Incêndio de Monchique de 2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Incêndio de Monchique de 2018
7 August 2018 Monchique Wildfire.jpg

Imagem de satélite no dia 7 de agosto

País
Local
Coordenadas
Estatística
Data
3 de agosto de 2018 — 17 de agosto de 2018
Data de início
Data de fim
Área queimada
27 000 ha (à data de 10 de agosto)[1]
Uso do solo

O incêndio de Monchique de 2018 foi um incêndio florestal ocorrido na serra de Monchique, na região do Algarve em Portugal.[3] O incêndio teve início por volta das 13 horas no dia 3 de Agosto[3] e foi dominado na manhã do dia 10 de agosto.[1] A ação dos bombeiros foi dificultada pela forte intensidade e constantes mudanças de direção do vento e pela dificuldade de acesso dos meios terrestres.[4][5] O incêndio teve início na localidade de Perna da Negra, no concelho de Monchique, tendo posteriormente alastrado para parte dos concelhos de Silves e Portimão.[4] O incêndio resultou em 41 feridos, um deles em estado grave, 22 dos quais bombeiros.[1] A 10 de agosto contabilizavam-se cerca de 27 000 hectares de área ardida.[1]

Ao segundo dia, o incêndio era combatido por 700 bombeiros, 11 aviões e 230 militares.[6] Ao sexto dia, encontravam-se a combater as chamas mais de 1400 bombeiros apoiados por 160 militares e 14 aviões de combate a incêndios.[3][5] No dia 4 de agosto foi ativado o Plano Municipal de Emergência.[6] O incêndio deixou várias localidades da serra de Monchique sem acesso a comunicações móveis. No dia 6 de agosto o centro de Monchique ficou sem abastecimento de água.[3] A estrada nacional 266 foi cortada ao trânsito.[4] A Electricidade de Portugal encerrou o fornecimento de eletricidade a várias localidades do concelho de Monchique alegando razões de segurança.[4] À data de 8 de agosto tinham já sido evacuados 230 residentes.[3]

Entre as causas apontadas pelos especialistas para a dimensão e incontrolabilidade do incêndio estão o excesso e descontrolo da plantação de eucaliptos, o número insuficiente de faixas de descontinuidade, a temperatura extrema e as dificuldades de acesso.[7][2][8] Mais de 72% da serra de Monchique é ocupada por eucalipto.[9] Os especialistas são unânimes em criticar a falta de ordenamento do território que tem permitido a expansão descontrolada de eucaliptais, que rapidamente dominam a paisagem. O eucalipto projeta partículas incandescentes capazes de provocar novos focos de incêndio a vários quilómetros de distância, provocando novos focos de incêndio que dispersam os meios de combate e diminuem a sua eficácia.[7][2] O dia 4 de agosto foi o dia mais quente do século em Portugal.[10] Durante as operações registaram-se temperaturas de 47 graus e humidade relativa de 14%.[11] A inexistência de faixas de continuidade em número suficiente impediu a colocação de meios logo no primeiro dia de incêndio. Em 2006 o ICNF elaborou um plano que previa 120 quilómetros de faixas de descontinuidade na serra de Monchique, dos quais apenas 30 km estavam concluídos em 2012, ano em que a sua gestão passou para as autarquias.[7]

O incêndio de 2018 foi precedido por vários incêndios de grande dimensão que ocorreram na mesma região em anos anteriores. Em 2013 ocorreram dois grandes incêndios que queimaram 90% do território de Monchique e 41 000 hectares de floresta. O primeiro esteve ativo entre os dias 8 e 18 de agosto e o segundo entre 11 e 19 de setembro, tendo-se propagado para os concelhos de Portimão, Aljezur e Lagos.[1][12]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «Incêndio em Monchique Está Dominado, Arderam 27000 Hectares». Diário de Notícias. 10 de agosto de 2018. Consultado em 10 de agosto de 2018. 
  2. a b c «Quercus Diz Que Perigosidade do Fogo de Monchique se Deve Sobretudo a Eucaliptos». Jornal de Notícias. 7 de agosto de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2018. 
  3. a b c d e «Fogo Descontrolado no Algarve». Euronews. 8 de agosto de 2018. Consultado em 8 de agosto de 2018. 
  4. a b c d «Cinco dias de fogo e muitas questões por responder em Monchique». Euronews. 7 de agosto de 2018. Consultado em 8 de agosto de 2018. 
  5. a b «Fortes Reativações em Todo o Perímetro do Fogo de Monchique». Televisão Independente. 7 de agosto de 2018. Consultado em 8 de agosto de 2018. 
  6. a b «Monchique com Mais de 700 Operacionais no Terreno e Seis Meios Aéreos». Diário de Notícias. 4 de agosto de 2018. Consultado em 8 de agosto de 2018. 
  7. a b c «As Razões Porque Está Incontrolável o Incêndio em Monchique». Diário de Notícias. 7 de agosto de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2018. 
  8. «Incêndio na Serra de Monchique». Quercus. 7 de agosto de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2018. 
  9. «Mais de 72% da Serra de Monchique Ocupada Por Eucalipto». Revista Sábado. 7 de agosto de 2018. Consultado em 9 de agosto de 2018. 
  10. «Presidente do IPMA: Situação de Calor Que Nunca Tinha Sido Observada em Portugal». Diário de Notícias. 8 de agosto de 2018. Consultado em 8 de agosto de 2018. 
  11. «Mais de 600 Bombeiros Combatem Fogo em Monchique». Rádio Renascença. 4 de agosto de 2018. Consultado em 8 de agosto de 2018. 
  12. Flora Ferreira-Leite, António Bento-Gonçalves, Luciano Lourenço (2011). «Grandes incêndios florestais em Portugal Continental.» (PDF). Da história recente à atualidade. Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Cadernos de Geografia (30/31): 81-86 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]