Iker Casillas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Iker Casillas
Iker Casillas
Casillas em 2018
Informações pessoais
Nome completo Iker Casillas Fernández
Data de nasc. 20 de maio de 1981 (40 anos)
Local de nasc. Móstoles, Espanha
Nacionalidade espanhol
Altura 1,82 m
canhoto
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição goleiro
Clubes de juventude
1990–1998 Real Madrid
Clubes profissionais
Anos Clubes
1998–1999
1999
1998–2015
2015–2020
Real Madrid C
Real Madrid Castilla
Real Madrid
Porto
Seleção nacional
1996
1996–1998
1997–1999
1999
1999
1999–2000
2000–2016
Espanha Sub-15
Espanha Sub-16
Espanha Sub-17
Espanha Sub-18
Espanha Sub-20
Espanha Sub-21
Espanha

Iker Casillas Fernández (Móstoles, 20 de maio de 1981) é um ex-futebolista espanhol que atuava como goleiro.

Foi o capitão da Espanha durante a Copa do Mundo FIFA de 2010, em que os espanhóis sagraram-se pela primeira vez campeões mundiais. Após a conquista mundial com a Seleção Espanhola, foi eleito o melhor goleiro (ou guarda-redes) da Copa do Mundo, conquistando a Luva de Ouro.[1]

Liderou a Seleção também na conquista das Eurocopas de 2008 e 2012, tornando a Espanha a primeira bicampeã consecutiva do torneio em toda a história do futebol europeu. No dia 1 de julho de 2012, com a goleada por 4 a 0 contra a Itália na final da Euro 2012, Casillas tornou-se o primeiro futebolista na história a completar 100 vitórias atuando por sua Seleção.[2]

Pelo Real Madrid, Casillas chegou ao time principal em novembro de 1997, mas só veio a estrear pela equipe em 1999, aos dezoito anos de idade, após uma lesão do então titular Bodo Illgner. Na temporada 2010–11, após a saída do ídolo Raúl González, assumiu a faixa de capitão da equipe.

Foi eleito o melhor goleiro do mundo nos anos de 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012 pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS), superando grandes nomes como Gianluigi Buffon e Petr Čech.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Após atuar por oito anos nas categorias de base do Real Madrid, Casillas foi promovido ao time principal pela primeira vez no dia 27 de novembro de 1997, aos 16 anos, ainda com o treinador alemão Jupp Heynckes, para uma partida da Liga dos Campeões da UEFA de 1997–98, contra o Rosenborg. Com as lesões do titular Bodo Illgner e do reserva Albano Bizzarri, tendo restado apenas Santiago Cañizares como opção para a meta, Heynckes optou por convocar o garoto Casillas das categorias de base para ocupar a vaga de reserva de Cañizares. Neste jogo, porém, Casillas não chegou a atuar. Sua estreia como titular da equipe viria dois anos mais tarde, já com o novo treinador da equipe, Vicente del Bosque. Na temporada 1999–00, mais precisamente no final do ano de 1999, após uma lesão no ombro do então titular Bodo Illgner, Casillas, então com dezoito anos de idade, assumiu o posto de goleiro titular dos merengues.[3]

Em 2000, ele se tornou o mais jovem goleiro a jogar em uma final da Liga dos Campeões, quando o Real Madrid derrotou o Valencia por 3 a 0, apenas quatro dias após seu 19º aniversário.[4][5]

Casillas perdeu sua vaga de titular para César Sánchez, mas esta fase foi temporária. Iker logo se redimiu quando Sánchez sofreu uma lesão nos últimos minutos da final da Liga dos Campeões da UEFA de 2001–02.[6] Casillas entrou aos 23 minutos do segundo tempo e realizou várias defesas contra o Bayer Leverkusen, garantindo a vitória por 2 a 1 e o título continental para a equipe merengue. Casillas manteve-se como titular do Real Madrid, somando mais de 10 anos no posto.[7][8]

Teve uma grande temporada 2007–08, sendo fundamental na conquista da La Liga, o 31º título do Campeonato Espanhol conquistado pela equipe. Casillas sofreu apenas 32 ​​gols em 36 jogos e conquistou também o Troféu Zamora, prêmio entregue ao goleiro menos vazado da temporada.[9]

No dia 4 de outubro de 2009, durante a temporada 2009–10, num jogo contra o Sevilla, ​​Casillas fez uma defesa extraordinária numa finalização do argentino Diego Perotti, impedindo que este marcasse o gol.[10][11] Após a partida, ele recebeu elogios do ex-goleiro e lenda do futebol inglês Gordon Banks, que afirmou:

