Ilya Ilyich Mechnikov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ilya Ilyich Mechnikov Medalha Nobel
Nascimento 16 de maio de 1845
Carcóvia
Morte 16 de julho de 1916 (71 anos)
Paris
Sepultamento Paris
Cidadania Império Russo, França
Etnia Ucranianos
Irmão(s) Ivan Ilyich Mechnikov, Léon Metchnikoff
Alma mater
Ocupação biólogo, imunologista, zoólogo, químico, inventor, médico, fisiólogo, microbiologista, entomologista
Prêmios Medalha Copley (1906), Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1908)
Empregador Universidade Nacional de Odessa, Universidade Imperial de São Petersburgo, Instituto Pasteur, Imperial Novorossiysk University
Instituições Universidade de Carcóvia, Universidade de Giessen, Universidade de Göttingen
Campo(s) biologia
Religião ateísmo
Causa da morte enfarte agudo do miocárdio

Ilya Ilyich Mechnikov (Carcóvia, 16 de maio de 1845Paris, 16 de julho de 1916) foi um biólogo microbiologista e anatomista russo e francês.

Recebeu o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1908, juntamente com Paul Ehrlich, pelos seus trabalhos sobre imunidade.

Distinguiu-se pelos seus estudos em imunologia e especialmente no papel representado pelos leucócitos na fagocitose de bactérias.

Filho de um oficial da Guarda Imperial e de mãe judia, foi educado em escolas de Carcóvia. Entrou para a Universidade de Carcóvia para estudar ciências naturais. Após se graduar (1865), esteve na Universidade de Giessen, Universidade de Göttingen, Academia de Belas Artes de Munique e Nápoles, onde preparou sua tese de doutorado em desenvolvimento embrionário. Retornou à Rússia como docente da recém-fundada Universidade de Odessa e foi também docente na Universidade de São Petersburgo.

Casou-se com sua primeira esposa Ludmilla Feodorovitch, que morreu cinco anos depois, de tuberculose (1873). Foi apontado professor titular de zoologia e anatomia comparativa da Universidade de Odessa (1870). Casou-se com Olga (1875) que sofreu grave ataque de febre tifóide (1880), que o levou a se dedicar a pesquisas sobre imunidade, a fim de salvar sua segunda esposa.

Com o assassinato de Alexandre II, foi para Messina para continuação de suas pesquisas em um laboratório privado. Publicou em Odessa (1883) seu primeiro artigo científico em fagocitose. Deixou Odessa (1888) e foi para Paris trabalhar no Instituto Pasteur onde permaneceu pelo resto da sua vida, trabalhando especialmente em embriologia de invertebrados.

Além do Nobel recebeu muitas distinções, entre elas D. Sc. honorário da Universidade de Cambridge, a Copley Medal of the Royal Society. Morreu em Paris após sucessivos ataques cardíacos.

Morte[editar | editar código-fonte]

Mechnikov morreu em Paris em 1916, vitimado por ataque cardíaco.[1] De acordo com seu testamento, seu corpo foi usado para pesquisas médicas e depois cremado no crematório do Cemitério do Père-Lachaise. A urna com suas cinzas foi colocada na biblioteca do Instituto Pasteur.[2]

Referências

  1. B. I. Goldstein (21 de julho de 1916). «Elie Metchnikoff». Canadian Jewish Chronicle. Consultado em 16 de maio de 2019 
  2. The historical milestones in the understanding of leukocyte biology initiated by Elie Metchnikoff por Jean‐Marc Cavaillon

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Dmitri Mendeleiev
Medalha Copley
1906
Sucedido por
Albert Abraham Michelson
Precedido por
Alphonse Laveran
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1908
com Paul Ehrlich
Sucedido por
Emil Kocher


O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Ilya Ilyich Mechnikov
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) médico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.