Iguatu (Ceará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Iguatu
"Terra das Lagoas"
"Terra da Telha"
"Capital do Algodão"
"Princesinha do Ceará"
Igreja Matriz Sant'Ana, padroeira da cidade

Igreja Matriz Sant'Ana, padroeira da cidade
Bandeira de Iguatu
Brasão de Iguatu
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de janeiro
Fundação 11 de outubro de 1831 (186 anos)
Emancipação 25 de janeiro de 1853 (165 anos)
- de Icó
Gentílico iguatuense
Padroeiro(a) Sant'Ana
CEP 63.500-000 a 63.509-999[1]
Prefeito(a) Ednaldo de Lavor Couras (PDT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Iguatu
Localização de Iguatu no Ceará
Iguatu está localizado em: Brasil
Iguatu
Localização de Iguatu no Brasil
06° 21' 32" S 39° 17' 56" O06° 21' 32" S 39° 17' 56" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Centro-Sul Cearense IBGE/2008 [2]
Microrregião Iguatu IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Norte: Acopiara e Quixelô, Leste: Orós e Icó, Sul: Cedro e Cariús, Oeste: Jucás e Acopiara
Distância até a capital federal: 2 135 km
estadual: 380 km
Características geográficas
Área 1 029,002 km² (BR: 1378º)[3]
Área urbana 3,812 km² (CE: 8º) – est. Embrapa[4]
Distritos Iguatu (sede), Barreiras, Barro Alto, Baú, Gadelha, José de Alencar, Riacho Vermelho e Suassurana
População 102 013 hab. (CE: 9º) –  est. IBGE/2016[5]
Densidade 99,138 hab./km²
Altitude 218 mest. Embrapa[4]
Clima Semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,677 (BR: 2503°) – médio PNUD/2010[6]
Gini 0,54 PNUD/2010[6]
PIB R$ 1 175 246 908,40 (CE: 9º) – IBGE/2013[7]
PIB per capita R$ 11 746 24 IBGE/2013[7]
Página oficial
Prefeitura Prefeitura de Iguatu
Câmara Câmara de Iguatu
Outras informações
País  Brasil
Macrorregião Nordeste
Vínculo diocesano Diocese de Iguatu
Vereadores 21
Comarca Iguatu
Eleitores 60.396 eleitores[8]
Potencial de consumo R$ 865,000 milhão (2014)[9]

Iguatu é um município brasileiro do estado do Ceará. Localizado na Região Centro-Sul do estado, configura-se como o principal pólo econômico da região. Foi, ao longo das décadas de 1960, 70 e 80, um importante centro produtor de algodão, chegando a cravar sucessivos recordes nacionais de produtividade da fibra. Hoje, as indústrias moveleiras, de calçados e de serviços são os condutores da economia da cidade. Terra natal dos músicos e compositores Eleazar de Carvalho, Humberto Teixeira e do Bispo Mário Teixeira Gurgel.

Iguatu está na lista dos 299 municípios mais populosos do Brasil e dos 9 mais populosos do Ceará. Possui o 10º PIB do Ceará, com um índice de desenvolvimento humano de 0,677. 10º IDH do estado. É a cidade do centro-sul que possui mais cursos de graduação.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Iguatu vem da língua ig ou i (água) e catu (bom, boa) significado rio bom ou água boa. É uma alusão a grande lagoa, a maior do estado do Ceará, situada na parte leste da cidade.

Sua denominação original era Venda, depois Sitio Telha, Capela da Telha, Matriz da Telha, Povoação da Telha, Missão da Telha, Telha e desde 1883[10] chama-se Iguatu.

História[editar | editar código-fonte]

A localidade anteriormente abrigava uma aldeia de índios Quixelôs[11],[12]. A região era conhecida pelo nome de Telha, fazendo menção a uma grande lagoa de mesmo nome dos arredores, quando os jesuítas chegaram à região a partir de 1707. Depois de lutas de resistências por parte dos indígenas e rendição destes, estes colaboravam com os colonizadores.