Na temporada 2010–11, com a saída de Raúl González, Casillas foi nomeado o novo capitão do Real Madrid.[12] O goleiro foi um dos principais nomes da equipe comandada por José Mourinho, realizou grandes defesas ao longo da temporada e teve a coroação no dia 20 de abril de 2011, com a conquista da Copa do Rei. Após um empate em 0 a 0 contra o grande rival Barcelona, Casillas viu o português Cristiano Ronaldo marcar na prorrogação o gol do título.[13][14]

Iker Casillas em 2012

No dia 22 de dezembro de 2012, Casillas sentiu dores na partida contra o Málaga, abandonou o jogo e José Mourinho colocou Antonio Adán na partida.[15][16] Casillas brigou com o técnico Mourinho e foi parar no banco, mesmo sendo de novo o melhor goleiro do ano.[17] Foi então que o rival Barcelona ficou interessado em contar com o seu futebol, mas não realizou nenhuma proposta oficial. Casillas só voltou a jogar quando Adán, então goleiro titular do Real Madrid, foi expulso. Casillas sofreu fratura na mão após levar um chute de um companheiro de equipe e desfalcou o Real Madrid no jogo contra o Valencia, pela Copa do Rei, no dia 23 de janeiro de 2013.[18][19]

No dia 26 de fevereiro de 2014, contra o Schalke 04, pela Liga dos Campeões da UEFA, Casillas levou um gol do seu ex-companheiro Klaas-Jan Huntelaar na goleada merengue por 6 a 1.[20] Huntelaar acabou com o recorde de 952 minutos de Casillas sem tomar um gol, batendo o ex-dono deste recorde, o goleiro Francisco Buyo. Ainda em 2014, Casillas atingiu a marca de 700 jogos pelo Real Madrid justamente na final do Mundial de Clubes, realizada no Marrocos, onde o time merengue se consagrou campeão mundial ao vencer o San Lorenzo por 2 a 0.[21]

Casillas atuando pelo Porto em 2018

Na temporada 2014–15, passou a receber vaias constantemente de parte da torcida devido a algumas falhas.[22][23]

Porto[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Porto no dia 11 de julho de 2015, por duas temporadas, com opção de renovação por mais uma.[24] Optou por escolher a camisa número 12.[25] Como sucessor de Helton e contratado a pedido do então treinador, Julen Lopetegui, Casillas logo se tornou titular absoluto dos Dragões.

Em suas duas primeiras temporadas, tendo visto três treinadores passarem e sucessivos insucessos na corrida para recuperar os títulos, Iker acabou prolongando seu contrato, que era de dois anos, em princípio, para mais uma temporada. Em 2017–18, sob o comando de Sérgio Conceição, o espanhol conseguiu finalmente seu primeiro título na Cidade Invicta. Em uma campanha cheia de emoções, o Porto superou seus adversários diretos e sagrou-se campeão nacional após quatro anos de jejum, em um dos títulos mais celebrados pela torcida nos últimos anos.

Apesar de ter perdido a titularidade a meio da temporada, Casillas sempre foi um pilar da equipe, acabando por recuperar a posição e sendo fundamental para a conquista, principalmente nos jogos contra Sporting, Benfica e Marítimo.

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Após ter ficado um longo tempo sem atuar devido a um infarto do miocárdio, no dia 18 de fevereiro de 2020 teve sua aposentadoria antecipada por Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do Porto.[26] Casillas anunciou oficialmente no dia 4 de agosto.[27]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Casillas, Juan Mata e Javi Martínez celebrando a conquista da Copa do Mundo FIFA de 2010

Com a Seleção Espanhola, atuou desde as categorias de base, onde conquistou o Mundial Sub-20 de 1999, realizado na Nigéria.

Estreou na Seleção Principal em um jogo contra Suécia, e foi um reserva não utilizado durante a Euro 2000.

Foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 2002, inicialmente como reserva de Santiago Cañizares.[28] Entretanto, após uma lesão sofrida por Cañizares num acidente com vidro, Casillas assumiu a vaga de titular.[29][30] Aos 21 de idade, ele disputou sua primeira Copa do Mundo, tornando-se um dos mais jovens goleiros a ser titular no maior torneio do futebol mundial. Ele desempenhou um papel fundamental na meta espanhola quando salvou dois pênaltis durante as oitavas-de-final, numa disputa por pênaltis contra a República da Irlanda, classificando a Espanha para as quartas. Este desempenho lhe valeu o apelido de "San Iker".[31]

