Impermeabilização do solo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A impermeabilização do solo significa perda da capacidade de absorção da água pelo solo. Este processo acontece principalmente nas cidades, em razão do asfaltamento, calçamento de ruas e calçadas, da própria construção de edificações e da cimentação dos quintais e jardins das casas. Forma-se assim uma espécie de capa sobre o solo, impedindo que a água seja absorvida.

Assim, nas áreas urbanas, como a água não é adequadamente absorvida pelo solo e a rede de drenagem pluvial é muitas vezes insuficiente ou está obstruída, ocorre que, em dias de chuva intensa ou prolongada, as águas correm pelo solo impermeabilizado, e a enxurrada vai descendo desde as partes altas, até encontrar terrenos permeáveis - o que pode acontecer nas várzeas dos rios.[1]

Se as várzeas também estiverem impermeabilizadas, as águas acabam chegando à calha dos rios. Se as águas chegam aos rios em volume superior ao da sua capacidade natural de escoamento (ver vazão), isto é, se a calha dos rios não fôr suficientemente larga ou profunda, o nível das águas fluviais aumenta, podendo ocorrer um extravasamento, com alagamento das várzeas impermeabilizadas e, gradativamente, a inundação de áreas próximas, causando uma enchente.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre urbanismo, planejamento e estudos urbanos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Marcelo Miguez, Osvaldo Rezende, Aline Veról. Drenagem Urbana: Do Projeto Tradicional à Sustentabilidade. [S.l.: s.n.] ISBN 9788535277470 
  2. André Trigueiro. Mundo Sustentável 2. [S.l.: s.n.] ISBN 9788525051400