Em 1831,o povoado da Telha já se tornara tão grande e próspero que foi elevado a freguesia e sua elevação à categoria de Vila ocorreu na forma de Lei nº 553, de 27 de novembro de 1851, quando foi desmembrada do município de Icó e instalada a 25 de janeiro de 1853. Sua elevação à categoria de cidade ocorreu em virtude de Lei Provincial nº 1.612, de 21 de agosto de 1874. Logo após a proclamação da República em 1889, foi nomeado o seu primeiro intendente, Cel. Celso Ferreira Lima Verde. O primeiro prefeito municipal foi nomeado em 1914, Cel. José Adolfo de Oliveira. O segundo prefeito foi Eduardo de Lavor Paes Barreto, de 1915 a 1917. Um fato curioso na política local é que na primeira eleição para o cargo de prefeito por voto direto, em 1926, o segundo colocado assumiu o cargo a partir de 1 de dezembro. Concorreram ao cargo Manoel Carlos de Gouvêa (344 votos) e o industrial Otaviano Jaime de Alencar Benevides (542 votos), este considerado inelegível, assume o cargo Gouvêa até a data de 14 de agosto de 1928.

Iguatu destacou-se ao longo da história do Ceará por está ao lado da Estrada das Boiadas, e depois como importante centro produtor de algodão, mas o grande impulso econômico se deu com a expansão da Estrada de Ferro de Baturité até a cidade do Crato. A estação ferroviária de Iguatu foi inaugurada a 5 novembro de 1910. Isso resultou no impulso da economia local com a instalação de hotéis, usinas de beneficiamento de algodão e casas comerciais e a expansão do centro comercial. Com a estação, Iguatu tornou-se o centro econômico da região em detrimento de Icó. Somente a partir de 1910, com o fortalecimento da economia algodoeira a expansão urbana direciona-se para as proximidades da estação ferroviária. O progresso urbano foi tão significativo tanto que em 1925, foi inaugurado o Cine-Teatro Iguatu, considerado à época como o melhor prédio do gênero no interior do Ceará. O aformoseamento urbano verificava-se já pela existência de muitos palacetes e sobrados onde residiam as famílias ricas e influentes na sociedade, principalmente nas ruas Floriano Peixoto, João Pessoa, Epitácio Pessoa e no entorno da Praça da Matriz. Com a expansão da linha ferroviária até o município do Crato, inaugurada a 9 de novembro de 1926, Iguatu recebe um novo impulso na sua economia e nos aspectos cultural e social, pois a ferrovia permitiu a comunicação mais rápida com o Cariri, próspero e importante centro cultural, político e econômico do sul do Ceará.

No município de Iguatu são inauguradas quatro estações de trem (Sussuaruna, Iguatu, Jaguaribe Mirim e José de Alencar)[13],[14],[15],[16], as quais consolidaram a base econômica do município. A estação foi a terminal da linha da EF Baturité até agosto de 1916, quando ela foi prolongada até Cedro, e no ano seguinte, até Lavras. Por isso, os habitantes de Lavras, mais ao sul, tinham de ir até Iguatu para embarcarem. Hoje é uma das estações operacionais da CFN, atual concessionária do trecho. Segundo Assis Lima, o prédio sofreu grande reforma em meados dos anos 1970, perdendo suas características originais.

Em 2009, o município viu o fim de uma das indústrias de beneficiamento do algodão (CIDAO), que certamente alimentaram os trens para Fortaleza, que transportavam o algodão e o óleo ali produzidos. Foi demolida para dar lugar a uma Universidade (é criado o Campus Avançado de Iguatu da Universidade Regional do Cariri). Seus trilhos e até vagões que existiam até novembro em seus depósitos foram sucateados. Em uma notícia do início de 2009, a afirmação de que o material ferroviário seria mantido ali: "Dentro do projeto feito por Campelo, está a ideia de deixar a linha férrea que passa dentro da área e dois vagões de trem estacionados dentro da CIDAO como forma histórica de preservação da memória das antigas edificações"[17].

