Ilham Aliyev

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ilham Aliyev
Ilham Aliyev
Ilham Aliyev
Presidente do Azerbaijão
Período 31 de outubro de 2003 – presente
Antecessor(a) Heydər Əliyev
Primeiro-ministro do Azerbaijão
Período 4 de agosto de 20034 de novembro de 2003
Antecessor(a) Artur Rasizade
Sucessor(a) Artur Rasizade
Secretário-geral do Movimento Não Alinhado
Período 25 de outubro de 2019 – presente
Antecessor(a) Abülfaz Elçibay
Dados pessoais
Nome completo Ilham Heydar oghlu Aliyev
İlham Heydər oğlu Əliyev
Nascimento 24 de dezembro de 1961 (62 anos)
Bacu, RSS do Azerbaijão, União Soviética
Nacionalidade azeri
Alma mater Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscou
Cônjuge Mehriban Aliyeva
Filhos(as)
Partido Novo Azerbaijão
Profissão Professor, historiador e administrador de empresas

Ilham Heydar oglu Aliyev (em azeri: İlham Heydər oğlu Əliyev; 24 de dezembro de 1961) é o atual presidente do Azerbaijão desde 2003 e tem origem curda.[1] Também é o líder do Partido Novo Azerbaijão. Também foi primeiro-ministro de seu país em 2003.

Filho do ex-líder do Azerbaijão Heydar Alirza oghlu, Aliyev se tornou ele mesmo presidente em 2003 através de uma eleição presidencial marcada por irregularidades após a morte de seu pai. Foi reeleito para um segundo mandato em 2008 e foi autorizado a concorrer em eleições indefinidamente em 2013 e 2018 devido ao referendo constitucional de 2009, que removeu os limites de mandato para presidentes. Ao longo da sua campanha eleitoral, Aliyev serviu como membro do partido no poder, o YAP, que dirige desde 2005.[2]

O fato do Azerbaijão ser uma nação rica em petróleo, fortaleceu significativamente a estabilidade do regime de Aliyev e enriqueceu as elites dominantes do país, tornando possível acolher eventos internacionais luxuosos, bem como envolver-se em extensos esforços de lobby. A família de Aliyev enriqueceu através dos seus laços com empresas estatais. Eles possuem partes significativas de vários grandes bancos, empresas de construção e empresas de telecomunicações do Azerbaijão, e ainda possuem parcialmente controle das indústrias de petróleo e gás nacionais. Grande parte da riqueza está escondida através de uma elaborada rede de empresas offshore. Ele foi nomeado a "Personalidade do Ano" da Corrupção pela Projeto de Denúncia de Crime Organizado e Corrupção em 2012.[3] Em 2017, foi revelado que Aliyev e sua família estavam envolvidos no caso conhecido como "Lavanderia do Azerbaijão", um esquema complexo de lavagem de dinheiro para subornar políticos europeus proeminentes para desviar as críticas a Aliyev e promover uma imagem positiva do seu regime.[4]

Muitos observadores e analistas veem Aliyev como um ditador.[5][6][7][8][9][10] Lidera um regime autoritário no Azerbaijão; as eleições não são livres e justas, o poder político está concentrado nas mãos de Aliyev e da sua família, a corrupção é extensa e as violações dos direitos humanos são graves (incluindo tortura, prisões arbitrárias, bem como assédio de jornalistas e organizações não governamentais). O conflito de Nagorno-Karabakh continuou durante a presidência de Aliyev e culminou numa guerra em grande escala em 2020, na qual o Azerbaijão recuperou o controlo sobre os territórios ocupados pelos armênios em redor de Nagorno-Karabakh que foram perdidos durante a Primeira Guerra de Nagorno-Karabakh, bem como uma parte da própria região de Nagorno-Karabakh.[11]

Referências

  1. 350 diplomatic flights carry weapons for terrorists
  2. «The Dictator Has No Clothes: Aliyev's Regime and Its Declining Oil Revenues». Evnreport.com. 12 de julho de 2022. Consultado em 19 de setembro de 2023 
  3. «"Ilham Aliyev, 2012 Person of the Year in organised crime and corruption». Organized Crime and Corruption Reporting Project. Consultado em 19 de setembro de 2023. Cópia arquivada em 11 de abril de 2023 
  4. Harding, Luke; Barr, Caelainn; Nagapetyants, Dina (4 de setembro de 2017). «Everything you need to know about the Azerbaijani Laundromat» – via www.theguardian.com 
  5. Turp-Balazs, Craig (17 de março de 2021). «Alexander Lukashenko is a dictator, but he is not Europe's last». Emerging Europe (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  6. Neukirch, Ralf (4 de janeiro de 2012). «A Dictator's Dream: Azerbaijan Seeks to Burnish Image Ahead of Eurovision». Der Spiegel (em inglês). ISSN 2195-1349. Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  7. Rubin, Michael. «Azerbaijan's Aliyev is a strategic liability, not an asset». The National Interest (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  8. «French court backs media description of Aliyev as a "dictator"». The Central Asia & South Caucasus Bulletin (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  9. «Autocrats take advantage of coronavirus». Council on Foreign Relations (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  10. Hunder, Max. «Azerbaijan's dissenting voices face imprisonment and worse». Kyiv Post. Consultado em 10 de abril de 2023. Cópia arquivada em 11 de abril de 2023 
  11. «Genocide Warning: Nagorno Karabakh». Genocidewarning-nk.com (em inglês). Consultado em 28 de dezembro de 2022 
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias


Precedido por
Heydar Aliyev
Presidente do Azerbaijão
2003 - atualidade
Sucedido por
-

Ícone de esboço Este artigo sobre um político azeri é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.