Foi titular na Eurocopa de 2004, mas sua Seleção acabou sendo eliminada ainda na primeira fase do torneio com uma vitória, um empate e uma derrota. Dois anos depois, na Copa do Mundo FIFA de 2006, realizada na Alemanha, sua equipe estava indo bem, tendo se classificado em primeira no Grupo H, até encontrarem uma inspirada França do craque Zinédine Zidane nas oitavas de final. Os espanhóis saíram na frente com David Villa, mas acabaram sofrendo a virada e foram eliminados após perderem por 3 a 1.[32]

Com a exclusão de Raúl da lista de convocados para a Euro 2008, Casillas recebeu a braçadeira de capitão da Seleção Espanhola.[33] Ele foi titular nos dois primeiros jogos do Grupo D, contra Rússia e Suécia, e foi poupado no terceiro jogo, dando lugar ao reserva Pepe Reina.[34] Já no dia 22 de junho, pelas quartas de final, Casillas defendeu dois pênaltis, cobrados por Antonio Di Natale e Daniele De Rossi, e a Espanha eliminou a Itália com uma vitória por 4 a 2 na disputa por pênaltis, após um empate sem gols.[35] Posteriormente a Espanha sagrou-se campeã do torneio, com uma vitória por 1 a 0 sobre a Alemanha na final, no dia 29 de junho, a primeira conquista de Eurocopa da La Furia em 44 anos (desde a edição de 1964, quando o torneio ainda era chamado Campeonato Europeu das Nações). Como capitão da equipe, Casillas teve a oportunidade de erguer a taça de campeão da Europa.[36]

Em 2010, foi convocado para a terceira Copa do Mundo FIFA de sua carreira, realizada na África do Sul. Manteve a boa regularidade e, novamente como capitão, foi uma das mais importantes peças na campanha do primeiro título mundial da Espanha. Na final, os espanhóis bateram a Holanda por 1 a 0, gol de Andrés Iniesta. Tornou-se o terceiro goleiro a receber uma taça de campeão do mundo (depois dos italianos Gianpiero Combi e Dino Zoff), no primeiro título de seu país no torneio. Casillas conquistou ainda o prêmio Luva de Ouro do torneio, entregue ao melhor goleiro da Copa, tendo sofrido somente dois gols em todo o Mundial, na derrota contra a Suíça, durante a partida de estreia, e contra o Chile, também na fase de grupos.[37][38]

Casillas erguendo o troféu da Euro 2012, a terceira conquistada pela Seleção Espanhola

Dois anos depois, Iker conquistou a Eurocopa de 2012, segundo título de Eurocopa na sua carreira e de forma consecutiva, já que havia conquistado o torneio quatro anos antes. Este tornou-se um fato inédito no futebol europeu, já que jamais uma Seleção havia conquistado duas Eurocopas de forma consecutiva.[39] Foi talvez o principal jogador na impecável campanha da Espanha no torneio, sofrendo apenas um gol em seis jogos, e quebrando recordes.[40] Exatamente na final da Euro, com a goleada por 4 a 0 contra a Itália, Casillas completou 100 vitórias por sua Seleção Nacional, um recorde jamais alcançado por nenhum outro futebolista na história.[2] Além deste, outro recorde conquistado pelo goleiro espanhol foi o de mais tempo sem sofrer gols numa Eurocopa, superando o italiano Dino Zoff. O recorde de Zoff era de de 494 minutos, e Casillas superou-o chegando aos 510 minutos sem sofrer um gol sequer: 30 após o único gol sofrido no torneio, contra a Itália ainda na fase de grupos, 90 contra a Irlanda, 90 frente a Croácia, 90 nas quartas de final contra a França, 120 incluindo a prorrogação da semifinal contra Portugal e mais os 90 da final, novamente frente a Itália.[2]

No dia 1 de julho de 2012, Casillas tornou-se o primeiro jogador a atingir 100 vitórias internacionais por seu país. Ele também estabeleceu um novo recorde com seus 509 minutos sem sofrer um gol na Euro de 2012, quebrando o registro do italiano Dino Zoff com 494 minutos. Casillas continuou seu novo recorde de minutos invicto com a Espanha com 817 minutos, que foi quebrado por Olivier Giroud.[41]

Em 2014 foi convocado para a Copa do Mundo FIFA realizada no Brasil, o quarto mundial disputado pelo goleiro.[42]

Sua última competição pela Espanha foi a Euro 2016, realizada na França.[43] No entanto, acabou preterido pelo treinador Vicente del Bosque, não atuando em nenhuma partida e sendo reserva de David de Gea. Nos anos seguintes o goleiro não foi mais convocado para jogar pela Seleção.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Relação com Sara Carbonero[editar | editar código-fonte]