Numa região onde os missionários católicos tentaram evangelizar os nativos, os índios, as primeiras manifestações de apoio eclesial provêm desse trabalho. Em 1746 iniciaram-se as obras da primitiva capela, orago que se dedicou a Nossa Senhora Santana, sendo concluída em 1775 e tendo como subordinante a Paróquia de São Mateus (Jucás). A Igreja Matriz Senhora Santana é o único patrimônio arquitetônico do município tombado pelo IPHAN, em 13 de março de 1974. Foi inaugurada e sagrada pelo segundo bispo do Ceará, Dom Joaquim José Vieira, no dia 29 de agosto de 1886, na presença de Padre Cícero Romão Batista. A freguesia, desmembrada da jurisdição anterior, provém do Decreto Provincial de 11 de outubro de 1831 e assentou-se em área central constante de 200x400 braças. Consta como seu primeiro vigário, no período compreendido entre 1832 e 1844, o Padre Vicente José Ferreira.

No dia 28 de janeiro de 1961, o Papa João XXIII editou a bula "In apostolicis muneris" criando a Diocese de Iguatu. Sendo seu primeiro Bispo D. José Mauro Ramalho de Alarcon e Santiago,empossado a 4 de fevereiro de 1962.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 06º21'34" Sul e a uma longitude 39º17'55" Oeste, possuindo uma área de 1.029,002 km².

Clima[editar | editar código-fonte]

A pluviosidade no município é de aproximadamente 1 000 milímetros anuais, com chuvas concentradas de janeiro a maio. Com temperaturas que variam, conforme a época do ano e local, de mínimas de aproximadamente 21 °C até máximas de 36 °C. As médias térmicas mensais, no entanto, giram entre 26 ºC e 29 °C. O tempo de insolação chega a 3 000 horas anuais.[18]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1961 a menor temperatura registrada em Iguatu foi de 14,3 °C em 11 de julho de 1999,[19] e a maior atingiu 39,8 °C em 12 de outubro de 2003.[20] O maior acumulado de precipitação registrado em 24 horas foi de 153,6 milímetros (mm) em 13 de abril de 1964.[21] O maior volume de chuva observado em um mês foi de 494,6 mm em abril de 2011.[22]

Dados climatológicos para Iguatu
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 38,4 38,3 38,6 35,5 36 35,7 36,3 37,6 38,2 39,8 39,4 38,8 39,8
Temperatura máxima média (°C) 33,4 32,3 31,8 31,1 31,2 31,5 32,4 33,5 35 35,7 35,7 35,1 33,2
Temperatura média compensada (°C) 27,6 26,8 26,6 26,2 25,9 25,5 26,1 27,1 28,3 29,3 29,5 29,2 27,3
Temperatura mínima média (°C) 23,1 22,6 22,5 22,3 21,7 20,6 20,7 21,3 22,3 23,1 23,5 23,6 22,3
Temperatura mínima recorde (°C) 18,6 18,6 19,5 19,7 16,3 15,9 14,3 14,9 17,6 18,5 18,2 18,8 14,3
Precipitação (mm) 133,8 167,3 221,2 196,8 102,7 27,6 12,6 14,4 12,3 19 7,9 67,5 983,1
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 10 11 14 14 8 4 3 2 2 1 1 4 74
Umidade relativa compensada (%) 66,3 73,5 77,5 80,9 77,6 68,4 58,9 49,8 46,9 46,8 47,1 51,3 62,1
Horas de sol 216 196,3 217,4 216,4 236,8 251,3 268,4 293,2 293,2 292 275,5 252,8 3 009,3
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[18] recordes de temperatura: 1961-presente).[19][20]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

Lagoa da Bastiana

As principais fontes de água fazem parte da bacia do Alto Jaguaribe, sendo elas os rios Jaguaribe, Trussu; riachos como o Carnaúba, Antônico, da Serra e outros tantos. Existem ainda diversas lagoas, destacando-se a do Iguatu (a de maior acumulação d’água natural do estado) e Baú, Barro Alto, Bastiana, do Saco e da Telha.Os principais açudes são: do Governo (Marcio Ferandes), Orós e Trussu[23],[24].

