Imigração portuguesa em França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Luso-franceses França
População total

População total com ascendência portuguesa 1 720 000 (2017)[1][2]
Residentes em França, nascidos em Portugal
644 206 (censo de 2013)[3]

Regiões com população significativa
Paris, Córsega,[4] Bordéus, Lião, Marselha, Tolosa, Roubaix, nordeste de França, Ilha de França, Aquitânia, Linguadoque-Rossilhão, Sul-Pirenéus, Bretanha, Poitou-Charentes, Centro-Vale do Líger, Limusino, País do Líger, Baixa Normandia, Provença-Alpes-Costa Azul
Línguas
Francês, português
Religiões
Catolicismo romano
Grupos étnicos relacionados
Italianos, espanhóis

Luso-francês ou português francês é um francês que possui ascendência portuguesa ou um português que reside em França.

História[editar | editar código-fonte]

Placa comemorativa da avenue des Portugais (Avenida dos Portugueses) em Paris.

A 14 de julho de 1918, o Conselho Municipal de Paris nomeou a avenue de Sofia (Avenida de Sófia) para avenue des Portugais (Avenida dos Portugueses), em honra ao Corpo Expedicionário Português que lutou em França durante a Primeira Guerra Mundial.[5]

A imigração portuguesa em França em massa iniciou-se em meados de 1950 e durante as décadas de 1960 e 1970, para fugir da ditadura salazarista.[6][7] Muitos dos imigrantes instalavam-se em bairros de lata da região parisiense, em condições insalubres de extrema miséria. A maioria destas pessoas era analfabeta, camponeses e aldeões que se empregavam como operários desqualificados, empregados de limpeza ou da recolha do lixo.

Em Champigny-sur-Marne exitiu o maior bidonville (favela) da história de França e da França, ali residindo em barracas 15.000 pessoas[8].

Desde 2008 até 2014, tem registado significativos aumentos, sendo mesmo a maior de todos os tempos, devido à crise financeira que ocorreu em Portugal.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Ano População nascida em Portugal Migrantes Registos consulares
(Total de portugueses)
Outros dados
1959 20 000[9]
1970 700 000[9]
1990 798 837[10]
1995 600 000[11]
1999 454 488[3] 555 000[12]
2004 124 977[3]
2005 567 000[2]
2006 490 000[13]
2007 576 084[2] 491 000[12]
2008 580 240[14] 1 079 524[2] 490 502
2009 585 000[2] 1 111 438[2]
2010 588 276[2] 1 145 531[2]
2011 500 891[15] 592 281[16] 1 161 900[17]
2012 599 333[18] 1 190 798[2]
2013 644 206[18] 1 243 419[2]
2017 1 720 000[19]
Distribuição dos descendentes regionais:[20]
Regiões Ilha de França Ródano-Alpes, Auvérnia Provença-Alpes-Costa Azul, Linguadoque-Rossilhão Outras regiões
% do total 36% 16% 3% 45%

Referências

  1. https://www.diplomatie.gouv.fr/fr/dossiers-pays/portugal/presentation-du-portugal/
  2. a b c d e f g h i j «Indicadores sobre a população portuguesa emigrada». Observatório da Emigração. 27 de maio de 2014 
  3. a b c «Country-of-birth database» (XLS) (em inglês). Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico. Consultado em 4 de junho de 2016 
  4. «Immigration Portugaise» (em francês). Lusitanie. Consultado em 4 de junho de 2016. Cópia arquivada em 19 de março de 2007 
  5. «Soldados portugueses esquecidos em França». Correio da Manhã. 25 de junho de 2014 
  6. Pereira, Victor. «L'immigration portugaise en France au 20ème siècle». Universidade de Pau (em francês). Museu da História da Imigração. Consultado em 4 de junho de 2016 
  7. Pereira, Ana Cristina (23 de junho de 2014). «A ditadura de Salazar e a emigração». Público 
  8. «Bidonville de Champigny-sur-Marne | Musée national de l'histoire de l'immigration». www.histoire-immigration.fr (em francês). Consultado em 22 de maio de 2018 
  9. a b «Espagnols et Portugais (1950)» (em francês). Museu da História da Imigração. Consultado em 4 de junho de 2016. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2013 
  10. Koven, Michèle (2007). Selves in Two Languages: Bilinguals' verbal enactments of identity in French and Portuguese (em inglês). Amesterdão: John Benjamins Publishing Company. p. 38. ISBN 978-9027241450 
  11. Echardour, Annick (Fevereiro de 1996). «Les jeunes d'origine portugaise» (PDF). Instituto Nacional da Estatística e Estudos Económicos. Insee Première (em francês) (427) 
  12. a b «Infos migrations» (PDF). Ministério do Interior, Ultramar, das Coletividades Territoriais e da Imigração de França (em francês) (20). 20 de fevereiro de 2011 
  13. «Perspectives des migrations internationales». Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico. OECD Publishing (em francês). 382 páginas. 2010. ISBN 9789264086036. ISSN 1993-0232. doi:10.1787/19991258 
  14. «França». Observatório da Emigração. Consultado em 4 de junho de 2016 
  15. «Répartition des étrangers par nationalité en 2012» (em francês). Instituto Nacional da Estatística e Estudos Económicos. Consultado em 4 de junho de 2016 
  16. «Répartition des immigrés par pays de naissance en 2012» (em francês). Instituto Nacional da Estatística e Estudos Económicos. Consultado em 4 de junho de 2016 
  17. «Indicadores – último ano disponível». Observatório da Emigração. Consultado em 4 de junho de 2016. Arquivado do original (XLS) em 20 de setembro de 2013 
  18. a b «Portuguese Emigration Factbook 2015» (PDF). Lisboa: Observatório da Emigração (em inglês). 2015. ISBN 978-972-8048-11-2. doi:10.15847/CIESOEMFB2015. Consultado em 4 de junho de 2016. Arquivado do original (PDF) em 3 de junho de 2016 
  19. https://www.diplomatie.gouv.fr/fr/dossiers-pays/portugal/presentation-du-portugal/
  20. «Être né en France d'un parent immigré» (em francês). Instituto Nacional da Estatística e Estudos Económicos. Consultado em 4 de junho de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]