Casillas conheceu a jornalista Sara Carbonero durante o decorrer da Copa das Confederações FIFA de 2009, na África do Sul. Na Copa do Mundo FIFA de 2010, também realizada na África do Sul, Sara Carbonero voltou a fazer parte da equipes de jornalista da MediaSet que viajaram para o país sul-africano e, Casillas continuou como goleiro titular da Espanha. A Seleção Espanhola sagrou-se campeã e Casillas foi entrevistado por Sara, beijando-a no final da entrevista.[44][45]

O primeiro filho do casal, Martín Casillas Carbonero, nasceu no dia 3 de janeiro de 2014.[46][47] Pouco mais de sete anos depois, em março de 2021, o casal se separou.[48]

Infarto do miocárdio em 2019[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de maio de 2019, Casillas sofreu um infarto do miocárdio enquanto treinava com o Porto.[49][50] O goleiro foi rapidamente levado ao hospital CUF e submetido a um cateterismo cardíaco. O clube, através de um comunicado oficial, confirmou também horas depois da cirurgia que o goleiro estava se recuperando bem. Casillas ficou afastado até o final da temporada, e após ter a continuidade de sua carreira incerta, antecipou sua aposentadoria dos gramados.[51][52]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Real Madrid
Porto
Seleção Espanhola