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

Está a uma altitude de 217 metros. As terras do município são de relevo plano suave, com formas ligeiramente entalhadas e altitudes entre 200 e 500 m, resultantes da superfície de aplainamento do Cenozóico; faz parte da denominada Depressão Sertaneja. Os solos são podzólicos, litólicos, solos aluviais e vertissolos[23]. As principais elevações são as serras: do Casquilho, do Esse, do Morais e do Mundo Novo[25].

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação predominante é a caatinga arbustiva densa[23].

Demografia[editar | editar código-fonte]

Sua população estimada em 2016 era de 102.013 habitantes.[5]

Taxas de Educação[editar | editar código-fonte]

  • Taxa de alfabetização ( 2000): 73,9 %
  • Taxa de escolarização no ensino fundamental ( 2007 ) : 86,2 %
  • Taxa de escolarização no ensino médio ( 2007): 70,3 %

Economia[editar | editar código-fonte]

O município exerce papel de centro regional de comércio e serviços, oferecendo apoio para mais de 10 municípios da região onde se localiza. Sua economia é baseada na agricultura: algodão herbáceo e arbóreo, arroz, banana, feijão, milho; pecuária: bovino, suíno e avícola.

Além de diversas olarias, a base econômica mais antiga ainda encontram-se algumas indústrias, tendo destaques as de ramo calçadista, alimentícia e de transformação de produtos à base de alumínio.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Obs:. Pioneira na perspectiva do Campus multi-institucional em todo o país.

Ensino básico

Na Educação Básica, conta com quase cem escolas. Fazendo parte da rede pública podem-se citar as escolas:

  • Liceu de Iguatu
  • EEEP Lucas Emmanuel Lima Pinheiro
  • EEM Francisco Holanda Montenegro (Distrito José de Alencar)
  • Escola Maria Pacífico (Ex. Escola Carlos de Gouvêa)
  • Escola Filgueiras Lima
  • EEEP Amélia Figueiredo de Lavor
  • Escola Adauto Bezerra
  • Escola Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
  • Colégio Adahil Barreto
  • CEJA
  • IFCE
  • EEEP Antônio Albuquerque

Na rede particular, destacam-se as escolas:

  • SESC
  • Colégio Pólos
  • Escola Modelo
  • Centro Educacional Cenecista Ruy Barbosa

Obs: Além dessas escolas citadas acima, Iguatu possui mais de 105 escolas publicadas espalhados por diversos bairros e sítios do município, sendo 68 delas do ensino fundamental, 10 de ensino médio, 27 de educação de adultos e 4 escola de ensino profissional.

Ensino Superior
Ensino Profissional
  • Serviço Social do Comércio - SESC - CE
  • Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SENAC-CE.[26]
  • Escola Estadual de Educação Profissional Lucas Emmanuel Lima Pinheiro
  • Escola Estadual de Educação Profissional Amélia Figueiredo de Lavor

Transporte[editar | editar código-fonte]

Terrestre[editar | editar código-fonte]

Com uma rodoviária de médio porte, mas que atende todos as necessidades da Região Centro-Sul, o Terminal Rodoviário Senador Fernandes Távora recebe diariamente ônibus interurbanos de cidades vizinhas e interestaduais de diversos estados do Brasil. Mas está nas propostas municipais uma nova rodoviária para Iguatu com mais infraestrutura e tecnologia.

