Imbuí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Imbuí
—  Bairro do Brasil  —
Condomínios no bairro.
Condomínios no bairro.
Distritos
Fonte: Não disponível

O Imbuí é um bairro da cidade de Salvador, no estado da Bahia, no Brasil. É, predominantemente, residencial e de classe média alta e alta. É vizinho aos bairros da Boca do Rio e Narandiba, e próximo aos bairros de Patamares, STIEP e Costa Azul. Suas principais vias sãoː a avenida Paralela, a avenida Jorge Amado[1] e a avenida Otávio Mangabeira, na orla. Ainda na parte de infraestrutura, foi implantada, recentemente, o Complexo Viário do Imbuí, que melhorou o trânsito na região.[2]

Apresenta um grande número de minishoppings, supermercados, clínicas, restaurantes, bares, colégios/escolas e faculdades.[3] Os minishoppings mais conhecidos sãoː o Caboatã, Imbuí Plaza, CCI (Centro Comercial Imbuí), Silver e Gaivota.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Existem duas hipóteses etimológicas para a origem do topônimo "Imbuí", todas com origem na língua tupi antigaː

  • viria do termo mboî'y, "rio das cobras" (mboîa, cobra e 'y, rio);
  • viria do termo imbu'y, "rio dos imbus" (imbu, imbu e 'y, rio).[4]

História[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, o bairro era conhecido como Bolandeiras, e era caracterizado pelas suas dunas. A partir de 1978, com a construção de condomínios residenciais como o Rio das Pedras, o Parque Residencial Vivendas e o Moradas do Imbuí às margens da avenida Luiz Viana (Paralela), o bairro passou a ser conhecido pelo seu atual nome. Inicialmente, sua população era constituída por trabalhadores do Polo Industrial de Camaçari.[5]

Nos últimos anos, o bairro tem crescido muito, com a construção de uma série de edifícios, entre eles edifícios construídos por construtoras portuguesas, incluindo um recente prédio de 26 andares, um marco na verticalização do bairro. Esse processo de verticalização já afetou até lugares vizinhos, como o condomínio Marback. Adicionalmente, observa-se o crescente número de moradias de classe baixa, instaladas em áreas do bairro anteriormente pouco habitadas, caracterizando um processo de urbanização desregrado, muitas vezes associado às chamadas 'invasões', num processo similar ao ocorrido no bairro vizinho, a Boca do Rio.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Bahia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.