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Iniesta, Torres, Nadal y Alonso, nombrados deportistas españoles más importantes en Internet y redes sociales» (em espanhol). Europa Press. 27 de dezembro de 2010. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  2. a b c «Casillas, primer futbolista que alcanza las 100 victorias con su selección» (em espanhol). realmadrid.com. 1 de julho de 2012. Consultado em 14 de julho de 2012. Arquivado do original em 19 de outubro de 2012 
  3. «Casillas' first squad list".» (em inglês). 10 de agosto de 2009. Consultado em 17 de agosto de 2009. Arquivado do original em 13 de agosto de 2009 
  4. «Em 2000, com gols de Morientes, McManaman e Raúl, o Real Madrid venceu o Valencia e foi campeão da Champions». ESPN. 24 de maio de 2015. Consultado em 18 de julho de 2019 
  5. «Real Madrid 3 - 0 Valencia». The Guardian. 24 de maio de 2000. Consultado em 18 de julho de 2019 
  6. «BBC News - BBC Sport». Consultado em 15 de Julho de 2010 
  7. «Casillas' first squad list». Consultado em 8 de Fevereiro de 2011. Arquivado do original em 13 de agosto de 2009 
  8. «Captain of his country and a hero to millions of Madridistas». Consultado em 9 de Fevereiro de 2011 
  9. «Casillas and Raul commit to Real» (em inglês). Sky Sports. 14 de fevereiro de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  10. «Forever white». 27 de junho de 2008. Arquivado do original em 24 de setembro de 2008 
  11. Guillermo G. Honrubia (9 de fevereiro de 2009). «Casillas secures a place in Madrid folklore» (em inglês). UEFA.com. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  12. «Praise for Casillas» (em inglês). Site oficial do Real Madrid. 7 de outubro de 2009. Consultado em 15 de outubro de 2021. Arquivado do original em 27 de setembro de 2011 
  13. «CR7 decide na prorrogação, derruba Barcelona e acaba com seca do Real». GloboEsporte.com. 20 de abril de 2011. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  14. «Real Madrid vence Barcelona e conquista a Copa do Rei após 17 anos». Superesportes. 20 de abril de 2011. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  15. Reda Maher (22 de dezembro de 2012). «Liga - Mourinho drops Casillas as Malaga beat Real Madrid». Yahoo!. Consultado em 15 de outubro de 2021. Arquivado do original em 25 de dezembro de 2012 
  16. «Casillas desabafa: 'Estou bem, mas está claro que não sou uma máquina'». GloboEsporte.com. 1 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  17. «Casillas é eleito melhor goleiro do ano pela 5ª vez seguida. Cássio é o 7º». GloboEsporte.com. 4 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  18. «Casillas sofre fratura na mão após levar chute de companheiro e desfalca o Real Madrid». UOL. 24 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  19. «Goleiro do Real Madrid, Iker Casillas recebe alta após cirurgia na mão esquerda». Superesportes. 26 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  20. «CR7 e Bale dão show, Real atropela Schalke e fica bem perto das quartas». GloboEsporte.com. 26 de fevereiro de 2014. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  21. Cassio Barco e Felipe Schmidt (20 de dezembro de 2014). «Real Madrid vence San Lorenzo, leva o Mundial e fecha ano com quatro títulos». GloboEsporte.com. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  22. «Pepe diz que torcida tem razão em vaiar Casillas, e goleiro se conforma». GloboEsporte.com. 14 de setembro de 2014. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  23. «Casillas atravessa outro inferno astral pelo Real Madrid». ND Mais. 12 de maio de 2015. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  24. João Ruela (11 de julho de 2015). «Real Madrid oficializa transferência de Iker Casillas para o FC Porto». Diário de Notícias. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  25. «Casillas será o número 12 do FC Porto». SAPO. 14 de julho de 2015. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  26. «Presidente do Porto confirma aposentadoria de Casillas». ESPN.com.br. 18 de fevereiro de 2020. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  27. «Grac1as! Iker Casillas anuncia oficialmente aposentadoria dos gramados: "Dia difícil"». GloboEsporte.com. 4 de agosto de 2020. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  28. «Jornal diz que resta uma vaga na seleção da Espanha que vai à Copa». UOL. 22 de abril de 2002. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  29. «Another record established». Consultado em 9 de Setembro de 2009. Arquivado do original em 13 de setembro de 2009 
  30. «Alonso bags brace as Spain underline World Cup credentials». Consultado em 8 de Julho de 2010 
  31. «Casillas: Scoreless streak». Consultado em 7 de maio de 2009. Arquivado do original em 1 de maio de 2009 
  32. «França mantém Espanha 'freguesa' e reedita final de 98 com Brasil». UOL. 27 de junho de 2006. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  33. «Aragonés deixa Raúl fora da Eurocopa». Trivela. 17 de maio de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  34. «The Miami Herald». Consultado em 14 de Julho de 2010 
  35. «Espanha elimina a Itália nos pênaltis». GloboEsporte.com. 22 de junho de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  36. «Espanha vence a Alemanha e conquista a Eurocopa pela segunda vez na história». GloboEsporte.com. 29 de junho de 2008. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  37. «Casillas salva Espanha na final e recebe a Luva de Ouro da Fifa». ESPN.com.br. 11 de julho de 2010. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  38. «Capitão Casillas é eleito o melhor goleiro do Mundial». Terra. 11 de julho de 2010. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  39. «Espanha dá show, faz 4 a 0 na Itália e leva 1º bi da Eurocopa». Terra. 1 de julho de 2012. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  40. «Espanha domina seleção da Eurocopa». Band. 2 de julho de 2012. Consultado em 18 de julho de 2019 
  41. «Casillas sets new record for minutes unbeaten with Spain». Consultado em 1 de Julho de 2012. Arquivado do original em 22 de junho de 2013 
  42. «Espanha anuncia 23 convocados para Copa e mantém Diego Costa». Terra. 31 de maio de 2014. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  43. «Del Bosque divulga os 23 convocados para defender a Espanha na Euro». Terra. 31 de maio de 2016. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  44. «Sara Carbonero descarta novo beijo em Casillas. Nem se Espanha levar o bi». UOL. 8 de junho de 2014. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  45. «Onde anda Sara Carbonero, famosa durante a Copa-2010 por beijo 'roubado'?». UOL. 20 de dezembro de 2017. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  46. «Nasce Martín, o primeiro filho de Casillas e Sara Carbonero». GloboEsporte.com. 3 de janeiro de 2014. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  47. «Nasce primeiro filho de Sara Carbonero e Iker Casillas». Folha de S.Paulo. 3 de janeiro de 2014. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  48. «Casal da Copa de 2010, Iker Casillas e Sara Carbonero se separam». UOL. 12 de março de 2021. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  49. «Casillas sofre infarto, passa por cirurgia, mas já está consciente, diz Porto». GloboEsporte.com. 1 de maio de 2019. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  50. «Casillas deixa hospital após infarto e diz: "não sei o que será no futuro"». UOL. 6 de maio de 2019. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  51. «Jornal espanhol afirma que é 'muito difícil' que Casillas volte a jogar». UOL. 2 de maio de 2019. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  52. «Após infarto, retorno de Casillas aos gramados vira dúvida; Médico do Porto pede calma». GloboEsporte.com. 2 de maio de 2019. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  53. «Royal Order of Sporting Merit 2011» 
  54. «Las campeones del mundo de fútbol ya tienen la Real Orden del Mérito Deportivo». Consultado em 5 de outubro de 2011 
  55. «11 Leyenda el mejor once de la historia». AS.com. 25 de fevereiro de 2021. Consultado em 15 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Iker Casillas