Iguatu possui também uma linha férrea turística que corta a cidade. Com um movimento intenso de trens cargueiros a linha férrea de Iguatu recebe todos os cuidados precisos para sua duração pois é um dos monumentos históricos da cidade iguatuense. Uma linha férrea administrada pela Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN), que se integrará à Rede Transnordestina atenderá Iguatu.

Aeroviário[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de Iguatu - Francisco Tomé da Frota, de propriedade do DER-CE, que atualmente é apenas utilizado por empresários da região, serviços postais e de emergência e táxi aéreo. O Aeroporto já recebeu voos regulares ligando Iguatu a outras importantes cidades nordestinas e há planos no sentido de se viabilizar a volta desse tipo de ligação aérea, sobretudo com as cidades de Juazeiro do Norte e Fortaleza. O pequeno porte que recebe diariamente voos fretados e voos de serviços bancários. Com uma pista de 1.410 metros e com um movimento intenso o Aeroporto Tomé de Frota em poucos anos poderá ser administrado pela Infraero e fazer voo comerciais.

Saúde[editar | editar código-fonte]

  • Hospital Regional de Iguatu (HRI)
  • Hospital e Maternidade Agenor Araújo
  • Hospital São Vicente (Particular)
  • Hospital São Camilo (Particular)
  • 20 PSF espalhados nos bairros da cidade e na zona rural
  • Clínica de Hemodiálises
  • Corpo de Bombeiros
  • CEO - Centro de Especialidades Odontológicas
  • UBS - Unidade Básica de Saúde, com sede no bairro flores mais que atendera os seguintes bairro Paraná, Tabuleiro, Areias, desafogando assim a emergência do Hospital Regional.
  • IML de Iguatu
  • Farmácia Viva : Medicamentos fitoterápicos a baixo custo.
  • Farmácia Popular
  • Policlínica (antiga Hospital Santo Antônio dos Pobres)
  • UPA - Unidade de Pronto Atendimento

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

  • Leito por 1.000 hab/ano (2005): 1,7
  • Trans. SUS hab/ano (2005): R$ 137,25
  • Cobertura Equipe Saúde da Familia (2008): 86%
  • Índice de Mortalidade infantil (2008): 14,84%

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Canais de televisão aberta de Iguatu[editar | editar código-fonte]

Emissoras de Rádio de Iguatu[editar | editar código-fonte]

  • Rádio Antena Sul FM 98.3 MHz
  • Rádio Tropykalia FM 104.9 MHz
  • Rádio Mais FM 106.1 MHz
  • Rádio Liberdade AM 87.0 MHz
  • Rádio Jornal - AM 79.0 MHz
  • Rádio Jangadeiro FM 103.1 MHz
  • Rádio Plus FM 90.9 MHz
  • Rádio Jovem Pan FM 91.5 MHz

Turismo e cultura[editar | editar código-fonte]

Atrações[editar | editar código-fonte]

Ponte sobre o Rio Jaguaribe
Áreas públicas
  • Praça Adil Mendonça
  • Praça da Bandeira
  • Praça da Matriz
  • Complexo Dr° José Ilo Dantas
  • Centro de Lazer Celso Montenegro - 7 de setembro
  • Centro de Lazer Francisco Alcântara Nogueira
  • Praça Cel. Belisário
  • Praça Caxias
  • Ponte Demócrito Rocha
  • Ponte Metálica (Trem)
  • Complexo Turístico do Trussu
  • Praça da Bíblia
  • Praça D. Pedro l
  • Praça Gonçalves de Carvalho
  • Praça da Criança

Patrimônio[editar | editar código-fonte]

Alto do Juca
Ilha da Amizade
  • Açude Orós 
  • Açude do Governo
  • Açude Trussu
  • Igreja e Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
  • Igreja Matriz de Senhora Santana (antiga Sé Catedral)
  • Lagoa Baú
  • Lagoa da Bastiana
  • Lagoa da Telha
  • Lagoa do Barro Alto
  • Lagoa do Saco
  • Lagoa Iguatu
  • Riacho Antônio
  • Rio Jaguaribe
  • AABB
  • CRI
  • Policlínica (antiga Hospital Santo Antônio dos Pobres)
  • Entre outros

