centro espiritual ou organizacional do movimento". Neste sentido, é comum utilizar o termo também para designar a mais antiga igreja de uma região geográfica ou movimento a partir da qual as demais se originaram.[2]

"Igreja" como o edifício[editar | editar código-fonte]

Em vários dos sentidos abaixo, o termo igreja matriz é muito utilizado, especialmente para designar a principal igreja de uma circunscrição eclesiástica.

Primeira igreja de uma missão[editar | editar código-fonte]

A primeira igreja construída na área de uma missão é geralmente chamada de "igreja mãe". A Catedral de Nossa Senhora da Paz, em Honolulu, Havaí, por exemplo, foi construída no local da primeira missão francesa da Congregação dos Sagrados Corações de Jesus e Maria, a partir da qual nasceu a Diocese de Honolulu. Por isto, ela é chamada de "igreja mãe do Havaí".[3] Pelo mesmo morivo, a Missão de São Carlos Borromeo, em Carmel, Califórnia, é considerada a igreja mãe do estado norte-americano e, historicamente, serve de quartel-general de todo o sistema missionário californiano.

Catedral[editar | editar código-fonte]

Igreja mãe também pode ser um título distintivo baseado na importância hierárquica de uma igreja. A igreja do bispo de uma sé episcopal é geralmente chamada de igreja mãe da diocese. Esta forma de distinção é utilizada principalmente pela Igreja Católica, mas também pela Comunhão Anglicana.[4] Por outro lado, as demais denominações protestantes raramente fazem uso desta distinção.

A catedral papal, a Arquibasílica de São João de Latrão, é chamada de igreja mãe de todas as igrejas do mundo e não apenas das igrejas de Roma.[5]

Principal igreja de um instituto religioso[editar | editar código-fonte]

Igreja de Jesus, em Roma, a igreja mãe da Companhia de Jesus no mundo todo.
Basílica de São Francisco de Assis, em Assis, a igreja mãe da Ordem dos Frades Menores (franciscanos) no mundo todo.

O termo é também bastante utilizado para as igrejas dos vários institutos religiosos, ordens reais ou civis. Por exemplo, a Capela da Madonna Della Strada é a igreja mãe da província eclesiástica de Chicago da Companhia de Jesus, a principal igreja jesuíta desta província que inclui ainda Illinois, Indiana, Kentucky e Ohio.[6] Numa escala mais ampla, a Igreja de Jesus (Il Gesú), em Roma, é a igreja mãe de todos os jesuítas do mundo.[5]

Igrejas de implantação[editar | editar código-fonte]

Outra acepção do termo é utilizada principalmente pelas igrejas protestantes. Uma igreja mãe, neste sentido, é a igreja local a partir da qual outras igrejas locais foram implantadas. Estas são chamadas de "igrejas filhas".[7]

Igrejas historicamente importantes[editar | editar código-fonte]

As mais antigas igrejas de várias comunidades religiosas geralmente são consideradas igrejas mães de outras que a seguiram, da mesma tradição ou de uma tradição reformada. A importância hierárquica é geralmente derivada desta importância histórica. Além disso, em comunidades onde as igrejas podem trocar de associação eclesiásticas ou se tornarem independentes (particularmente nas tradições pentecostais, carismáticas e não-denominacionais), uma igreja mãe pode ter igrejas filhas em uma ou mais organizações.

"Igreja" como organização[editar | editar código-fonte]

Igreja universal[editar | editar código-fonte]

Este termo é utilizado geralmente entre católicos romanos na forma de "Santa Mãe" ou Sancta Mater Ecclesia em latim. Outro utilizado geralmente no catecismo em muitos países católicos é o título Mater et Magistra ("Mãe e Mestra"). Ambos são utilizados para "designar toda a Igreja Cristã ou todos os cristãos coletivamente".[8]

Ecclesia matrix[editar | editar código-fonte]

Segundo Joseph Bingham (1855), "'Ecclesia matrix', uma igreja mãe, é geralmente tida como sendo a que foi implantada imediatamente pelos apóstolos e a partir da qual todas as demais se derivaram e propagaram a partir daí.... E, neste sentido, a Igreja de Jerusalém é chamada de 'igreja mãe de todas as igrejas do mundo'". Ele também faz referência a Arles como sendo a igreja mãe da França pois a igreja da cidade teria sido fundada pelo missionário apostólico Trófimo, o primeiro bispo de Arles.[9]

Comunhão Anglicana[editar | editar código-fonte]

No anglicanismo, a Igreja da Inglaterra deu origem a todas as demais igrejas da Comunhão Anglicana e, por isto, é considerada como sendo a "igreja mãe".[10] O arcebispo de Cantuária serve, por isso, como foco de toda a Comunhão Anglicana.[11]

Igreja Metodista[editar | editar código-fonte]

No metodismo, a Igreja Metodista da Grã-Bretanha é considerada como sendo a "igreja mãe" de todas as demais igrejas metodistas do Conselho Mundial Metodista.[12][13] Esta tradição se mantém por que ela "deu origem a todo a empreitada metodista e, depois, a uma igreja no século XIX cuja influência se espalhou por todo o mundo pelos esforços missionários das várias conexões britânicas dentro e fora do Império Britânico".[12]

Igreja Católica Romana[editar | editar código-fonte]

A Igreja Católica Romana é considerada a igreja mãe das igrejas protestantes e de outras igrejas que se separam dela ao longo dos séculos. As principais são as igrejas luteranas, reformadas e anglicanas, além das demais comunidades que, por sua vez, se originaram delas.

Referências

  1. Oxford English Dictionary
  2. Oxford English Dictionary
  3. «Cathedral Art and Architecture». Arquivado do original em 21 de novembro de 2008 
  4. See e.g. Rogers, KJN., A practical arrangement of ecclesiastical law,Saunders and Benning, 1840. p. 154.
  5. a b Roma Sito Turistico Ufficiale - Christian Rome Dipartimento Promozione del Turismo e della Moda
  6. HONORING THE BISHOPS OF SCRANTON, CHURCH AND THE JESUITS: THE CAMPUS The University of Scranton
  7. E.Raymond - SOME CONVICTIONS ABOUT CHURCH PLANTING AND THE MOTHER / DAUGHTER CHURCH RELATIONSHIP published February 17, 2011 by TGC The Gospel Coalition
  8. OED, verbete Universal.
  9. Bingham, J., The Antiquities of the Christian Church, University Press, 1855, p. 22-23.
  10. Juergensmeyer, Mark; Roof, Wade Clark (18 de outubro de 2011). Encyclopedia of Global Religion (em English). [S.l.]: SAGE Publications. p. 37. ISBN 9781452266565 
  11. O'Donovan, Oliver. Church in Crisis (em English). [S.l.]: Wipf and Stock Publishers. p. 19. ISBN 9781621898528 
  12. a b Jr, Charles Yrigoyen (25 de setembro de 2014). T&T Clark Companion to Methodism (em English). [S.l.]: A&C Black. p. 73. ISBN 9780567290779 
  13. Melton, J. Gordon; Baumann, Martin (21 de setembro de 2010). Religions of the World: A Comprehensive Encyclopedia of Beliefs and Practices (em English). [S.l.]: ABC-CLIO. p. 1878. ISBN 9781598842043