Incidente Max Headroom

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde julho de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Incidente Max Headroom

O Incidente Max Headroom foi um Incidente ocorrido em Chicago no dia 22 de novembro de 1987. Um hijacker invadiu o link de duas emissoras da cidade de Chicago, a WGN-TV (Canal 9) e a WTTW (Canal 11), causando problemas nacionais. O hacker e seus cúmplices nunca foram presos, sequer identificados. Tampouco se sabe como o sinal das emissoras de TV foi invadido, nem as motivações do hacker.

WGN-TV[editar | editar código-fonte]

A primeira ocorrência aconteceu durante um jornal da WGN-TV, o "The Nine O'Clock News", que estava sendo transmitido ao vivo. Durante a matéria sobre a vitória do Chicago Bears, a tela escureceu por quinze segundos e logo em seguida apareceu um homem, com uma máscara do Max Headroom, se movimentando em frente a um fundo metálico, similar a uma porta de supermercado. O áudio era somente chiados. O tal "Max Headroom" só parou quando a WGN-TV mudou o seu link de estúdio. Logo em seguida, o âncora de esportes, Dan Roan, disse: "Se você está surpreso com o que aconteceu, eu também estou."

O prédio inteiro da emissora foi vasculhado, para saber se alguém no lugar havia feito a invasão. Nada foi achado, então concluíram que ninguém da emissora causou o "sequestro de sinal".

WTTW[editar | editar código-fonte]

Na mesma noite, pelas 23:15, durante a transmissão de um episódio da série de televisão britânica Doctor Who, o sinal da WTTW (Canal 11), afiliada da Public Broadcasting Service teve o sinal hackeado pelo mesmo indivíduo. O episódio foi interrompido por estática. Logo após, um homem não identificado utilizando uma máscara de Max Headroom e óculos escuros apareceu. Seu áudio estava distorcido, mas mesmo assim o indivíduo começa a falar frases desconexas e sem interligação.

O indivíduo afirma que é "melhor que" o especialista frequentemente chamado pela WGN, Chuck Swirsky, chamando-o de "maldito liberal". O homem, então, prossegue a gemer, gritar e rir. Em seguida, faz menção ao slogan da empresa Coca-Cola na época, "Catch the Wave" (em tradução livre, "Siga a Onda") enquanto segurava uma lata de refrigerante Pepsi. Isto foi uma maneira de satirizar o fato de que Max Headroom era o garoto-propaganda da Coca-Cola à época.

Ele descarta a lata e mostra o dedo do meio, embora o mesmo tenha aparecido parcialmente fora da tela. Ele recupera a lata de Pepsi e cantarola "your love is fading" (tradução livre: "seu amor está desaparecendo"), um dos versos da música I Know I'm Losing You, da banda The Temptations. Ele, depois começa a cantar o tema de abertura da série de televisão Clutch Cargo. Ele se interrompe para dizer "I still see the X" ("eu ainda vejo o X", em tradução livre)[1], em referência à série, e depois continua a cantarolar.

Logo depois, ele começa a gemer dolorosamente, clamando por suas pilhas, terminando com um som de flatulência. Ele, logo após, diz que "fez uma enorme obra-prima para todos os maiores nerds jornalistas do mundo". O indivíduo levanta uma luva parecida com uma que Michael Jackson usava na época, e disse que "seu irmão estava usando a outra". Depois de a vestir, exclamou: "Mas está suja! É como se estivesse manchada com sangue!", e logo após a remove e a joga no chão.

A cena é cortada, e quando volta, o fundo metálico para de girar, o homem expõe suas nádegas para a câmera, remove a máscara (seu rosto estava fora de quadro) e a balança para a mesma, gritando: "Eles estão vindo para me pegar!". Uma mulher vestida com um uniforme de empregada francesa aparece e diz para se ajoelhar, e o insulta. A cúmplice começa a bater nas nádegas do indivíduo com um mata-mosquitos, enquanto o homem urrava. A transmissão foi cortada por alguns segundos, e logo após, a programação normal retomou[2][3]. Toda a transmissão ilegal durou cerca de noventa segundos.

A WTTW afirmou mais tarde que seus engenheiros não conseguiram parar a transmissão ilegal devido ao fato de que nenhum se encontrava presente no estúdio no momento. Anders Yocom, porta-voz da emissora, afirmou que os técnicos tentaram interromper tal transmissão ilegal, mas não conseguiram, afirmando ainda por cima que quando os técnicos começaram a procurar uma solução para o problema, a transmissão tinha acabado. Fãs da série Doctor Who, que estavam gravando o episódio, conseguiram ajudar a WTTW entregando as cópias da transmissão ilegal.

Reação após o incidente[editar | editar código-fonte]

Os dois canais de Chicago se juntaram ao HBO, que havia sofrido uma invasão há 19 meses, como vítimas de invasões de sinal. A história se popularizou, e já era assunto no dia seguinte, no CBS Evening News. Ambas as emissoras receberam ligações de telespectadores que queriam entender o que estava acontecendo. Um tempo depois, o canal 5 de Chicago (WMAQ-TV) inseriu os clipes da gravação de brincadeira, para assustar os telespectadores, durante um programa de notícias.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Normalmente, tal frase é ouvida erroneamente como "I stole CBS" ("Eu roubei a CBS").
  2. «O Incidente Max Headroom». Creepypasta Brasil. Consultado em 2015-10-20 
  3. «O Mistério do Mais Sinistro Hack de Televisão Já Feito». Motherboard. Consultado em 2015-10-20