Biblioteca Pública[editar | editar código-fonte]

A prefeitura realizou um conjunto de reformas no prédio da biblioteca Municipal Matos Peixoto que deixou o ambiente mais agradável e confortável para os visitantes. Além de 8.500 exemplares,o acervo disponibiliza periodicamente receitas de poesia, contação de histórias, leituras dramatizadas de contos e peças teatrais com a temática do livro e da leitura.

Eventos Culturais[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos culturais são:

  • Moto Fest - Maio
  • Festa da Padroeira - Senhora Santana - 26 de julho
  • Expoiguatu (exposição agropecuária municipal)
  • Fenercsul (Feira de Negócios da Região Centro-Sul)
  • Semana do Município - janeiro
  • Iguatu Festeiro
  • Iguatu Junino Escolar (realizado em Junho)
  • Festival do Dia Mundial do Teatro - 27 de março
  • FEST JOVEM - Torneio de futebol
  • Comemoração do dia 7 de Setembro dia da Idependência do Brasil.
  • Movimento LGBT (Semana da diversidade sexual e contra a lesbo-homo-bi-trans fobia).
  • Expoleite (Feira do leite da região centro sul- UPECE)
  • Festival de Violeiros do SESC
  • Marcha para Jesus
  • Dia da Bíblia (Dezembro) organizado pela APOEI

Museu[editar | editar código-fonte]

  • MIS - Museu da Imagem e do Som Alcântara Nogueira, que funciona anexo ao prédio do SESC Iguatu, com um acervo de vídeos, discos, fotos e recortes sobre a historia cultural e dos artistas de Iguatu e da região.
  • Museu de Arte Sacra, com projeto aprovado pela Câmara Municipal há mais de 20 anos, que deveria funcionar na antiga capela do Prado, vizinha à atual igreja.

Teatro[editar | editar código-fonte]

Iguatu tem um teatro, sem infraestrutura adequada, com nome de 'Pedro Lima Verde' (talentoso ator e dramaturgo iguatuense morto precocemente), mantido pela prefeitura municipal e conta com companhias e grupos de teatro:

  • Companhia Ortaet de Teatro
  • EVT Elo Vanguarda de Theatro (A palavra "Elo" substitui "Grupo", "Companhia", "CIA" ou "Trupe")
  • Guardiões Teatrais (fundado em Maio de 2016)
  • Cia. Dupla Face de Humor e Animações (Jadilene do Iguatu)
  • Cia. Persona de Teatro
  • Cia. Damtear teatro e dança
  • Companhia Chacoalho de Teatro de Bonecos
  • Grupo Metamorfose de Teatro
  • Grupo GETAP de Teatro

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Café Líder
  • Marco Zero
  • Museu Iguatuense da Imagem e do Som
  • Palácio da Microempresa de Iguatu
  • SESC Iguatu
  • Pista de skate

Política e cidadania[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se na sede[10], que conta com o poder legislativo municipal;

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

O município é dividido em oito distritos: Iguatu (sede), Barreiras, Barro Alto, Baú, Gadelha, José de Alencar, Riacho Vermelho e Suassurana [10].

Bairros[editar | editar código-fonte]

Os principais bairros da cidade são:

  • Centro
  • Flores
  • Areias I e II
  • São Sebastião
  • Jardim Iguatu
  • Tabuleiro
  • Vila Brasília
  • Planalto
  • Bugi
  • Cajueiro
  • João Paulo Il
  • Varjota
  • Philadelphia
  • Santa Rosa
  • Suassurana
  • Jardim Oásis
  • Lagoa Park
  • Veneza
  • COHABS 1, 2 e 3
  • Vila Centenário
  • Conjunto Industrial
  • Verde Park
  • Esplanada 1 e 2
  • 7 de Setembro
  • Cocobó
  • Vila Cidão
  • Prado
  • Alto do Jucá
  • Santo Antônio
  • Vila Neuma
  • Vila Moura
  • Chapadinha
  • Fomento
  • Altiplano 1 e 2
  • Penha
  • Gadelha
  • Poço Comprido
  • Cajazeiras
  • Coqueiro
  • Paraná
  • Quixoá
  • Vila Barro Alto
  • Cardoso 1
  • Cardoso 2
  • Vila Alencar
  • Vila Córrego
  • Vila Tanque

Ação Social[editar | editar código-fonte]

Creche Pró Infância[editar | editar código-fonte]

  • Em parceria com o Governo Federal, a Prefeitura de Iguatu está construindo uma creche no bairro Altiplano.O objetivo dessa iniciativa é oferecer educação de qualidade para crianças com idades até 6 anos.Quando concluída, a creche do Altiplano vai oferecer uma estrutura completa: teatro, brinquedos e salas de aula com espaço para banho de sol. previsão do prefeito Agenor Neto é beneficiar 2.000 crianças com educação de qualidade.

Cursinho Força jovem[editar | editar código-fonte]

  • O projeto que tem como objetivo e ações complementar nas áreas do conhecimento através de cursos, aulas de reforço escolar e acompanhamento das informações dos alunos beneficiários do Bolsa família bem como aos seus familiares e as famílias em Vulnerabilidade Social. Estamos falando do Projeto Força Jovem que é uma realização da Prefeitura Municipal de Iguatu através da Secretaria de Ação Social em parceria com Secretaria de Educação e com os recursos do IGB/Bolsa Família.com esta oportunidade demonstram que possuem condições intelectuais de competirem com qualquer um em provas de vestibulares.

Cozinha Comunitária[editar | editar código-fonte]

A Cozinha Comunitária Dulce Ricarte de Araújo compõe a Rede de Equipamentos Públicos de Alimentação e Nutrição, a qual brevemente estará sendo fortalecida com a conclusão do Banco de Alimentos. Ambos fazem parte da estratégia de garantia de uma alimentação segura e do Direito Humano a uma Alimentação Adequada, regidos pela Política de Segurança Alimentar e Nutricional do município de Iguatu.

A Cozinha Comunitária teve início em 20 de Novembro de 2010, com objetivo de fornecer e promover o acompanhamento nutricional aos beneficiários cadastrados e referenciados pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS IV) que abrange os bairros João Paulo, Jardim Oásis e Areias. Desde então, fornece diariamente 200 refeições, a um valor acessível, planejadas por nutricionista, garantindo um cardápio variado e nutricionalmente adequado.

Além do público cadastrado, indiretamente, a Cozinha Comunitária beneficia através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), 150 agricultores da Agricultura Familiar, que fornecem seus produtos pela modalidade “Compra direta com doação simultânea” em parceria com Secretaria de Agricultura e Pecuária do município.

Ao longo dos seus 5 anos de funcionamento a Cozinha Comunitária ofereceu em média 264.000 refeições, promoveu atividades de educação e avaliação nutricional. Constantemente, busca capacitar e orientar a equipe de manipuladores de alimentos a respeito das Boas Práticas no Serviço de Alimentação.

Em 2013 a Prefeitura Municipal de Iguatu visando garantir a continuidade do programa e potencializar o funcionamento do equipamento propôs um projeto de Modernização para melhorar a estrutura física para o fluxo de recebimento de gêneros e o armazenamento, a recepção, distribuição e administração das refeições.

Relevâncias:

  • Reforma do refeitório, com instalação do forro na cor branca em material PVC
  • Construção da sala de cortes de carnes, climatizada
  • Adequação da área de recebimento de gêneros
  • Reforma e climatização da sala de administração
  • Reparos de instalações hidráulicas e elétricas
  • Foi garantido ainda a aquisição de novos equipamentos e utensílios.

Casa Azul[editar | editar código-fonte]

  • A casa azul é o centro de atenção psicossocial para a infância e a adolescência de Iguatu. A casa atende crianças e adolescentes de 0 a 18 anos,portadores de transtornos mentais de diversos municípios da região centro-sul. A unidade que conta com psiquiatria, neurologista, pediatra, psicólogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, enfermeiros de três pedagogas, foi o primeiro centro para a infância e adolescência a ser implantado no estado do Ceará.

Residência Terapêutica para pacientes especiais[editar | editar código-fonte]

  • A prefeitura de Iguatu instalou uma residência terapêutica de saúde mental,concluindo a rede de saúde mental composta por quatro unidades: CAPS III, CAPS ad, CAPSi e a residência terapêutica.O objetivo da casa é atender pacientes com transtornos mentais,graves e crônicos,sem amparo da família,evitando o internamento em hospitais psiquiátricos.

Religião[editar | editar código-fonte]

Igreja do Prado, uma das várias existentes na cidade
  • Igreja Presbiteriana do Brasil
  • Igreja e Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
  • Igreja Matriz de Senhora Santana (antiga Sé Catedral)
  • Igreja Adventista do Sétimo Dia
  • Igreja de Nossa Senhora das Graças
  • Sé Catedral de São José
  • Salões do Reino das Testemunhas de Jeová
  • Igreja Assembleia de Deus
  • Igreja Batista
  • Entre outras

Esporte[editar | editar código-fonte]

Agremiação esportiva[editar | editar código-fonte]

  • Associação Desportiva de Iguatu
  • IHC Iguatu Handebol Clube
  • ACEBI- Associação esportiva de Basquete Iguatuense

Estádio[editar | editar código-fonte]

  • Estádio Elmo Moreno: conhecido como "Morenão", tem capacidade para 3.300 torcedores.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «CEP de cidades brasileiras». Correios. Consultado em 31 de Julho de 2008 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  4. a b «Urbanização das cidades brasileiras». Embrapa Monitoramento por Satélite. Consultado em 30 de Julho de 2008 
  5. a b «Estimativa populacional 2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2016. Consultado em 30 de agosto de 2016 
  6. a b Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). «Perfil do município de Iguatu - CE». Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Consultado em 28 de dezembro de 2013 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos municípios 2010-2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  8. TRE/CE. «13ª Zona Eleitoral». Consultado em 6 de novembro de 2016 
  9. «500 maiores consumos». Consultado em 6 de novembro de 2016 
  10. a b c http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1
  11. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  12. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Índigenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  13. http://www.estacoesferroviarias.com.br/ce_crato/engbarreto.htm
  14. http://www.estacoesferroviarias.com.br/ce_crato/iguatu.htm
  15. http://www.estacoesferroviarias.com.br/ce_crato/jaguaribe.htm
  16. http://www.estacoesferroviarias.com.br/ce_crato/alencar.htm
  17. http://www.maisfm.org.br/noticias/iguatu
  18. a b «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 24 de março de 2018 
  19. a b «Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC) - Iguatu». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 30 de maio de 2014 
  20. a b «Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (ºC) - Iguatu». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 30 de maio de 2014 
  21. «Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Iguatu». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 30 de maio de 2014 
  22. «Série Histórica - Dados Mensais - Precipitação Total (mm) - Iguatu». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 30 de maio de 2014 
  23. a b c http://www.cprm.gov.br/
  24. http://atlas.srh.ce.gov.br/
  25. http://www2.ipece.ce.gov.br/cartografia_1/Mapas%20Municipais/H-I_pdf/iguatu.pdf
  26. «Senac Iguatu - Unidades - Senac Ceará». www.ce.senac.br. Consultado em 29 de abril de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons